sexta-feira, 1 de julho de 2011

ALGUNS DO GRUPO DE MARINA AINDA FALAM EM SITUAÇÃO INDEFINIDA

"Não sei de onde surgiu esta notícia", diz Pedro Ivo, assessor político e ex-coordenador de campanha presidencial: "Ainda não está definido"

Enquanto Marina Silva está nestes momentos contatando os Verdes na Alemanha, ao vivo, por aqui chegam informações e comentários a nós enviados pelo jornalista ambiental de São Paulo Randáu Marques de que a situação não está tão definida como a grande mídia diz ou que ao invés de saída, a líder socioambientalista optará somente por um afastamento temporário do PV, até que se configure um outro "quadro nacional". Talvez, ela espere por uma última reação de lideranças ou militantes do PV, conforme a matéria do site Ig.

Com os Verdes da Alemanha ela busca novas alternativas para a luta aqui no Brasil
 Apesar dos rumores de que deixaria o PV nesta semana, integrantes do núcleo duro de Marina Silva negaram hoje que ela já tomou a decisão. Candidata verde à Presidência da República em 2010 depois de deixar o PT, ela trava uma disputa com alguns dirigentes que controlam a legenda com o estilo da velha política ou com pouca abertura para a cidadania ou para a participação de outras lideranças do partido ou mesmo do movimento socioambiental, que têm lutas em comum.
“Não sei de onde surgiu esta notícia de que ela vai anunciar sua saída já. Marina continua fazendo consultas. Com certeza, nesta semana não ocorrerá nada”, disse Pedro Ivo de Souza Batista, principal assessor político do Instituto Marina Silva (Imas). Batista foi um dos coordenadores da campanha presidencial do PV em 2010. No Ministério do Meio Ambiente, era assessor especial no gabinete da ministra. No segundo turno, Batista foi um dos integrantes do grupo de Marina que apoiou Dilma Rousseff (PT).
Ele confirmou que a ex-ministra ainda avaliou com o deputado federal Alfredo Sirkis (PV-RJ) a decisão sobre deixar o PV antes de deixar o país rumo à Alemanha: “Ela vai ouvir muita gente ainda”, afirmou.
Em entrevista ao Poder Online, Sirkis afirmara que vai tentar convencer Marina a ficar no PV.
João Paulo Capobianco, outro ex-coordenador de campanha de Marina, também afirma que Marina ainda está fazendo consultas. “Estava viajando no fim de semana e ainda não falei com ela”, disse. “Provavelmente, só deve ter uma decisão na próxima semana”, completou Capobianco, que foi secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente. Antes do feriado prolongado, Marina participou de uma palestra na Espanha. Ela voltou de viagem na quarta-feira e não teve tempo para fazer as últimas consultas sobre a saída do PV.
Há cerca de duas semanas, aumentaram os rumores de que Marina já teria decidido a sair do PV. Desde o fim da campanha eleitoral, ela trava uma briga política com o presidente nacional da sigla, José Luiz Penna, e seus aliados.Depois, surgiu a alternativa de um afastamento temporário.
Após dois mandatos como senadora pelo PT (1995-2010), Marina decidiu deixou o partido para disputar a presidência pelo PV. Ela levou militantes e aliados para sigla para aumentar sua força política na estrutura partidária.Isso irritou alguns dos dirigentes que comandam o partido há anos. Em São Paulo, boa parte do PV é aliado do PSDB. Em Brasília, setores da sigla flertam com o governo federal. Contudo, a bancada da Câmara fez um bloco com o PPS. Isso é o que se comenta nos bastidores políticos, mas não deixa também de conter o chamado veneno.

Fontes: http://ultimosegundo.ig.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

3 comentários:

  1. Isso também pode ser traduzido com a seguinte posição: talvez mais do que nunca, agora, esteja na hora de Os Verdes de variadas tendências, do partido e/ou movimento socioambiental, se reunirem em um encontro aberto, livre, público, democrático, sem mesa formada, com liberdade e microfone aberto para inscrições, tempo determinado para todos, desta forma, se configurando uma espécie mais informal de plebiscito e de convenção nacional: este fato por sua vez moverá o PV para mais perto dos seus ideais de luta e também, portanto, mais próximo de Marina Silva. Esta talvez venha a ser uma chance (a última) de uma oportunidade histórica de mudança da tual situação-limite, que ameaça desconstruir a história de mais de 20 anos do PV e prejudicar também a imagem de Marina Silva.

    ResponderExcluir
  2. Hora de ação: se estiver muito complicado fazer este encontro informal, aberto, como um ato público, nas grandes cidades tipo Rio/SP/BH onde tudo é mais complicado, podem os Verdes de todas as tendências virem aqui em Franca, no nordeste paulista, no prazo de uma semana podemos arrumar um espaço em condições de se fazer este encontro informal, para questionar esta situação-limite com liberdade e descobrir alternativas de solução para os avanços do PV, de Marina e das nossas lutas verdes que não podem sofrer um vácuo neste momento nacional

    ResponderExcluir
  3. Marcela Morais daqui do MovMarina Silva nos manda este recado



    Pessoal, esse evento foi divulgado no grupo Transição Democrática no Facebook, compartilho.



    Gostaria de convidar a todos para quinta-feira dia 07 de julho para o "Encontro para a Nova política", com a Presença da Marina, Sirkis, Guilherme Leal, Ricardo Young e demais sonhadores deste novo processo que se inicia, realizaremos uma Plenária solta, com a palavra aberta, todos que desejarem debater esse novo momento estão convidados, o encontro será as 14 horas na Crisantempo, na Rua Fidalga, 521, aqui em Sampa. Vamos todos lá, finalmente um evento como você, eu e muitos Verdes estávamos querendo, vamos à louta (com muita paz)!

    ResponderExcluir

Translation

translation