quinta-feira, 8 de setembro de 2011

MANIFESTAÇÕES PELA CIDADANIA E PELA ECOLOGIA EM TODO O PAÍS

Grito dos Excluídos: protestos contra corrupção e contra Belo Monte em várias cidades do Brasil



O 17º Grito dos Excluídos mobilizou no 7 de Setembro manifestantes em todo o país por justiça social e garantia de direitos dos cidadãos e das cidadãos diante do Estado e do políticos. Com o lema “Pela Vida Grita a Terra. Por direitos, todos Nós”, os protestos tiveram como alvo os escândalos de corrupção, os mega projetos na Amazônia, as mudanças no Código Florestal e até alguma obras para a Copa do Mundo de 2014. “Dependendo da região e da cidade, os movimentos focam em algum direito ligado àquela realidade. Sempre em defesa do direito de participar, de ajudar a decidir, e questionando o modelo de desenvolvimento que gera exclusão”, explicou Rosilene Wanseto, da coordenação nacional do Grito dos Excluídos.
Em Brasília, os manifestantes contra a corrupção, movimento apartidário convocado pelas redes sociais na Internet  foi para protestar contra os episódios de desvio de dinheiro público nos ministérios dos Transportes, Turismo e Agricultura, além da absolvição da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), flagrada recebendo dinheiro do esquema de corrupção do governo do Distrito Federal, conhecido como mensalão do DEM.
Nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo, os manifestantes questionaram remoções e despejos feitos para dar lugar às obras de estádios e mobilidade urbana para o Mundial de 2014.
Também estão na pauta das manifestações populares o uso de agrotóxicos, a criminalização e a violência contra a juventude, a tentativa de flexibilização do Código Florestal no Congresso a favor somente dos ruralistas e dos grandes empreendedores rurais e a dano dos recursos nacionais brasileiros. Um dos temas presente em todo o país foram protestos contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte e também uma reforma política "que não fede nem cheira", como dizia uma faixa de manifestantes na Capital Federal.
O Grito do Excluídos surgiu em 1995, ligado à Campanha da Fraternidade daquele ano. Criado pelo Setor Pastoral Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a mobilização ganhou adesão de outras entidades e movimentos sociais e ambientais ao longo dos anos: nos atos públicos e passeatas do feriado nacional estes protestos chegaram a mobilizar mais de 100 mil pessoas, a voz da rua e do povo, pedindo avanços éticos e de desenvolvimento sustentável na Nação, com o estímulo da produção econômica em vários setores, mas isso, sem prejudicar a ecologia, reserva de vida para o nosso futuro.
 
Fontes: Agência Brasil
             folhaverdenews.blogspot.com

2 comentários:

  1. No 7 de Setembro também este outro tipo de manifestação cívica, que não tem nada a ver com os desfiles oficiais, revela a Nação muito viva na sua cidadania, na busca da ecologia e da ética na política. Por exemplo, vivo a entidade Avaaz foi feita via Internet uma mobilização para que não se derrube no Congresso a Lei da Ficha Limpa. Este tipo de luta vale mais do que proclamar amor ao Brasil e não lutar por mudanças urgentes na realidade brasileira.

    ResponderExcluir
  2. Ontem, estas manifestações e atos públicos de cidadania, ecologia, ética, por todo o país, mostrando o alcance do verdadeiro conteúdo do 7 de Setemnbro. E a partir de amanhã, em Franca (SP) milhares de pessoas no evento Hallel, de música e devoção a Deus, energia pura.

    ResponderExcluir

Translation

translation