domingo, 29 de abril de 2012

EXPECTATIVA NO PAÍS SOBRE VETO DA PRESIDENTE DILMA

Meio Ambiente analisa tecnicamente Código Florestal a pedido de Dilma Rousseff

Cientistas, ecologistas e alguns jornalistas e líderes de outros setores do país têm sido ouvidos sobre a questão e a maioria acredita que a Presidente da República vetará no todo ou em parte os pontos mais polêmicos do novo Código Florestal, os ruralistas, parte dos produtores rurais e parlamentares desta bancada no Congresso se colocam na posição contrária, houve até alguns ameaçando Dilma Roussef de algum tipo de retaliação se ela vetar a legislação do uso da terra aprovada nesta semana na Câmara. "O tom de ameaça pegou mal e mostra bem do que os ruralistas são capazes para defender os seus interesses", comentou Padinha, ao editar o Folha Verde News neste domingo, onde está em Belo Horizonte, inclusive fazendo contatos com lideranças socioambientais e de cidadania. Conforme informações e comentários da Agência Brasil e de sites jornalísticos, como o Eco Debate, o secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, Roberto Brandão Cavalcanti, disse que a ministra Izabella Teixeira pediu para que órgãos da pasta analisem o texto do novo Código Florestal, aprovado, na  pela Câmara dos Deputados, principalmente as mudanças promovidas em relação ao texto do Senado. A análise será entregue à presidenta Dilma Rousseff que decidirá se sanciona ou veta dispositivos do texto. Na votação do Código Florestal, o Palácio do Planalto defendia a aprovação pelos deputados do texto que havia sido aprovado pelo Senado. No entanto, com apoio maciço da bancada ruralistas, o relator da proposta na Câmara, deputado Paulo Piau (PMDB-MG), promoveu mais de 20 mudanças a contragosto do governo.
Entre as mudanças aprovadas no novo Código Florestal, a anistia ao desmatadores, a queda da obrigatoriedade de recompor 30 metros de mata em torno de olhos nascentes de água nas áreas de preservação permanente ocupadas por atividades rurais consolidadas até 22 de julho de 2008 e a retirada do texto da regra de recomposição de vegetação nativa, entre outros pontos questionáveis. Segundo Cavalcanti, que participou da audiência pública para discutir os impactos do novo código, a análise será técnica e levará em conta os pontos de vista ecológico e o impacto das mudanças no regime de proteção. O secretário não informou quando a análise estará pronta. Durante a audiência, o geógrafo e consultor ambiental Márcio Ackermann criticou o novo Código Florestal aprovado pela maioria rualista da Câmara e sugeriu que a Presidenta Dilma vete integralmente a proposta. “Na minha visão esse projeto tem que ser vetado na íntegra. Temos que pensar em um encaminhamento para se aperfeiçoar e não rasgar a legislação ambiental. O que se viu na votação do Código Florestal foi eliminar restrições para propriedade privada”, disse Ackermann, também entrevistado por Ivan Richard, cuja matéria estamos publicando praticamente na íntegra aqui no blog de ecologia, pela atualidade das informações, de interesse nacional.




Fontes: Agência Brasil
              www.ecodebate.com.br
              http://folhaverdenews.blogspot.com

3 comentários:

  1. Realmente, os parlamentares brasileiros e em especial os da bancada ruralista precisam ter em mente que os seus interesses e negócios precisam ser adptados ao interesse da Nação, que inclui a proteção dos recursos naturais, a bem também da própria economia rural.

    ResponderExcluir
  2. Em geral, os ecologistas de todas as regiões do país estão adotando a expressão de Capobianco, Código Desflorestal, para criticar o retrocesso ambiental aprovado na Câmara nesta semana.

    ResponderExcluir
  3. Por enquanto, a postura da Presidente Dilma é a mais correta e racional, o bom senso é importante para superar situações de grande dificuldade política mas também, o que a Nação espera agora é etica, por exemplo, não temer pressões indevidas e conquistar parlamentares e setores diferentes da população para a implantação no Brasil de um desenvolvimento sustentável (e não só na questão rural) para que os problemas diminuam e aumente a chance de futuro para o país. Liderança e consciência disso Dilma Rousseff tem. Temos que ajudá-la neste processo, todos os que amamos o Brasil, nos posicionando com clareza e com grandeza, acima dos interesses de cada um ou de cada setor.

    ResponderExcluir

Translation

translation