terça-feira, 7 de junho de 2011

COM MARINA E PV VÁRIOS SETORES DO PAÍS LANÇAM MOVIMENTO

Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável nasce também com pressão para Congresso e Governo mudarem estrutura de hidrelétricas e de programa energético 

A partir de uma reunião realizada na semana passada na sede da OAB Nacional, reunindo CNBB, SOS Florestas, CONIC, Fórum de ex-Ministros de Meio Ambieinte decidimos nos unir no esforço de assegurar a manutenção de uma legislação florestal condizente com o desenvolvimento sustentável do Brasil.
Desta forma, convidamos instituições e cidadãos comprometidos com o futuro sustentável do País para o lançamento do Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável.
Data: Terça-feira, dia 7 de junho
Hora: 9h30
Local: Auditório Sede da OAB – SAS Quadra 5 – Lote 1 – Bloco M – Brasília – DF

A movimentação de vários setores da população está provocando agora um novo avanço na Nação

Integram o Comitê, até o momento, as seguintes Instituições:  
·         Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)
·         Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)
·         Central Únicas dos Trabalhadores (CUT)
.         Associação Brasileira de Imprensa (ABI)
·         Fórum de ex-ministros de meio ambiente
·         Movimento SOS Florestas, composto pelas entidades Greenpeace, Instituto Socioambiental (ISA), Apremavi, Imaflora, Instituto Centro de Vida (ICV), Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) e WWF-Brasil.
·         Via Campesina
·         Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fetraf)
·         Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social
·         Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC)
·         Associação Brasileira das ONGs (ABONG)
·         Rede de Juventude Pelo Meio Ambiente (REJUMA)
·         Movimento Amazônia para Sempre
·         Movimento Humanos Direitos

              http://folhaverdenews.blogspot.com

2 comentários:

  1. Unidos os dois fatos de hoje, a pressão para que o Congresso Nacional se responsabilize por uma mudança na estrutura das megausinas e da energia no país e a fundação, por vários setores da população, do Comitê Brasil Pelas Florestas e Pelo Desenvolvimento Sustentável, o resultado é um avanço para as lutas de Marina Silva, do PV, das entidades socioambientais, dos cientistas, da juventude e de todos os que lutam para criar o futuro da Nação.

    ResponderExcluir
  2. Postado em 07/06/2011 por Equipe Marina | Categoria(s): Geral
    Lançado em Brasília o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável
    aA
    0 Comentários


    Foto: Eugenio Novaes/ENFOTOS

    A ex-senadora Marina Silva participou na manhã desta terça-feira (7) do lançamento do Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Brasília.

    “Estamos em algo semelhante ao movimento Diretas Já. Temos de avançar e não retroceder nas conquistas que já tivemos”, avaliou Marina Silva. Ela ressaltou que o Código Florestal não trata de uma questão puramente ambiental. “É o encontro da economia com ecologia”, disse a ex-ministra pouco antes de classificar esta Semana do Meio Ambiente como “uma das mais tristes da história”.
    A atriz Christiane Torloni, que representa o Movimento Amazônia para Sempre, lembrou da época da campanha Diretas Já, pela redemocratização do país, movimento do qual participou. “Na época, conseguimos colocar mais de 1 milhão de pessoas nas ruas. Acho isso perfeitamente viável, para convencer aqueles que têm de ser convencidos e de constranger aqueles que têm de ser constrangidos”, disse a atriz. “Já tivemos um presidente da República que disse para esquecer o que ele escreveu; outro, que falou que não leu o que assinou; não podemos permitir parlamentares que aleguem que não sabiam o que estavam votando”, afirmou o secretário-geral da OAB Nacional, sendo aplaudido pelo plenário da entidade lotado por representantes de mais de duas dezenas de entidades da sociedade civil que integram o Comitê.” “O desenvolvimento sustentável não pode ser uma expressão simbólica, mas vivida em sua concretude”.

    Fontes: Agência Brasil e OAB

    ResponderExcluir

Translation

translation