quinta-feira, 7 de julho de 2011

MARINA QUER CRIAR NOVO MODELO DE POLÍTICA PARA O PARTIDO VERDE E O BRASIL


A ex-ministra brasileira do Meio Ambiente Marina Silva afirmou que há no mundo uma crise que pede uma “nova forma de fazer política”, ainda inexistente. ...

Em nota divulgada nesta quinta-feira, o Partido Verde (PV) disse que enfrenta sua "primeira grande crise de crescimento" após a saída da ex-ministra Marina Silva e outros membros. "O Partido Verde e suas lutas, entretanto, são maiores do que qualquer pessoa. Temos certeza de que ultrapassaremos os problemas atuais e sairemos fortalecidos desse processo", afirmou a nota. Marina anunciou hoje a saída da legenda pela qual disputou a presidência da República em 2010 e obteve 19,6 milhões de votos, cerca de 20% do eleitorado brasileiro.
O chamado "Encontro Por Uma Nova Política" reuniu mais de 300 pessoas, entre apoiadores e simpatizantes, além de políticos como Alfredo Sirkis, Ricardo Young e Fernando Gabeira, que deu uma breve declaração por Skype. "O movimento que surge hoje é muito importante e representa uma resposta a um problema, que é o de aproximar a sociedade dos grandes temas. Desejo sucesso a todos e contem comigo", disse Gabeira, que segue no PV. Sirkis e Guilherme Leal, candidato a vice na chapa de Marina na última eleição, saíram do partido.
"O Partido Verde lamenta muito essa falsa polêmica artificialmente inflada sobre a falta de democracia interna, que tem gerado distorções injustas na imprensa brasileira. Continuaremos sempre abertos para receber em nossas fileiras pessoas que entendem que a luta pelo coletivo é muito mais relevante do que a luta pelo individual. Enfatizamos, contudo, que, independentemente de qualquer pessoa, o partido opta por continuar pautado por seus princípios e ideais", afirmou a nota divulgada pelo PV.
No discurso de adeus ao partido, Marina Silva ressaltou que está mantendo a coerência do seu discurso e criticou o PV. "Estamos aqui hoje para reafirmar que esta continua sendo a nossa palavra, que vale o que está escrito. Está nesta palavra dada a principal razão pela qual eu mesma e tantos companheiros estamos nos afastando do Partido Verde. Para manter nossa coerência e seguir em frente, em união com aqueles que, embora não se desligando do partido por diversas razões, permanecerão críticos e em consonância com o mesmo pensamento", disse.

No adeus ao Partido Verde, Marina Silva fez um discurso defendendo uma "nova política"

No final da nota, o PV garantiu manter os seguintes compromissos: preparar o partido para a atualização estatutária e programática, a ser aprovada em convenção nacional que será realizada em março de 2012; mobilizar o partido para responder da forma devida aos principais temas em pauta no País, como a reforma política e a reforma tributária, assim como para enfrentar a pressão por retrocessos na legislação florestal e pela implantação de novas usinas nucleares, entre vários outros assuntos importantes que poderiam ser citados, e promover o recadastramento dos filiados, simultaneamente a uma grande campanha nacional por novas filiações.

Marina libera aliados para se abrigar em outros partidos

Marina Silva deve criar novo partido após eleições municipais

 

Prestes a deixar o PV, a ex-senadora Marina Silva, terceira colocada nas eleições presidenciais de 2010, autorizou aliados do partido a se abrigar em outras legendas para disputar as eleições municipais de 2012. A orientação é que os "marineiros" aguardem em partidos da base de apoio e da oposição ao governo de Dilma Rousseff até o momento em que Marina funde uma nova sigla, com o objetivo de concorrer ao Planalto em 2014. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.
As filiações foram liberadas depois que Marina foi pressionada por aliados que temiam sair do PV e ficar sem legenda para disputar cargos eletivos no ano que vem. Outros apoiadores foram autorizados a permanecer no PV, numa espécie de "afastamento branco". Em reunião com integrantes do Movimento Marina Silva, que apoiou sua campanha à Presidência, a ex-senadora prometeu respeitar os acordos que forem fechados em cada Estado. Marina pretende subir no palanque de candidatos a prefeito ligados à causa ecológica, mas pode ficar sem aliados nas maiores capitais. Seus pré-candidatos naturais no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Belo Horizonte não têm garantia de espaço em outros partidos.

Entrevista Exclusiva para o site Terra:
http://noticias.terra.com.br/brasil/fotos/0,,OI155218-EI306,00-Veja+fotos+da+entrevista+de+Marina+Silva+ao+Terra.html
Foto: Léo Pinheiro/Terra
http://noticias.terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translation

translation