segunda-feira, 30 de abril de 2012

MUITA EMOÇÃO NO FUTEBOL EM TODAS AS REGIÕES DO PAÍS DA BOLA

O América ressurge em Minas e Neymar dá show de arte da bola no domingo sem violência

Um domingo de muito futebol e muita emoção, em Minas Gerais o América confirmou de maneira espetacular sua ida para a final, contra o Atlético, depois de duas vitórias seguidas sobre o Cruzeiro (3 X 2 e 2 X 1), nesta segunda, data de sua fundação há 100 anos, o clube está em festa e conquista a admiração de todos no país da bola: em São Paulo, Neymar 3 X 1, como disse Michele Gianella em seu blog na Gazeta Esportiva, pelo fato de o menino da Vila ter feito os 3 gols contra o Tricolor do Leão. No Rio o Botafogo também ressuscita e vai Assim comopara a final estadual, no sul, o Inter vurou em cima do Gêmio, num Grenal também emocionante (onde o Luxemburgo deu vexame de flata de controle)  e o Colorado também é finalista, o Bahia é um outro destaque da rodada desta final de semana no campeonatos regionais, onde se sentiu a falta dos times brasileiros mais populares, o Flmanego de fora de tudo e num apocalípse monstro, o Corinthians, só treinando para nesta próxima quarta-feira encarar o Emelec no Equador, mas aí pela Copa Libertadores da América. Na Europa, uma nova goleada e o Barcelona, de Guardiola, ainda pode ser o campeão da Espanha, apesar do Real Madrid...  Assim como o América Mineiro, a outra supresa do futebol destes dias é o Guarani de Campinas, que chega à final paulista contra o Santos de Murici, após virada contra a Ponte Preta e mais uma vez mostrando o talento de Oswaldo Alvarez, o técnico Vadão, que há uns 20 anos inventara no Mogi Mirim (do então Rivaldo) o 3 - 5 - 2: um treinador inteligente e com história no mundo da bola, uma equipe que joga coletivamente e que disputará o título após 24 anos de jejum diante do show time Neymar FC, o jogo coletivo versus o talento individual: sou mais Bugre, que mais uma vez mostra ao Brasil a força do interior do país do futebol. Parabéns ao Bugre, ao América e ao futebol brasileiro, a maior vitória foi não rolar violência, que é a antiecologia no jogo do dia a dia da vida de todos nós, cada vez mais violenta todos os dias, o esporte nesse contexto é um oásis de alegria para o povo. (Padinha)

América 100 anos de juventude....

Neymar 3 X 1 SP de novo o futebol show do Brasil em város lugares...

...Fabinho, do Guarani, o Bugre do Vadão e do jogo coletivo

Fontes: www.gazetaesportiva.net
             http://folhaverdenews.blogspot.com

3 comentários:

  1. Não se trata de pão e circo, apenas, o futebol - o esporte mais popular no Brasil - acaba sendo mesmo um oásis, pelo menos foi neste domingo, com jogos de muita emoção e até arte da bola sem entrar em campo, nesta rodada, a violência dos jogadores ou da torcida, apesar de jogadas viris demais nas partidas de decisão. E esta é uma boa notícia ecológica, esporte (fator de qualidade de vida hoje em dia) servindo como um oásis de alegria na violência da atualidade, como em resumo diz o nosso editor Padinha no post deste 30 de abril no Folha Verde News.

    ResponderExcluir
  2. Nosso editor estava em BH onde acompanhou de perto o renascimento do América aos 100 anos de vida no futebol, nossa equipe sintonizando todas as emoções esportivas em várias regiões do país da bola, com o estaduais chegando às finais: nesta segunda-feira, véspera do Dia do Trabalho, praticamente é um feriado também, temos que aproveitar este intervalo no jogo da vida para um pouco de paz e de reflexão diante de tantos problemas e desafios da realidade, cada vez com maior violência no dia a dia, cada vez com menor qualidade de vida para todos e qualquer um...

    ResponderExcluir
  3. Neste intervalo no jogo da vida, muitos desafios à frente para todos e qualquer um, para a Nação, a questão do Códifo Florestal (ou Desflorestal), da necessidade urgente de uma gestão de desenvolvimento sustentável, também no caso de se optar por energias menos agressivas ao ambiente (como a Solar e a Eólica) e não por megausinas, também, em mais problemas, problemas, problemas...Pausa para respirar, ganhar forças e encarar de frente o desafio de superar nossos erros e limites individuais e coletivamente criar o futuro da Nação e da vida. E aqui não estamos falando de futebol, mas do dia a dia da nossa vida.

    ResponderExcluir

Translation

translation