quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

CAMPUS PARTY É MIDIA DA LIBERDADE E CRIAÇÃO DO FUTURO

Pesquisador contará história da Internet brasileira também

O multimidia Marco Masini, nosso amigo do Facebook, está no Campus Party ao vivo desde a sua abertura, a repórter Cláudia Tozetto (iG) cobrindo o evento que rola pelo quinto ano consecutivo na cidade de São Paulo, que mais uma vez será o coração pulsante da tecnologia no Brasil. O maior acontecimento de tecnologia e Internet do mundo chega a 2012 oferecendo o que há de mais recente nas áreas da inovação, ciência, cultura e entretenimento digital para tomar conta dos 76 mil m² do Anhembi Parque, a nova casa da Campus Party Brasil. No total, 7 mil campuseiros terão passaporte garantido para curtirem cada segundo, minuto e hora das centenas de atividades previstas para esta edição. Isto sem contar a Zona Expo, um espaço totalmente gratuito e aberto ao público, onde você poderá interagir como em um verdadeiro parque e diversões digital. Convidado por Vint Cerf, considerado um dos pais da Internet, para reconstruir a história da criação da rede mundial de computadores em um projeto da Universidade de Stanford (EUA), Andreu Veà, presidente da Internet Society, está visitando o Brasil. Além de palestrar na Campus Party 2012 - onde substituiu John Klensin, criador do FTP, Veà começa seu projeto de investigar as origens da internet no Brasil. “Cerca de 140 pessoas no Brasil me ajudarão voluntariamente nesta tarefa”, disse Veà.

Campus Party discute também a liberdade de criação e articula o movimento de cidadania para criar o futuro

A onda sexy invade também o evento cult da high tech...

...mas tem eventos bem cults como palestras sobre webliberdade












Em seu projeto de 17 anos de criar um repositório de informações e entrevistas com os pioneiros da Internet em todo o mundo, Veà já entrevistou mais de 300 pesquisadores e empresários que, de alguma forma, contribuíram para que a weblinguagem se tornasse o que é hoje. No futuro, Veà pretende publicar todas as informações em um site especial para isso, como contou ao repórter e ecologista Padinha numa participação por msm do blog Folha Verde News na intervenção online do representante da Internet Society.

Internet não foi criada para fins militares e sim para liberar a informação

A partir de sua pesquisa em todo o mundo, Veà já questionou a origem da Internet que, segundo ele, não foi criada para fins militares. “A Arpanet foi construída para que pessoas com acesso à informática pudessem compartilhar informações. A ideia de que a internet foi criada para fins militares é um mito”, defende o pesquisador. A pesquisa de Veà no Brasil tem o apoio da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) que o ajuda, desde 2007, a levantar informações sobre os pioneiros da rede no Brasil. Com a ajuda de Mariana Passos e Verônica Savignano, ambas jornalistas vinculadas à universidade, ele já conseguiu registros importantes de pessoas como o físico Oscar Sala, um dos primeiros a propor o uso das webferramentas como livre expressão no Brasil, e Demi Getschko, presidente do Comitê Gestor da Internet (CGI) e também considerado um dos "pais" da Internet no País. “Ainda falta falar com muita gente para descobrir as origens dessa nova midia. O trabalho está só começando”, diz Veà. Ele ficará no Brasil durante os próximos 10 dias para iniciar o trabalho de pesquisa e selecionar outros voluntários para este projeto cult.

Fontes: iG
             folhaverdenews.blogspot.com

3 comentários:

  1. Neste momento do país e do planeta em que se debate muito sobre os riscos de censura ou de controle da liberdade de informação na Internet, um evento como este ganha maior importância.

    ResponderExcluir
  2. Além do intercâmbio de tecnologia, troca de idéias, informações e técnicas, o evento é também uma confraterinazação da tribo da Internet, que é mundial e no Brasil invadiu todas as regiões, até indígenas usam as ferramentas da Internet.

    ResponderExcluir
  3. O professor e empresário de webcomunicação de Franca, Marco Masini está também presente no Campus Party e com certeza trará à cidade e região detalhes e informações que só podem ser mesmo captadas ao vivo, apesar de toda tecnologia de simultaneidade e de interação que existe na própria essência da Internet. O calor humano às vezes fala mais alto que a tecnologia.

    ResponderExcluir

Translation

translation