quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

CRESCE O PEDIDO EM TODO O PAÍS: VETA, DILMA

Código Florestal: Marina chama emendas ruralistas de farsas e também pede o veto




 A Frente Parlamentar Ambientalista e o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável do Congresso realizam seminário para .... Foto: José Cruz/Agência Brasil A Frente Parlamentar Ambientalista e o Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável do Congresso realizaram ontem seminário para debater 'O Código Florestal - o que diz a ciência e o que nossos legisladores ainda precisam saber' Foto do evento de José Cruz/Agência Brasil

A ecologista Marina Silva disse no evento que se trata de uma farsa a movimentação da bancada ruralista para alterar o texto do novo Código Florestal, que, aprovado pelo Senado, ainda precisa ser votado pela Câmara dos Deputados. Ela comparou ao Telecatch - combates performáticos de luta-livre populares na TV brasileira nos anos 1960 e 1970 - a decisão da bancada ruralista de apresentar emendas à proposta na Câmara: "No meu entendimento, estão ensaiando uma espécie de Telecatch, aquela luta que não é de verdade", disse Marina no seminário Código Florestal: O Que Diz a Ciência?, promovido pelo Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável e pela Frente Parlamentar Ambientalista. O evento reúne pesquisadores e cientistas para discutir os impactos negativos das mudanças propostas para o Código Florestal. "Se faz uma suposta briga entre as emendas que estão sendo apresentadas para tornar o projeto ainda pior e criar um cenário para que se tenha um discurso de sanção do que foi aprovado no Senado", disse Marina.
No seminário, foi dado um apoio maior à campanha pedindo à Presidente Dilma Rousseff que vete os pontos aprovados pelo Senado que, no entender dos ambientalistas, permitem o desmatamento e concedem anistia aos responsáveis. Deputados disseram, durante o evento, que crescerá a mobilização nacional denominada "Veta, Dilma".  Ivan Valente também sustentou que a intenção dos ruralistas em apresentar uma série de emendas na Câmara tem mais o objetivo de confundir. "É um jogo de cena, não se mudou na essência o que para nós é um retrocesso." O projeto que altera o Código Florestal foi aprovado na Câmara no ano passado. Como o Senado modificou o texto aprovado pelos deputados, a proposta será votada novamente pela Câmara neste ano, daí o encontro de ontem, "reaquecendo o debate sobre os erros e os limites do novo Código Florestal, que não atende exatamente as necessidades ecológicas ou de desenvolvimento sustentável e nem muito menos o interesse nacional", comentou por aqui o editor do Folha Verde News,que há um ano e meio tem sido um webespaço para que prevaleça o bom senso, a legalidade ambiental e a orientação realmente técnicas, dos cientistas e dos ecologistas nesta questão, comentou Padinha.

Fontes: Agência Brasil
             Terra
             folhaverdenews.blogspot.com

3 comentários:

  1. A bem da Nação, todo um movimento socioambiental, através de mais de duzentas entidades de todo o país já vem pedindo há um bom tempo, Veta Dilma: o veto presidencial poderá corrigir os principais erros e limites do novo Código Florestal, que acabou submisso na Câmara e no Senado aos interesses do grande agronegócio, bem como dos lobbies dos ruralistas e do agrotóxico.

    ResponderExcluir
  2. É fundamental que prevaleça nessa questão e em todas que envolvam o poder público o interesse nacional, a legalidade ou a ética, a cidadania, o bom senso, e no caso específico, a proteção aos recursos da nossa natureza ao mesmo tempo em que se estimule com sustentabilidade o crescimento da economia rural. Fora destes parâmetros mínimos, o Código Florestal é mesmo inaceitável e por isso cresceu tanto a campanha Veta, Dilma.

    ResponderExcluir
  3. O veto de Dilma Rousseff poderá significar uma postura ética e a bem do interesse nacional, o Congresso poderá ser mais uma vez desacreditado, porém o Governo do Brasil ganhará mais força popular e prerstígio nacional e internacional, ainda mais agora quando se aporoxima a Rio+ 20, a Conferência Mundial da ONU em junho em nosso país, sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável: tem tudo a ver.

    ResponderExcluir

Translation

translation