Se o fato se concretizar hoje isso travará um avanço político da Nação


Quando concorreu à Presidência da República pelo PV nas eleições do ano passado, Marina Silva conquistou o voto de quase 20 milhões de eleitores. Hoje, prestes a deixar a legenda, especialistas observam que, provavelmente, quem perderá com a saída da ex-senadora será o partido."O PV vai perder os eleitores que a Marina conseguiu agregar nas eleições de 2010. Os votos foram por causa das qualidades pessoais dela", afirma José Álvaro Moisés, professor de ciência política da USP. Para Moisés, o PV mostra uma enorme rigidez ao ser incapaz de absorver uma nova liderança com o perfil de Marina: "Jovem, mulher, de uma região menos desenvolvida do País". "Ela tem uma série de características que poderia agregar voto ao partido, mas eles não foram capazes de negociar para mantê-la." O cientista político Leonardo Barreto foi mais duro ao criticar a legenda. Segundo ele, o PV não tem um padrão de correligionários: "Isso fica evidente quando vemos que, de um lado, o partido tem um político liberal, como o Fernando Gabeira e, de outro, um conservador, de uma família oligárquica, como o Zequinha Sarney."  Na opinião de Geraldo Tadeu Monteiro, presidente do Instituto Brasileiro de Pesquisa Social (IBPS), criar um novo partido seria a opção mais correta neste momento para o grupo de Marina, mas também a mais difícil, talvez ela se afaste temporariamente para voltar em outra situação, mantendo-se nas lutas nacionais e socioambientais” Marina Silva afirmou ao desembarcar no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, vinda de Congresso dos Verdes na Alemanha, que comentará sua possível saída do Partido Verde somente nesta quinta-feira, 7 de julho, hoje, em evento que deverá ocorrer em São Paulo , que contará com a presença ao vivo de nosso editor Padinha, que também foi um dos fundadores do PV ao final dos anos 80, quando atuava em TV e cinema e militava no movimento da Não-Violência em São Paulo : “Fico muito triste com todos estes acontecimentos, mas de repente neste casos ou nesse apocalipse todo, os Verdes de verdade e entre eles, incluo Marina, assim como outros que estão de saída ou para se licenciarem por uns tempos do PV, de repente, haverá daqui um tempo uma virada, com a cidadania prevalecendo sobre a velha política”.
O próprio Antônio de Pádua, o ecologista Padinha, ainda está em dúvida sobre a melhor posição pessoal: “Estou deixando amadurecer naturalmente um posicionamento, lá na Vila Madalena, observando os fatos, ouvindo outros Verdes, como a própria Marina Silva, vou também me posicionar”.Em resumo, ele disse que “caso eu me afaste neste momento do PV, continuarei Verde, como sou há uns 25 anos, Verde, vegetariano, pacifista, indo à luta pela mudança da atual realidade e pela criação do futuro, do futuro da vida também, ela mesma está ameaçada dentro de todo este contexto de violência e de politicagem que vigora hoje em dia no país”.
Outro proposta dele é a de lutar por uma Reforma Política “que seja de verdade no Brasil, uma nova estrutura na legislação, também eleitoral, para acelerar as mudanças, esta luta terá que ter o apoio de quem está no partido ou no movimento verde”.
Além do mais todos os que lutam pela ecologia estão também preocupados no momento com questões como o Código Florestal, megausinas como Belo Monte  e outros problemas, que podem ser agravados com a crise do PV.

Um momento de tensão política

Voltando à Marina Silva
Questionada pelo G1 sobre rumores de seu desligamento da legenda, a ex-candidata à presidência da República em 2010 disse que não falaria a respeito do assunto naquele momento. “Não estou falando sobre isso e não falarei aqui. Vou falar somente no encontro da quinta-feira e agora estou indo direto ao médico”, disse a ex-senadora, que iria procurar um oftalmologista para verificar um derrame na vista esquerda.  Nas próximas horas aqui teremos mais informações sobre este momento histórico do PV, que é também um desafio muito difícil para os Verdes.  (Lazarini)

A gente lembra a todos os que estão saindo ou se afastando temporariamente do PV (por causa de dissidência com a atual Executiva Nacional) uma das primeiras canções de Caetano Veloso: ..."Não tou indo embora, tou só preparando a hora de voltar"...E deixamos duas perguntas no ar: a quem interessa um enfraquecimento dos Verdes, a não ser os que são contrários à ecologia e ao Desenvolvimento Sustentável? Esta crise verde foi plantada por estes grandes interesses?