quinta-feira, 12 de abril de 2012

DEPENDENDO DE AUTORIDADES POLÍTICAS CONFERÊNCIA DA ONU FRACASSARÁ

Participação de ecologistas salvará a Rio+20

Marcus Vinicius Pinto manda a informação via o portal Terra e o site Ambiente Brasil para o blog da ecologia Folha Verde News: depois de receber uma série de críticas sobre a pauta da Rio+20, a Conferência Mundial da ONU sobre Meio Ambiente e  Desenvolvimento Sustentável, que acontece no mês de junho no Rio de Janeiro, o Brasil, como anfitrião - e ainda, um pais da natureza -  resolveu ampliar as discussões e a participação da sociedade civil no evento. De acordo com o embaixador André Corrêa do Lago, além do Aterro do Flamengo, utilizado durante a Eco-92, mais dois espaços devem ser criados para discussões e fóruns sociais: um na Quinta da Boavista e outro, mais importante, no Parque dos Atletas, bem ao lado do Riocentro, onde os representantes dos governos e chefes de Estado vão se reunir. “A Rio-92 marcou o Brasil e o mundo e queremos que isso se repita com a Rio+20″ disse o embaixador Lago, refletindo também a opinião dos setores mais informados a mídia e da população: "Aliás, somente uma participação maior das lideranças de cidadania, dos cientistas e dos ecologistas pode salvar o evento, uma vez que muitas autoridades querem neutralizar a força desta conferência da ONU, que não interessa a alguns países, como os Estados Unidos, Barack Obama por mau exemplo nem pretende participar, seu país é preso aos lobbies petrolíferos e não fica à vontade para debater alternativas de Desenvolvimento Sustentável, que prioriza a ecologia na economia", comentou o editor do Folha Verde News, o ecologista Padinha, que planeja levar a mensagem da Não-Violência ao evento no Rio.
    
A luta pela criação do futuro da vida vai mostrar a sua cara na Rio+20

A participação de lideranças científicas, ecológicas e de cidadania será fundamental...


...para a busca de uma realidade com menor violência e sustentabilidade em todo lugar
De acordo com o embaixador Corrêa do Lago, a sociedade teve uma participação importante em 92 na pressão aos órgãos internacionais e que a ONU considera que a sociedade vai ter um papel chave no resultado final da conferência. A partir do próximo dia 16, vai estar disponível um site para discussões em todo o mundo para a escolha dos temas mais importantes na visão de variados setores da população. No final, serão levados os três mais importantes aos chefes de Estado, presentes na apresentação do documento final da Rio+20. “A fórmula não é definitiva, nem é a ideal, mas consideramos que seja inovadora para garantir a participação de todos”, afirmou. A presença em massa de ativista socioambientais é que na verdade vai valorizar a conferência mundial da Organização das Nações Unidas, não se espera muito dos chefes de estado e das autoridades governamentais. O embaixador brasileiro disse que é fundamental que os resultados da conferência tenham não apenas impacto internacional, de acordo com a particularidade de cada país, mas que envolva a sociedade em projetos de longo prazo. “Não existe uma solução única para todos os países. Em 92 tínhamos a ilusão de que isso era possível, mas as realidades são muito distintas em cada região do planeta”. Especialistas, pesquisadores porém, consideram fundamental princípios e diretrizes internacionais para um desenvolvimento de verdade das várias Nações. Ele citou que um avanço aconteceu, mas foi bem diferente, por exemplo, na Malásia, na Índia ou mesmo no Brasil. “Tínhamos, há 20 anos, problemas econômicos, alguns que foram resolvidos, tínhamos graves problemas de desmatamento na Amazônia e em outros lugares, hoje a violência é que avança em todo lugar do mundo”. Realmente...
Fontes: www.terra.com.br
              www.ambientebrasil.com.br
              http://folhaverdenews.blogspot.com
 

3 comentários:

  1. Independente da boa vontade do embaixador brasileiro Corrêa do Lago, com certeza as lideranças civis da ecologia, da cidadania e da ciência estarão participando da Rio+20 e esta é a única garantia que o evento da ONU não será apenas protocolar, com promessas de mudanças e de avanços. As alternativas de reequilíbrio do meio ambiente e de Desenvolvimento Sustentável, a bem de todos no planeta, serão dadas na verdade por este povo, a cara da Rio+20, porque as autoridades...

    ResponderExcluir
  2. Dentro desta perspectiva de participação de ONGs socioambientais, de cientistas, da cidadania do Brasil e dos mais variados países, que estarão nesta Conferência Mundial da ONU, em junho no Rio de Janeiro, a equipe do nosso blog de ecologia considera fundamental a mensagem da Não-Violência, capaz de mudar a realidade e preparar o ser humano para criar o futuro.

    ResponderExcluir
  3. E aqui, dentro duma linguagem meio que oriental e/ou indígena, a gente deixa um recado: se os setores mais avançados da população não criarem o futuro, ele não existirá.

    ResponderExcluir

Translation

translation