domingo, 11 de setembro de 2011

BASQUETE DO BRASIL CONQUISTA VAGA NA OLIMPÍADA E NA HISTÓRIA

Em Mar Del Plata Brasil faz final com Argentina mas já se classificou para a Olimpíada de Londres

Com base nas informações da reportagem especial do site do jornal O Estado de São Paulo, feita no local do evento, aqui para você um resumo do Padinha para você: ontem, 10 de setembro de 2011, entrará para a história como o dia em que o basquete masculino brasileiro renasceu: nesta noite, em Mar del Plata, na Argentina, o Brasil venceu a República Dominicana por 83 a 76, nas semifinais do Pré-Olímpico das Américas e se classificou para disputar uma Olimpíada após 16 anos de ausência e de fracassos internacionais. Desde a geração de Oscar Schmidt a seleção brasileira não conquistava uma vaga. O resultado carimbou o passaporte do Brasil para Londres/2012. Esta conquista com certeza beneficiará também Franca, a capital brasileira do basquetebol de arte, mesmo porque o esporte é hoje um fator de Desenvolvimento Sustentável.

Uma grande vitória e...

...uma conquista histórica do basquete do Brasil

O destaque na partida de decisão da classificação brasileira foi o ala Marcelinho Machado. Se seus arremessos precipitados muitas vezes em outros jogos prejudicaram o Brasil, desta vez a mão calibrada do flamenguista foi decisiva. Foram 20 pontos do cestinha na partida, que acertou cinco das suas oito tentativas da linha dos três pontos. Esta foi a quinta vez que Machado tentou levar o Brasil a uma Olimpíada. Finalmente conseguiu e, neste jogo, como herói. Assim como ele, praticamente todos os brasileiros desabaram no choro ao término do jogo. Uma conquista de muita emoção e de grande importância para o esporte e a imagem internacional do Brasil.
Único jogador da NBA a defender o Brasil no Pré-Olímpico, o pivô Tiago Splitter ficou apenas onze minutos em quadra. Fez três pontos e levou três tocos. O ala Guilherme Giovannoni, responsável pela marcação de Al Horford, foi determinado na defesa, mas ambém só fez três pontos. Herói da vitória sobre a argentina e novo xodó do basquete brasileiro, Rafael Hettsheimer (que joga na Espanha) teve 14 pontos e oito rebotes em 21 minutos de quadra. Marcelinho Huertas, principal jogador do basquete brasileiro, também esteve bem neste sábado, prá variar. Teve quatro erros, mas fez 19 pontos e deu sete assistências. Os dois pivôs da República Dominicana, Al Horford e Jack Martinez, foram responsáveis por 18 pontos cada um. Este último pegou 15 rebotes. Dois monstros, parados pelo basquete coletivo brasileiro, dirigido pelo técnico argentino Magnano. Em vez de priorizar uma ou outra estrela, a filosofia deste grupo foi o jogo de equipe, meio que assim no estilo que consagra os basqueteiros francanos, defesa forte e contrataque rápido.
Neste domingo, o Brasil volta à quadra para a grande final do Pré-Olímpico. Se ganhar, sendo então o campeão das Américas, o basquete brasileiro chega com mais moral para a disputa mundial na Inglaterra.

Fontes: www.estadao.com.br
              http://folhaverdenews.blogspot.com

8 comentários:

  1. Franca, a capital nacional do basquete, e todo o Brasil comemoram finalmente uma chance de nossa seleção basuqteira participar de uma Olimpíada, no caso, no ano que vem em Londres. De quebra, nosso basquetebol chega à final latinoamericana do pré-Olímpico em Mar Del Plata, em busca de um título de campeão contimental. Mesmo que seja só vice-campeão, a conquista da vaga olímpica já valeu a luta de mais de 20 anos dos que amam este esporte emn nosso país. Parabéns a todos, tambem até ao nosso treinador argentino.

    ResponderExcluir
  2. Durante muito tempo na Seleção Brasileira em todos os tipos de competições internacionais sempre havia 3, 4 ou até 5 do basquetebol de Franca no selecionado nacional. Jovassi Corrêa Dias, da Rádio Imperador AM, comenta que na brilhante campanha brasileira (conquistando vaga na Olimpíada de Londres após 2 décadas) nesta campanha vitoriosa agora não tinha nenhum atleta do basquetebol francano, a não ser dois que passaram por aqui anteriormente e um poutro, revelado pela Aspa e que não teve chance na equipe daqui. Realmente, aproveitando este potencial de avanço do basquete nacional, o da capital do basquetebol também precisa avançar, resgatando seus melhores tempos.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Pois é Padinha, hoje o mundo voltado para o "11 de setembro de NY"... Ao "repórter de ecologia, editor de conteúdo Antônio de Pádua Padinha (autor, cineasta, roteirista, homem de TV, poeta e... futebolista do Dinossauros Futebol Arte, guia desta aventura coletiva)" e outros títulos que não precisa aparecer aqui, desejo realizações plenas! Paz no mundo.

    ResponderExcluir
  5. Tiago Splitter, que passou pleo basquete de Franca quando ainda juvenil, teve dificuldades para jogar diante da República Dominicana, que como ele mesmo disse soube carregar o Brasil nas faltas, mas nem por isso deixou de comemorar a vaga histórica para os Jogos Olímpicos. Depois de tantos anos, ele dedicou a vitória aos "basqueteiros" de todo o Brasil, os que ficaram no País e os que foram a Mar del Plata, na Argentina, palco do Pré-Olímpico das Américas, para torcer. "Com certeza, uma coqnuista para todo o basquetebol brasileiro", disse Tiago Splitter em entrevista ao site Terra neste domingo.

    ResponderExcluir
  6. E aqui, em nome do nosso editor de conteúdo, o repórter e ecologista Padinha, a equipe do blog Folha Verde News, de plantão nesse domingo, agradece a mensagem que nos chega de Curitiba via a Brazil Press e João Noronha, além dos cumprimentos, pedindo pela paz no mundo neste 11S, que ainda terá a sua verdadeira história contada, quando a liberdade de informação realmente existir na Terra.

    ResponderExcluir
  7. Macarrão de Vitor Benite

    Bater um belo prato de macarrão antes dos jogos nem sempre cai bem, mas em Mar del Plata ajudou o Brasil a chegar às Olimpíadas. Superstição de atletas ou não, este lance está sendo visto lá nos bastidores em Mar Del Plata como decisivo para o sucesso do Brasil no Pré-Olímpico, além do jogo coletivo e da defesa forte. A mania de Vitor Benite foi vista como amuleto pelos atletas, que pediram para o ala-armador preparar e todos comerem a iguaria antes de todas as partidas. Deu certo...(Comentário no site UOL enviado ao nosso blog)

    ResponderExcluir
  8. No domingo, 80 X 75, a Argentina ficou com o título de campeão, o Brasil com o de vice, mas com a alegria de ter conquistado (depois de 2 décadas fora) vaga para a Olimpíada: assim, a medalha de prata em Mar Del Plata para a Seleção Brasileira de basquete valeu ouro.

    ResponderExcluir

Translation

translation