sábado, 17 de setembro de 2011

DALAI LAMA VAI EMBORA HOJE MAS SUA PASSAGEM MUDOU O CLIMA

Dalai Lama sugere à imprensa e produtores culturais: vocês devem ter um nariz de elefante
Dalai Lama fala durante coletiva em São Paulo. Foto: Fernando Borges/Terra Dalai Lama fala durante coletiva em São Paulo Foto: Fernando Borges
Simone Sartori juntamente com Fernando Borges fez esta reportagem para o Terra, que você confere aqui no nosso blog Folha Verde News, que sintetiza bem a passagem de Dalai Lama pelo Brasil, ele já está indo de volta ao Tibet neste sábado, teve contatos articulados por Lia Diskin, da Palas Athenas, que passou a pauta da visita do líder da Não-Violência ao repórter e ecologista Padinha: Dalai Lama contatou empresários para debater sobre desenvolvimento sustentável (equilíbrio entre ecologia e economia), com budistas e outras lideranças religiosas discorreu sobre o valor da meditação, divulgou num encontro de cidadania a importância da tolerância e da convivência entre pessoas ou instituições de linhas diferentes, entre outros contatos e participações em eventos. Nesta sua quarta visita ao Brasil, o 14º Dalai Lama, Tenzin Gyatso, líder espiritual do Tibete, defendeu, durante coletiva em São Paulo, a busca por harmonia entre diferentes tradições religiosas. Ele destacou também o papel da imprensa e dos produtores culturais no combate à corrupção nas mais variadas instâncias. "Vocês devem ter um nariz tão longo quanto a tromba de um elefante. Vocês precisam farejar tudo", disse ele, que apontou ainda a prática da ética como caminho para reduzir os problemas no mundo.
"Talvez vocês, jornalistas, não estejam necessariamente ligados nessas coisas que eu falei, mas eu trago esse assunto porque vocês têm um papel muito importante a desempenhar na promoção desses valores. Como nós sabemos, muitas vezes, o que a imprensa divulga são fatos negativos, as pessoas se interessam por isso. E tudo bem que vocês cubram isso, mas costumo dizer que vocês têm que ter um nariz tão longo quanto a tromba de um elefante. Vocês precisam farejar tudo, por todos os ângulos. Vocês têm que ter um fato apurado para conhecer o que tem ali por trás. Isso em relação a todo o tipo de pessoa: líderes religiosos, políticos, advogados, porque infelizmente em todas as profissões encontramos corrupção."
Dalai Lama ressaltou que a investigação por parte da imprensa deve ser sempre conduzida de forma completa. Para ele, isso deve ocorrer principalmente no Brasil, "um País que está experimentando um desenvolvimento muito rápido".
O líder espiritual voltou a defender a igualdade entre os seres humanos e a se referir a si mesmo como "mais um". "Meu primeiro compromisso é buscar criar uma consciência sobre essa igualdade entre todos os seres humanos, que compartilham um só país, azul, que é a nossa casa. Então, nós devemos nos considerar como irmãos e ser conscientes de que compartilhamos uma só casa, que devemos cuidar. Estou aqui como ser humano, como um dentro de sete bilhões de seres humanos que existem no mundo."
Questionado sobre como a religiosidade pode ajudar no futuro da humanidade, ele voltou a destacar que as tradições religiosas têm na essência a mesma mensagem e que é preciso respeitar as diferenças. Dalai Lama sugeriu que a oração e a meditação devem ser aplicadas no cotidiano ao invés de serem deixadas "trancadas" no quarto.
"Apesar das diferenças religiosas, de diferentes abordagens, todas as grandes religiões do mundo têm a mesma mensagem: amor, compaixão e o perdão." Ele defende que as diferentes abordagens são necessárias, já que se houvesse uma só religião no mundo, "por mais maravilhosa que fosse, isso não ia funcionar. (...) Para algumas pessoas, a disposição mental delas, o conceito de um criador, de Deus, é um instrumento muito poderoso e eficaz. Porém, para outras pessoas, não há nenhum eco com esse tipo de ideia", afirmou.
"O budismo diz que cada pessoa é um criador, tudo acontece de acordo com os próprios atos daquela pessoa. Aqui, estou falando da lei da causalidade. Para outra pessoa essa atitude vai ser mais eficaz. Além dessas duas abordagens, é importante ter uma terceira via, que não passe pela religião. (As divergências religiosas) são necessárias e têm o mesmo objetivo, que é buscar a paz interior. Essa busca pela paz tem um efeito que pode se estender de uma pessoa, para uma família, para uma comunidade. É importante termos a necessidade de diferentes abordagens, que visam o mesmo fim. Eu tenho muitos amigos que são cristãos, que são judeus, que são muçulmanos".
Dalai Lama pregou ética e altruísmo à classe. Ele exaltou o Brasil e sugeriu um plano econômico holístico e sustentável. O líder espiritual deve embarcar hoje à noite para os Estados Unidos. Antes, ainda no Brasil, ele lidera um encontro de conteúdo espiritual no Anhembi, em São Paulo. Sobre a questão do Tibet, mais uma vez ressaltou a necessidade da independência nacional em relação à China, para garantir liberdade cultural, o direito à religião e a busca de um caminho para que o país do Himalia não desapareça, ele diz que o Tibet é um símbolo da luta do ser humano para sobreviver e avançar, usando a força da não-violência, a busca da paz, a convivência entre todos: "Nesse sentido, tenho que enviar uma mensagem de amor também às autoridades políticas chinesas que não aceitam a maneira tibetana de pensar e de viver"...

Fontes: Terra
              http://folhaverdenews.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Translation

translation