domingo, 31 de julho de 2011

OPINIÃO PÚBLICA RESPEITADA PELOS POLÍTICOS...NA ISLÂNDIA

Constituinte da Islândia testa limites da política pela Internet, povo participa e este país avança


Página do conselho constitucional da Islândia no Facebook 
Conselho recebeu milhares de sugestões para a nova Carta por meio do Facebook e do Twitter

O Parlamento da Islândia apresenta nesta semana que vem o projeto da primeira Constituição do mundo formulada com sugestões populares enviadas por meio de redes sociais na Internet. A experiência islandesa com a criação de leis por meio de crowdsourcing (uso de habilidades individuais para gerar uma produção coletiva pela Internet) levanta o debate sobre as possibilidades e os limites do uso da rede na formulação de políticas públicas.

Tecnologia facilita participação coletiva

A nova Constituição islandesa, que ainda deverá ser discutida no Parlamento e aprovada em um possível referendo, foi formulada por um conselho formado por 25 membros eleitos, mas contou com cerca de 3.500 sugestões enviadas por meio do Facebook, do Twitter ou diretamente na página do conselho constitucional na Internet.
“Sem a participação popular, o projeto final da Constituição seria certamente diferente”, afirmou a presidente do conselho constitucional, Salvör Nordal, em entrevista à BBC Brasil.
“Tivemos sugestões populares muito boas, que foram incorporadas à proposta final, principalmente nas áreas de transparência, direitos humanos e uso dos recursos naturais”, observa Nordal: "O povo daqui está cada vez mais atento nas questões da cidadania e da ecologia, o meio ambiente foi uma das áreas com mais sugestões populares". Sinal dos tempos, o Brasil precisa despertar para a democracia via Internet nos temas mais polêmicos da atualidade.
Fontes: BBC
             folhaverdenews.blogspot.com


Um comentário:

  1. Questões como Belo Monte e megausinas hidrelétricas, termelétricas, nucleares, Código Florestal, plebiscitos para ouvir a opinião da população podem no Brasil também usar os recursos da Internet para ampliar a democracia, a cidadania e valorizar o coletivo nas decisões de maior importância na Nação. A tecnologia digital possibilita este avanço, só falta saber se os políticos brasileiros terão essa grandeza de ouvir o povo...

    ResponderExcluir

Translation

translation