sábado, 2 de julho de 2011

ENQUANTO PV DISCUTE CRISE BELO MONTE ABRE CANTEIRO DE OBRAS

Máquinas e trabalhadores estão no Sítio Belo Monte no município de Vitória do Xingu: este tipo de fato é o perigo de um vácuo do PV neste momento nacional

Aqui, a íntegra da matéria: "O consórcio da Usina Hidrelétrica de Belo Monte já começou a instalar o primeiro canteiro de obras no Rio Xingu, no Pará. Como previsto, o consórcio aguardava apenas a abertura da primeira janela hidrológica, que é o período com menor incidência de chuvas na região, para começar a obra.
A informação do início das obras de Belo Monte só foi divulgada oficialmente no final da tarde desta sexta-feira, 1º, mas as primeiras movimentações de equipamentos e operários começaram no dia 23 de junho.
De acordo com o consórcio, a instalação do primeiro canteiro avança em ritmo intenso, com máquinas pesadas e trabalhadores atuando no Sítio Belo Monte, localizado no município de Vitória do Xingu, a cerca de 50 quilômetros de Altamira (PA), próximo à Rodovia Transamazônica.
As primeiras ações têm priorizado o desmatamento e a terraplenagem do terreno, próximo ao trecho do Rio Xingu onde serão insataladas as 18 turbinas geradoras da usina.

O que acontecerá com a região do Rio Xingu?...

...com certeza, Governo e Consórico não aproveitarão a Energia Solar...

...nem a Eólica que tem grande potencial  lá e em todo o Brasil...

...optando por megausina hidrelétrica a dano da vida do Xingu

Também serão construídos escritórios, ambulatórios médicos, almoxarifado, oficinas mecânica e de carpintaria, rampas para lavagem de caminhões e máquinas pesadas, refeitório e uma cozinha industrial capaz de preparar mil refeições por dia.
Também estão sendo montados 18 alojamentos climatizados, cada um capaz de abrigar 32 trabalhadores, até que as primeiras construções definitivas sejam construídas.
A previsão do consórcio é que os equipamentos mais pesados cheguem ao cais da região já na próxima semana. Segundo o consórcio, máquinas como tratores de esteira e motoniveladoras só começarão a ser utilizadas na obra após testadas e aprovadas por técnicos, que analisam a eficiência operacional dos equipamentos e, principalmente, se atendem às exigências ambientais relativas à emissão de gases poluentes".

Fontes: Agência Brasil
              www.estadao.com.br
              http://folhaverdenews.blogspot.com

2 comentários:

  1. O PV e também o movimento de cidadania e socioambiental, os que estão envolvidos com a crise do PV, precisamos o mais rapidamente resolver esta situação-limite para ajudarmos que não aconteça o pior nas questões ambientais mais urgentes da pauta do Brasil hoje, como Belo Monte (onde cientistas pedem um mix de pequenas hidrelétricas com energias solar e eólica) e também, Código Florestal, Reforma Política, implantação de uma política de sustentabilidade antes que seja tarde demais.

    ResponderExcluir
  2. Alguns ou nem todos os Verdes compreenderam a dimensão do perigo que há tempos eu e outros vimos alertando sobre os riscos de um vácuo do PV (o que influi e fragiliza toda a luta socioambiental no país agora, vivendo momentos de decisão em vários casos de grande alcance). Em várias postagens aqui e em outros sites ligados à ecologia por várias vezes foi colocada a questão: a quem interessa uma crise verde neste momento do país?...Temos que agir rápido antes que esta resposta se concretize.

    ResponderExcluir

Translation

translation