segunda-feira, 22 de agosto de 2011

MANIFESTAÇÕES POR BELO MONTE E CÓDIGO FLORESTAL EM TODO PAÍS

Mais de mil ecologistas contra Belo Monte em São Paulo

Debaixo de chuva, cerca de mil pessoas participaram no sábado (20), na Avenida Paulista, de manifestação contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte no Rio Xingu. O cálculo é da Polícia Militar. Os organizadores do protesto, porém, estimam em mais de 2 mil o número de pessoas presentes ao protesto. Este evento se repetiu no sábado ou no domingo em várias regiões do país e até fora dele também: em Franca e em Ribeirão Preto, em Salvador, em Brasília, em Manaus, na própria região do rio Xingu os defensores das leis ambientais pediram bom senso e desenvolvimento sustentável.

Em SP o Comitê em Defesa das Florestas comandou a massa

Em Brasília e en dezenas de cidades brasileiras...




Com cartazes, faixas e gritos, os manifestantes reivindicaram a paralisação imediata da obra. Ambientalistas e índios do região do Xingu defenderam, inclusive, a ocupação do canteiro de obras da usina, no Pará. “Belo Monte é injusta, suja e burra”, disse Clarissa Beretz, do Movimento Brasil pela Vida nas Florestas, integrante da organização do ato. “O governo quer enfiar a usina goela abaixo”, acrescentou. O cacique Megaron Txucarranãe, da etnia Kayapó, reclamou que o governo não tem ouvido os pedidos da comunidade indígena. “A barragem vai prejudicar os índios. O governo não escuta, nem respeita os índios.”
A manifestação começou por volta das 14h30, ao lado do Museu de Arte de São Paulo (Masp). Escoltados pela polícia, os manifestantes seguiram pela Avenida Paulista até a Rua Bela Cintra, onde ocuparam todas as pistas por cerca de meia hora, impedindo a circulação dos carros.
Os manifestantes queimaram um boneco de palha e disseram: “Para Belo Monte ou paramos o Brasil”. Depois, foram para a sede do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), onde protestaram contra as concessões dadas pelo órgão para o início das obras da usina. Por volta das 17h30, colaram cartazes na porta do instituto e encerraram o ato.
Além de São Paulo, os ativistas programaram manifestações em Belém, Brasília, no Rio de Janeiro e em mais 11 cidades. Segundo os movimentos sociais, haverá manifestações também na próxima segunda-feira (22) em cerca de 20 cidades em 16 países – entre eles, os Estados Unidos, a Alemanha, a Inglaterra, a Noruega, o Irã, a Turquia e a Austrália. Os protestos serão em frente às embaixadas e consulados brasileiros.

Fonte: Vinicius Konchinski/ Agência Brasil
             http://folhaverdenews.blogspot.com/

Um comentário:

  1. Em Franca, agito do pessoal do Indesufran, bem como creio que do grupo Alma, este tipo de evento atualiza a cidade e a região, sintonizando mudanças necessárias no país a favor do desenvolvimento sustentável e do futuro da vida.

    ResponderExcluir

Translation

translation