sexta-feira, 11 de maio de 2012

CLUBES BRASILEIROS MOSTRAM FORÇA E SELEÇÃO INSTABILIDADE

Na Libertadores, na Copa do Brasil e nos Estaduais  o país do futebol desfila talentos da bola

Enquanto na CBF mesmo com a exclusão de Ricardo Teixeira continua a politicagem, gerando instabilidade e insegurança quanto ao futuro, nos clubes de futebol as principais competições em andamento mostram bons jogos e muitos talentos. 4 times brasileiros (2 argentinos) se classificaram entre os 8 para as quartas-de-final da Copa Libertadores da América (Fluminense e Vasco do Rio, os paulistas Corinthians e Santos). O Peixe que habvia perdido para o Bolívar e a altitude, com mais uma noite de Neymar Show goleou por 8 X 0 para se classificar, o Timão fez 3 X 0  no esforçado Emelec do Equador e espantou mais um tabu, o Flu venceu de virada o Internacional de Porto Alegre e o Vasco, mesmo perdendo por 2 X 1 na Argentina para o Lanus, conseguiu a sua classificação nos pênaltis: agora, mata-mata entre as 8 melhores equipes do momento na América, Flu X Boca Juniors, Universidad do Chile X Libertad do México, Corinthians X Vasco e Santos X Velez Sarsfield da Argentina. Nesta reta final aumentam as emoções e um dos destaques é o time corinthiano, que mesmo tendo vencido um Mundial da Fifa (em 2000), nunca foi campeão da Libertadores, busca este título como uma confirmação da sua história no momento em que se transforma no time brasileiro mais popular, ao mesmo tempo em que decai o Flamengo do Rio e do Ronaldinho Gaúcho.  Porém, se os clubes do Brasil mostram sua força neste instante, a CBF novamente revela politicagem dos cartolas (a briga política entre José Maria Marin, o novo Ricardo Teixeira, contra Andrés Sanches e Mano Menezes dá o tom) e a Seleção Brasileira que caiu no ranking da Fifa vive um tempo de indecisão, às vésperas da Olimpíada e da Copa do Mundo, além da Copa das Confederações: não adiante trocar Teixeira por Marin (seis por meia dúzia) e sim criar uma nova estrutura de mais cidadania e maior esportividade ou eficiência na gestão do futebol, a arte brasileira da bola.
Nos Estaduais, destaca-se o time do América chegando à finalíssima do Campeonato Mineiro diante do Atlético, depois de derrubar o Cruzeiro: enquanto entre os americanos o respeitado treinador Ginavildo Oliveira valoriza dois jovens que estavam na reserva (China e Bruno Meneghel) na ausência do volantão Dudu para a final, no Galo, o técnico Cuca está ameaçado e a diretoria já está com a cabeça no Brasileirão, fala mais na contratação do craque uruguaio e milionário Diego Forllan do que na decisão deste domingo na Arena do Independência em BH. O América neste vácuo dos grandes clubes mineiros, ambos desclassificados da Copa do Brasil, avança no ano do seu centenário e se torna um dos times mais simpáticos do Brasil, "somos por essas e outras, o segundo time de todo mundo", disse o ala e meia Patrick Oliveira, que passou pela Francana (parceiro do América Mineiro) e espera uma oportunidade neste clube que é um dos que mais revelam novos talentos no país da bola. Na final do Paulistão, o destaque é o Guarani tentando reverter o placar do primeiro jogo (3 X 0 para o Santos): "É quase impossível mas vamos tentar, o Peixe chega cansado com tantos jogos e gastou tantos gols nas últimas partidas que podem faltar no domingo, temos que marcar muito os atacantes santistas e os gols que nos dariam um título depois de 24 anos de muita luta no futebol do interior", comentou Oswaldo Alvarez, um dos técnicos top de linha do futebol brasileiro, a maior esperança do Bugre reverter as coisas na final estadual em São Paulo.
Na Copa do Brasil, as quartas-de-final mostram também de novo a força do futebol paulista, com São Paulo e Palmeiras (ambos ressussitando de más fases) se classificando, Portuguesa e Ponte Preta chegando às oitavas: os duelos serão de muita adrenalina e com certeza de bom futebol entre Vitória X Curitiba, Goiás X São Paulo, Atlético do Paraná X Palmeiras e Grêmio de Porto Alegre X Bahia, uma sensação com um futebol agressivo montado pelo técnico, ex-jogador e ex-comentarista de TV, Falcão. Se a equipe do Pituaçu e do Bom Jesus vencer esta competição nacional, não tenha dúvida que Marin colocará Falcão como o rival de Mano Menezes para o comando da Seleção Brasileira, isso no caso de um fracasso na Olimpíadas de Londres. Além do mais, Falcão tem o respaldo da toda poderosa Rede Globo. Mas esquecendo política e pensando somente em termos esportivos, o futebol do país da bola está novamente voltando aos bons tempos, a gente espera que aconteça mesmo esta volta pro futuro. (Padinha)


Cássio Ramos é a nova cara do Corinthians agora



Ele é a cara do futebol brasileiro e brinca com a bola e com a sua imagem


China é um dos novos talentos do centenário América Mineiro

Falcão mostra competência e também força nos bastidores do futebol

Fontes: http://www.gazetaesportiva.net/
             http://folhaverdenews.blogspot.com/



3 comentários:

  1. Para resumir este comentário original do nosso editor Padinha, o futebol brasileiro, apesar da má gestão dos cartolas, parece estar reencontrando a bola.

    ResponderExcluir
  2. O futebol do Brasil, o país da bola, realmente vive uma boa fase dentro do campo, nos bastidores, a velha politicagem de sempre. Este desiquilíbrio torna insustentável a realidade deste esporte apesar do grande talento brasileiro, os atletas mostram muita arte da bola.

    ResponderExcluir
  3. Recebemos por e-mail aqui na redação do blog um comentário do jornalista Celso Cardoso da Gazeta, elogiando a originalidade do enfoque do comentário que postamos nestés dias de emoção e qualidade mas também de turbulência política nos bastidores esportivos, que poderia ser hoje um fator de desenvolvimento sustentável e qualidade de vida para a população, o futebol é mesmo a alegria do povo no país da bola.

    ResponderExcluir

Translation

translation