sábado, 28 de maio de 2011

ENQUETE MOSTRA SENADORES DIVIDIDOS NO CÓDIGO FLORESTAL

Aprovação na Câmara de emenda polêmica do Código Florestal gerou crise e o site G1 procurou todos os 81 senadores: 31 não responderam a enquete, mas ela mostra situação de equilíbrio entre as propostas ruralistas, do Governo e dos ambientalistas


Deputados no plenário durante votação do Código Florestal (Foto: Rodolfo Stuckert / Agência Câmara)
Deputados no plenário durante votação do Código
Florestal  (Foto: Rodolfo Stuckert / Agência Câmara)
 
A presidenta Dilma Rousseff na discussão sobre o Código Florestal, divide os senadores que o G1 ouviu entre as últimas quarta (25) e sexta (27).De 50 senadores, 22 se disseram favoráveis e 20 contrários a anistiar multas aplicadas a produtores rurais que desmataram - oito não responderam a essa questão, uma das trës de enquete aplicada pelo site de notícias da Globo. (E por incrível que pareça, cá entre nós, a Rede Globo, a Globo News e todo este megacomplexo tem sido mais jornalístico e democrático que o telejornal da Rede Bandeirantes, umna decepção, por se render às teses ruralistas com parcialismo).
 A anistia é um dos pontos polêmicos da discussão sobre o Código Florestal, aprovado pela Câmara na madrugada da última quarta (25) e que, a partir da próxima semana, deve começar a tramitar no Senado.
Os deputados aprovaram o texto-base do Código Florestal e a emenda 164. O resultado da votação estremeceu as relações entre governo e base aliada. Líderes de PT e PMDB, os dois maiores partidos da base, bateram boca no plenário. A Bancada Verde e a Frente Ambientalista derrotadas observam com uma expectativa mais otimista as tendências de votação no Senado Federal, o movimento socioambientalista tem alguma esperança de que a situação de horror (em termos de recursos naturais no país) poderá se reverter no Senado, existindo ainda a possibilidade de veto Presidencial, por conta da posição crítica do Ministério do Meio Ambiente ás mudanças no Código Florestal, inspiradas pelos grandes interesses das maiores empresas agropecuárias e do lobby dos agrotóxicos, a dano da ecologia e do Desenvolvimento Sustentável no meio rural do Brasil.

Veja na tabela abaixo como responderam os senadores


 A favor Contra Não quiseram responder
Emenda 164 25 19 6
Isenção de reserva legal 30 17 3
Anistia a multas 22 20 8
A aprovação da emenda 164 foi o ponto mais polêmico. A emenda abre a possibilidade de os estados definirem as atividades de cultivo em áreas de preservação permanente (APPs), o que o governo não aceita. O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), chegou a classificar como "uma vergonha" a aprovação da emenda. Mesmo alguns produtores rurais consideram o CF equivocado, por fragilizar as leis ambientais, irá enfraquecer o potencial da própria agricultura (que depende de água limpa, solo e sol) e aumentar as barreiras comerciais a produtos agropecuários made in Brazil no exterior. (Padinha)

O desmatamento quadruplicou também no Mato Grosso só com o anúncio das metas do novo Código Florestal

Marina Silva, ecologista do PV, junto com outros Verdes levou à Frente Ambientalista do Congresso as sugestões e as críticas de dezenas de entidades socioambientalistas e também de cientistas e de estudiosos especializados       
Fontes: G1
              http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. Toda esta polêmica e toda a balbúrdia de alguns políticos, em especial da bancada ruralista, sinaliza como será difícil a luta, que está apenas começando, por um Desenvolvimento Sustentável no país, com a busca do necessário equilíbrio entre a economia e a ecologia na atualidade: se o Brasil avançar neste sentido, ganhará uma vanguarda mundial. Tirando por base este parto do Código Florestal (ou...Agrícola), o processo de avaço será a forceps social e político por aqui no país da natureza.

    ResponderExcluir
  2. Se senadores estão divididos em seu posicionamento quanto a pontos mais polêmicos do Código Florestal, isso também significa que o baile que os ruralistas deram no Governo/Ministério do Meio Ambiente e nos ambientalistas, não se repetirá agora? Esta é a previsão mais provável ou a expectativa agora e até a esperança dos que querem ver os radicais ruralistas dançarem para que prevaleçam o bom senso e as chances de um desenvolvimento rural de verdade no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Sob ordem do agronegócio, Câmara aprovou devastação do Código Florestal26/5/2011 7:40, Por CMI Brasil



    Por Beti 26/05/2011 às 10:29

    Desde o começo dos trabalhos de revis?o do Código, capitaneados pelo autor do projeto de mudança, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), os parlamentares escolheram um lado da questão. E o pior dos lados, o do agronegócio que desmata e abusa dos nossos recursos naturais. Cientistas e proponentes da agricultura moderna, que não mistura produção com desmatamento, mal foram ouvidos debaixo da cacofonia do interesses rurais atrasados que sequestraram a pauta ambiental do país no Congresso Nacional. Vamos ver o que rola na sequência no Senador Federal...

    É disso que o agronegócio gosta!

    http://boilerdo.blogspot.com/

    Fonte: www.correiodobrasil.com.br

    ResponderExcluir
  4. AMBIENTALISTAS JÁ PLANEJAM AÇÕES PARA A DISCUSSÃO NO SENADO DO CÓDIGO FLORESTAL

    Descontentes com a reforma do Código Florestal aprovada na Câmara dos Deputados, ambientalistas se voltam agora para o Senado na esperança de mudar pontos do texto que consideram equivocados, ao mesmo tempo que temem repercussões negativas para o País caso a mudança proposta na lei se concretize. A aprovação do texto de reforma da lei, na avaliação dos ambientalistas, pode anular os esforços que o Brasil tem feito nos últimos anos para ser protagonista na área e inviabilizar compromissos assumidos internacionalmente.

    "Os desdobramentos disso nós já tivemos na prática", disse a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, ao se referir ao forte aumento do desmatamento da Amazônia registrado nos meses de março e abril, principalmente em Mato Grosso, um dos principais produtores agropecuários do País. "O que nós estamos buscando é, em primeiro lugar, fazer com que essas aberrações possam ser corrigidas. E se por ventura não forem, fazer a campanha de sustentação política para o veto", afirmou a ecologista do PV.

    Fonte: www.terra.com.br

    ResponderExcluir
  5. Marina Silva e o Código Florestal em debate na TV Cultura nesta 2ª feira

    O Roda Viva abre espaço nesta segunda-feira para debater a legislação ambiental brasileira.
    A discussão das últimas semanas sobre o novo Código Florestal Brasileiro deixou a sociedade em dúvida sobre o que é avanço e o que é retrocesso no delicado equilíbrio entre viver, preservar, matar e desmatar.
    Acreana de nascimento, Marina Silva foi senadora, ministra do Meio Ambiente e candidata à presidência na última eleição, em 2010.

    Participam como convidados entrevistadores:
    Augusto Nunes, jornalista; Paulo Moreira Leite, jornalista; Mona Dorf, colunista do Portal IG e Eduardo Geraque, repórter de cotidiano do jornal Folha de S. Paulo.

    Apresentação: Marília Gabriela

    Transmissão simultânea pela Internet. Roda Viva é apresentado às segundas a partir das 22h00.
    Você pode assistir on-line acessando o site no horário do programa.
    http://www2.tvcultura.com.br/rodaviva.

    ResponderExcluir

Translation

translation