sexta-feira, 8 de julho de 2011

Erros históricos poluiram o PV e a política, prejudicando a Nação

Padinha sai fora da política partidária e vai se dedicar só a projetos culturais, ecológicos, pessoais, com toda liberdade

Falta de abertura ao Coletivo Verde prejudica imagem do PV, de Marina e da lutas tambientalistas, isso é a ressaca da noite de desfiliação de Marina Silva, do asfastamento branco de Alfredo Sirkis e de uma série de erros históricos. Não vou ficar aqui remoendo os equívocos, mesmo porque há 3 meses vinha pedindo nos contatos com lideranças verdes, também através do blog Folha Verde, dos sites da RedePV e Movimento Marina Silva, que fosse realizado um encontro, pelo menos um, democrático de verdade, que realizássemos um Plebiscito e reciclássemos o PV: mas novamente, só foi aberto espaço para aquela meia dúzia de sempre e alguns deles, evidentemente, muito muito pouco interessados em preservar o potencial do partido que há 25 anos ajudei a fundar pelo movimento da Não-Violência. Sou apenas um ecologista, não tenho cargo nenhum nem disputo poder partidário, talvez porisso eu não seja ouvido nem valorizado. Porém, gente como eu, dinossauros ou jovens militantes, deveriam ter as suas opiniões ouvidas e respeitadas. Mas agora se consumou o pior para o PV e até para a imagem de Marina.  Em toda a mídia erroneamente o enfoque foi que o problema era o PV, quando na verdade o câncer está na própria estrutura da política partidária no país, as decisões errôneas da Executiva Nacional foram jogadas em cima da instituição, sem que nem 1% dos filiados pudessem ter se manifestado. Estou entre os 99% silenciados, 0,5% a turma do Penna, 0,5% a dos que optaram simplesmente por tirar o corpo fora.
O fato está consumado e infelizmente, mais uma vez sem sabedoria, não foi ouvido o Coletivo Verde, só um ou outro dirigente e vários pretensos líderes. Marina foi envolvida nesta tragicomédia. Lutar por uma nova forma de fazer política foi a nossa proposta há 25 anos, na fundação, eu sempre lutei por isso e agora, alguns gênios verdes descobriram isso, mal percebendo que a poluição da imagem do PV, a fragilização das lutas ambientais sem um instrumento político definido, a neutralização da liderança de Marina Silva é que ficaram neste rescaldo. Pode acontecer que um movimento de cidadania reative as lutas verdes, mas pode ser também que esta série de impasses, erros, limites e numa palavra, burradas, travem o avanço da Nação a um desenvolvimento sustentável.


 
Esta é a última edição do Folha Verde News

 
Só quero avisar que ninguém está autorizado a falar em meu nome e nada por mim, eu não fui ouvido, sou mais ecologista do que muita gente que se arvora por aí e assim como há 25 anos vim assumindo a proposta ideal do PV,  agora, vou me dedicar mais ao meu trabalho cultural, o mais pessoal possível, sem abandonar os meus ideais da ecologia, da não-violência, do vegetarianismo, do desenvolvimento sustentável, mas levando em frente o meu potencial e deixando a política para os iluminados no Brasil pelas trevas da vaidade e até da ignorância, além da falta de ética e de democracia. Falando em cidadania mas usando a violência da velha política, os políticos, até no PV, seus opositores internos e externos (para alegria dos ruralistas e dos lobbies como dos agrotóxicos e das megausinas e atividades poluidoras ou devastadoras do meio ambiente) conseguiram sepultar o sonho de toda uma geração que pretendia criar o futuro do país. Espero que uns e outros iluminados consigam ressuscitar este sonho, a bem da nossa população, da nossa natureza, da qualidade de vida para todos.

Já estou a partir de hoje em outra, vou ajudar evenbtuais candidatos do PV em 2012 ou 2014 com propostas de ecodesenvolvimento, mas já estou em outra fronteira de luta, voltando a trabalho cultural, autoral, onde só dependendo de mim mesmo e só me comprometo por meus próprios erros ou limites. Voltando à poesia cointemporânea, que havia abortado precocemente do meu dia a dia, volto também a me dedicar integralmente ao trabalho de TV, jornalismo e até cinema (nem tinha mais tempo para pensar em nada disso). Depois de ter sido recordista de censura na TV, de ter colocado a minha vida em risco na luta antiditatorial, de ter me dedicado de alma a uma concretização dos ideais do PV (nunca atingidos por culpa das cúpulas e não do Coletivo Verde silenciado) após ter me reequilibrado nas últimas duas décadas graças à alimentação vegetariana, ao esporte e à tentativa de praticar a não-violência, agora me sinto um garoto com um know-how de mais de meio século para recomeçar o desafio de concretizar os meus projetos mais pessoais. Através da luta cultural acredito que poderei participar mais e produzir mais frutos para mudar a atual realidade brasileira, não só da política, de toda estrutura de vida. Esta é também a última edição do blog Folha Verde News. A partir de agora vou me concentrar somente em um webespaço pessoal, autoral, ecológico e cultural, com uma equipe de confiança, com toda a liberdade de ação e na melhor perspectiva de estimular o povo a mudar a realidade atual e criar o futuro do país e da vida.
Não vou ficar criticamente, porque fiz isso em vão nos meus 25 anos de PV, não vou pedir uma licença ou um afastamento branco do Partido Verde porque não tenho nenhum cargo e nenhum poder partidário, a não ser a autoridade moral, que preservo, com a minha desfiliação do melhor entre os partidos políticos do Brasil, cada um pior que o outro. Eu me afasto da política partidária mas continuarei a lutar politicamente mas contando só com as minhas próprias forças que a natureza e Deus me deram e com o alcance da mass midia hoje. Obrigado aos que me entenderam e tentaram me estimular no meu caminho alternativo, perdoo os adversários e até os eventuais inimigos, de dentro e fora do PV, zerado parto para uma nova revolução em minha vida, amo desafios e revoluções, detesto mediocridade e amarras ou armações, lutarei para quebrar as estruturas que travam ainda hoje um avanço cultural brasileiro. Só ele poderá avançar o Brasil e garantir o futuro da ecologia e da vida.
O blog Folha Verde News já estava alcançando após quase um ano de luta com liberdade de informação cerca de 60 mil internautas, agora planejo voltar à comunicação de massa, em especial na TV, sem abandonar a Internet e o jornalismo, me dedicando com exclusividade ao trabalho mais individual de pesquisa de linguagem em texto. Usando bem estas ferramentas de meu trabalho é capaz que eu seja mais útil a meu país e mais feliz como ser humano. (Antônio de Pádua, ecologista Padinha, renascendo do caos)

Padinha entre produtores culturais que se identificam com a cultura da vida
         
Fonte: Folha Verde News

3 comentários:

  1. Nesta última edição, homenagem aos companheiros de blog, David Radesca e Aguinaldo Lazarini.

    ResponderExcluir
  2. Um útimo comentário é uma homenagem à guerreira e líder verde, mesmo fora do PV, Marina Silva. Vamos à luta, em variadas e diferentes frantes, pela criação do futuro. À luta, com paz

    ResponderExcluir

Translation

translation