segunda-feira, 19 de março de 2012

EX-DIRIGENTE DENUNCIA LIGAÇÃO ENTRE RICARDO TEIXEIRA E REDE GLOBO

Globo e Teixeira: relação de mútua dependência

Nesta entrevista ao site Carta Maior em que comenta a queda do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, e as mudanças que podem ocorrer no futebol e no esporte em geral a partir de agora, o ex-presidente do Palmeiras Luiz Gonzaga Belluzzo diz que a TV Globo manteve uma relação bem forte com o ex-mandatário para não correr o risco de perder o principal item de sua programação. "O problema são todos esses interesses privados, que não levam em conta o interesse público", afirma o economista Belluzzo, que por estar afastado dos meios futebolísticos se sentiu à vontade para fazer as críticas, que ajudam aos que querem não só uma mudança nominal de presidente mas uma nova realidade na CBF, no futebol e em todo o esporte do Brasil, o país da bola.

Marcel Gomes é quem fez a entrevista, sendo reproduzida em variados sites, jornais e revistas pelo valor das denúncias:  o ex-presidente do Palmeiras (2009/10) é um apaixonado pelo futebol, atuando como economista, tem uma independência para falar, Luiz Gonzaga Belluzzo, que diz ter-se encontrou apenas duas vezes com o ex-mandatário da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, que renunciou na semana passada, tendo sido por mais de 20 anos presidente, praticamente...uym ditador do futebol brasileiro. Belluzzo se recorda, o ano era 2010 e ocorria a eleição para o comando do Clube dos 13, entidade que representa as mais importantes equipes do país. Teixeira articulava a candidatura do ex-presidente do Flamengo, Kléber Leite, contra Fábio Koff. Na ocasião, Belluzzo "trombou" com o então comandante da CBF, já defendendo uma outra estrutura mais avançada no futebol, como ele explica:  "Eu defendi que a entidade dos clubes precisava ser autônoma, e não vinculada à CBF", lembra ele. No fim, Koff venceu, mas nas articulações políticas de bastidores o Clube dos 13 saiu enfraquecido. Era cada vez mais previsível o racha, que acabou ocorrendo em 2011, na disputa pelo dinheiro do futebol pago pela TV Globo. Belluzzo disse também que espera por mudanças no futebol brasileiro, mas afirma que dificilmente elas virão dos clubes, que se tornaram verdadeiras "casamatas" que reúnem os interesses mais díspares, dos maiores aos mais mesquinhos. Menos os interesses do futebol e dos brasileiros, apaixonados por este esporte e que ficam cegos pela paixão e não enxergam ou nem se importam com a má gestão. Pelo visto, é preciso mudar na CBF e no esporte brasileiro muito mais do que o nome do presidente. (Padinha).

Entre as mudanças o ex-dirigente de futebol pede uma independência da CBF em relação à Rede Globo...

Fontes: Carta Maior
              www.vermelho.com.br
              http://folhaverdenews.blogspot.com

2 comentários:

  1. Este tipo de informação e de crítica é muito oportuna nesse momento em que se discute uma reformulação da CBF e do próprio esporte no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. Apenas uma reformulação e muito menos uma mudança nominal de presidente, isso avançará pouco o futebol e o esporte do país, realmente o economista Belluzzo tem razão quando pede uma gestão mais independente e ligada nos interesses esportivos e públicos do Brasil. Uma questão também de cidadania.

    ResponderExcluir

Translation

translation