sábado, 22 de janeiro de 2011

29 anos depois de sua morte viva a magia de Elis Regina

Parte da mídia se esqueceu mas Folha Verde News resgata um dos maiores talentos da MPB

Oficialmente, ela teria sido morta por overdose em 19 de janeiro de 1982, muita gente afirmou na época que fora uma espécie de suicídio, porém, para nosso editor de conteúdo Padinha, que chegou a combinar um trabalho cultural com Elis Regina um dia antes da morte dela, a situação não foi bem esta: ele chega até mesmo a admitir que ela tenha sido assassinada por policiais ligados à repressão política, o Brasil ainda viveu sob uma Ditatura Militar até por volta de 1986.
- Realmente, através de um amigo de Elis e empresário de TV, Cláudio Petráglia, então dirigindo a Rede Bandeirantes em São Paulo, falei pessoalmente com ela para discutir o roteiro de um próximo show, que nunca viria a ser realizado, no dia seguinte fui surpreendido com a notícia de sua morte.
A razão principal para Elis ser perseguida e talvez até eliminada, numa trama sugerindo suicídio ou overdose de cocaína e álcool, era a liderança cultural e política dela, sempre lançando novos autores, compositores, constantemente manifestando na mídia e nos seus shows uma visão bastante crítica do governo ditatorial, enfim, "não cabe agora ficar discutindo as circunstâncias de sua morte, mas é fato que ela nunca foi muito bem investigada nem explicada", argumenta Padinha: "Agora, temos é que valorizar o que ela fez de positivo para a música brasileira, até escrevi um roteiro sobre isso que se chama Felis, misturando seu nome à palavra feliz, que é a memória que guardo dela".
Para completar esta homenagem neste nosso webespaço, a seguir algumas fotos que marcam a vida ou o trabalho de Elis Regina, bem como de seus filhos João Marcelo, Pedro Mariano, Maria Rita, seu companheiro também músico,César Camargo Mariano, estas imagens recriam a força do talento e a luta da vida desta cantora de MPB, blues e jazz,  pela liberdade e pela música do Brasil. Um marco na evolução cultural do país, no mesmo grau de um Tom Jobim, uma voz reconhecida em todo o planeta.
Há vários sites na Internet que registram as principais gravações de Elis, por exemplo, se você quiser ouvir ou se lembrar delas, pode acessar http://www.kboing.com.br/elis-regina/
Ouvir agora Elis não é apenas memória cultural, é também uma forma de resgatar o seu valor e de viver de novo a emoção de sua arte, fundamental na história contemporânea da nação. A sua voz foi precocemente calada, porém a importância de Elis Regina sobrevive como uma semente do nosso futuro.

Elis aqui, fotografando

Ela com seus filhos, hoje todos músicos

Uma de suas últimas apresentações

Imagem da união dela com seus filhos e César Camargo Mariano

2 comentários:

  1. O resgate do trabalho, da força cultural e da vida de Elis Regina é de importância para os brasileiros entenderem o Brasil. Também, emoção pura da sua música, que suplanta os limites do tempo, do consumo, resgatando o seu valor.

    ResponderExcluir
  2. Ouvindo agora em 2011 Sinal Fechado, uma criação fora do comum de Paulinho da Viola, com ela cantando assim, parece que é uma música gravada nesta semana, superatual, como ela continua sendo.

    ResponderExcluir

Translation

translation