terça-feira, 31 de maio de 2011

ESTÁ COMEÇANDO O FUTURO E ELE SE CHAMA C40

O encontro em São Paulo busca soluções verdes para as grandes e médias cidades

Começa hoje na capital paulista a quarta edição da Reunião Bianual da Rede C40 de Grandes Cidades (C-40 Large Cities Climate Leadership Group). A Rede, constituída em 2005, reúne representantes das maiores metrópoles do planeta para discutir ações concretas para o enfrentamento das Mudanças Climáticas e de outros problemas ambientais, particularmente, no meio urbano. De acordo com a C40, as grandes cidades ocupam aproximadamente 2% das terras do planeta, concentram a maior parte da população mundial, consomem dois terços da energia produzida e são responsáveis por 70% das emissões de gases de efeito estufa. O ex-presidente norte-americano Bill Clinton e o ex-prefeito de Nova Iorque Michael R. Bloomberg confirmaram presença no evento, estão trabalhando juntos para viabilizar uma parceria formal da rede com o Banco Mundial visando prestar assistência técnica e financeira para cidades que procurem reduzir suas emissões, seus problemas ecológicos e apresentem projetos com alternativas de solução.
A reunião da C40 em São Paulo ganha importância pela postura pragmática que está sendo adotada pelos participantes. Segundo Kevin Sheekey, ele foi vice-prefeito de Nova York e principal conselheiro de Bloomberg, “se você resolver os problemas das cidades, não haverá necessidade de assinar em algum acordo internacional. E graças a Deus, porque isso não vai ser feito, é hora de dizer isso”. Ele acrescentou: “Vamos catalogar os danos que estamos fazendo com o clima e toda ecologia em números, elaborando planos realistas e medidas de financiamento para mitigá-los”. Esta edição do C40 pesquisadores, ambientalistas e representantes de prefeituras de cinco continentes no Sheraton São Paulo WTC Hotel, no Itaim Bibi, Zona Sul da Capital.
A ecologista, líder do PV e de todo um movimentosocioambiental, Marina Silva está sendo convidada também, além de urbanistas, pesquisadores, cientistas, lideranças da ecologia e da cidadania: Marina esteve recentemente com Bill Clinton, cuja fundação patrocina este evento em São Paulo.

Energia Eólica: um dos destaques do evento

Bill Clinton e Marina Silva juntos podem ajudar o avanço do Desenvolvimento Sustentável


                     
A Prefeitura de São Paulo usará o evento como uma vitrine internacional para seus projetos ligados à preservação do meio ambiente, como a inspeção veicular obrigatória, a construção de parques lineares e o programa de plantio de árvores. Nessa vitrine estão as usinas instaladas nos aterros sanitários Bandeirantes e São João, desativados em 2005 e 2007, respectivamente, após chegar aos seus limites de estocagem de lixo. Hoje, o gás metano expelido nesses locais serve para a geração da energia que abastece 700 mil pessoas, o equivalente a 7% do consumo do município, segundo dados da prefeitura paulistana. As prefeituras convidadas também vão mostrar na C40 como têm lidado com seus dilemas ambientais. Tóquio, por exemplo, está incentivando as empresas locais de energia a fornecerem 20% de energia renovável até 2020. Já Paris popularizou as estações de bicicleta, com aluguel a baixo custo e funcionamento 24 horas. A capital francesa também expandiu a rede de ciclovias para cerca de 400 quilômetros em uma década. Durante a C40, está prevista a assinatura de um acordo entre o prefeito Gilberto Kassab e o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, para o intercâmbio de técnicos das duas cidades e a troca de experiências. Segundo o secretário municipal de Relações Internacionais, Alfredo Cotait, a capital paulista tem interesse no projeto de "edifícios verdes" de Nova York, que estipula padrões de construção para reduzir o consumo de água e energia em novos prédios, segundo lei municipal de 2005. "Acho que é um bom caso para tentar aprender", disse Cotait, lembrando que São Paulo já exige sistemas solares para aquecimento de água em todos os prédios novos construídos desde 2007. Por sinal, as energias limpas e renováveis também estarão em debate na C40, como instrumentos de criação de soluções sustentáveis para melhorar as condições de saúde, de tranbsporte e de vida da população, os avanços digitais são a ferramenta para resolver questões de educação. O secretário de Desenvolvimento Urbano, Miguel Bucalem, acrescenta que outros programas poderão ser adotados a partir das discussões nas mesas-redondas já programadas para o evento. "Mas cada experiência (das outras prefeituras) tem de ser avaliada de acordo com a realidade local. Não se trata apenas de importar essas práticas. É preciso estudar." Após as conferências da C40, a organização do evento vai preparar um documento relacionando as melhores práticas ambientais, que será encaminhado para os governos dos países e para a Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo é que as cidades pincem algum dos programas apresentados até a próxima reunião das prefeituras, em 2013. A Cúpula C40, presidida atualmente por Bloomberg, ocorre a cada dois anos e está em sua quarta edição. A primeira ocorreu em Londres, em 2005, por iniciativa do então prefeito Ken Livingstone. Em seguida, foram realizadas as edições de Nova York (2007) e Seul (2009). Desde 2006, a C40 conta com apoio financeiro da organização de Bill Clinton para o meio ambiente (CCI, na sigla em inglês). No mês passado, as duas instituições anunciaram uma aproximação ainda maior, com o objetivo de ampliar o número de cidades membros e também aumentar o orçamento conjunto, que gira em torno de US$ 15 milhões anuais, segundo o jornal The New York Times. A quantia é destinada ao financiamento de projetos de combate às mudanças climáticas.

Fontes: www.estadao.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

3 comentários:

  1. Um evento de grande valor por incentivar a concretização de projetos de Desenvolvimento Sustentável em grandes e médias cidades, já que são carentes de soluções verdes, alternativas para minorar os problemas de poluição, trânsito, violência (via a ecologia humana) saúde ou qualidade de vida da populaçao, educação e cultura do ser urbano. Realmente, um avanço para a criação do futuro, missão de todo ecologista.

    ResponderExcluir
  2. Um pesquisador ligado à Unesp de Rio Claro, que tem projetos de uso de materiais recicláveis em construções e na indústria de móveis, Richard Bribean está indo ao C40 em busca de demonstrar as suas propostas e obter apoio para as soluções urbanas, econômicas e ecológicas que vem desenvolvendo. Este exemplo mostra o alcance de um evento como este para avançar o futuro. ..

    ResponderExcluir
  3. PROGRAMAÇÃO DO C40

    Detalhes do evento:
    2011 31 de maio — 3 de junho
    ENCONTRO SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS
    Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel
    Endereço: Av. das Nações Unidas, 12.559 - Brooklin Novo
    Horário: 31/05 das 8h às 22h 01 e 02/06 das 8h às 21h 03/06 das 9h às 13h
    Promotor: Climate Leadership Group City Alliance - C40
    Edição: 4º
    Link: www.c40cities.org/events

    4ª Reunião de Cúpula da Rede C40 das Grandes Cidades contra as Mudanças Climáticas. Encontro que acontece a cada dois anos e que visa reunir os Prefeitos membros da C40 para discutir os resultados da Rede C40 até o momento e planejar ações futuras do grupo. O evento também serve para a troca de experiências entre as cidades na implementação de políticas ambientais e climáticas e busca permitir parcerias entre cidades no planejamento e efetivação de novas ações.

    Veja também:
    2011 3 de junho — 5 de junho
    FESTIVAL INTERNACIONAL DE FILME SOBRE ENERGIA NUCLEAR
    Local: Centro Cultural Matilha

    2011 4 de junho — 5 de junho
    VIRADA SUSTENTÁVEL
    Local: Diversos locais da cidade

    2011 6 de junho — 7 de junho
    ETHANOL SUMMIT
    Local: Grand Hyatt São Paulo

    Fonte: www.spcvb.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation