sexta-feira, 26 de agosto de 2011

GENTE DA PRÓPRIA GLOBO CRITICA JN E MÍDIA POR BELO MONTE

Até atores e atrizes de novela trocam mensagens críticas sobre falta de cobertura a Belo Monte

De nada adianta a Globo lançar manual de conduta com regras para o casting com relação ao uso de mídias sociais como Twitter e Facebook. Nesta semana, alguns artistas da emissora questionaram no Twitter o "Jornal Nacional", por conta de uma reportagem sobre a construção da Usina de Belo Monte, na Bacia do Rio Xingu, no Pará, megausina com muitas sequelas ambientais e sociais que vem sendo criticada por cientistas e lideranças do movimento socioambiental do país, que reivindincam investimentos em centrais energéticas mais sustentáveis, como as usinas Eólica e Solar ou várias microusinas ao invés de uma mega, alternativas viáveis para equilibrar economia e ecologia. O polêmico empreendimento tem de um lado o argumento de ser uma das maiores obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal. Do outro, há uma longa discussão sobre o impacto ambiental e social  (no caso, sobre comunidades locais, ribeirinhas e indígenas) reflexos da megausina na região, numa área estratégica para a Amazônia.

Paulo Vilhena e Thaila Ayalla

A atriz Thaila Ayalla, que fez "Ti Ti Ti", atacou diretamente o "JN" no Twitter:
"É claro q a matéria sobre belo monte no @jntvglobobrasil deixou a desejar, maquiaram, omitiram e deram destaque nas coisas erradas"
Paulo Vilhena, de "Morde & Assopra" também questionou o motivo da demora do noticiário para falar sobre Belo Monte.
"Finalmente o absurdo chamado #belomonte comeca a receber atencao da midia!!hj no #jornalnacional", postou o ator no Twitter.

Mais chegados afirmaram que Ayalla já teme ser boicotada pelo Rede Globo

Vários outros atores e atrizes, como Fernanda Souza, concordaram com Vilhena e Ayalla na web. Isso significa que já está se formando uma opinião pública nacional sobre esta questão, a grande mídia precisa enfocar Belo Monte com mais abrangência ou imparcialidade e o Governo ouvir a voz do povo, que já começa demonstrar sua preferência por opções de desenvolvimento sustentável, que avançam a economia sem destruir a ecologia que resta no Brasil. E tem o ditato: voz do povo, voz de Deus.


Fontes: UOL
            http://folhaverdenews.blogspot.com



2 comentários:

  1. Nesta questão de Belo Monte e de outros tantos megaempreendimentos do PAC, repito o que já disse, a continuar assim, a natureza é que vai pagar o pato. De toda forma, a luta dos mais variados setores da população por alternativas de desenvolvimento sustentável (avançando a economia do país, sem destruir o que resta da ecologia) é um sinal de que o Brasil mudou. O Governo e a grande mídia precisam acompanhar este movimento de criação do futuro da nossa vida.

    ResponderExcluir
  2. Por falar em voz do povo, voz de deus, seria importante o Governo fazer nem se fosse via Internet uma consulta popular sobre as medidas mais polêmicas do Código Florestal ou sobre empreendimentos controversos como Belo Monte, não precisa ser um Plebiscito, mas pelo menos uma enquete via a mídia contemporânea, para assim, democratizar estas discussões sobre meio ambiente no país.

    ResponderExcluir

Translation

translation