quinta-feira, 10 de maio de 2012

FUTURO DA AGRICULTURA, A AGROECOLOGIA TAMBÉM NA RIO+20


Socioambientalista planta a idéia da agroecologia como caminho para uma nova realidade
A agroecologia, pouco mecanizada, é o futuro da agricultura, segundo economista Jean Marc Von Der Weid, economista e ecologista, ele que participou da ECO 92, assim como nosso editor aqui do blog Folha Verde News, Padinha:  ele dá entrevista ao site da Cúpula dos Povos, em matéria feita por Eduardo Sá, do Brasil de Fato. Vale a pena você conferir todas as informações nestes dois sites, aqui no nosso blog de ecologia apresentamos um resumo ou aperitivo desta entrevista com Jean Marc, que atualmente é coordenador de Políticas Públicas da ONG Agricultura Familiar e Agroecologia (AS-PTA), membro da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA). Nesta entrevista, este pioneiro ou contemporâneo do futuro, fala sobre a perspectiva de fracasso da Rio+20, as forças políticas e interesses que estão em xeque, a falsa visão ambiental de uma tal e oficial "economia verde", apontando a agroecologia como solução para muitos problemas climáticos e energéticos no planeta. Segundo o estudioso e militante, a tendência é uma regionalização da cadeia produtiva alimentar e a potencialização da agricultura familiar para garantir a alimentação dos povos. Da mesma opinião é o presidente nacional da associação brasileira de produtores e processadores de alimentos orgânicos, José Alexandre Ribeiro: "Orgânicos e agroecologia são essencialmente a mesma antecipação do que será o futuro, se todos nós juntos conseguirmos criar um desenvolvimento sustentável no país e no planeta".
Destacamos para você aqui no blog de ecologia e cidadania 3 trechos da entrevista de Jean Marc Von Der Weid, aproveite a informação e busque a matéria na íntegra em Brasil de Fato e/ou na Cúpula dos Povos.
Inserimos aqui três questões para alimentar a sua batalha pelo Desenvolvimento Sustentável e para resumir o tamanho do desafio que enfrentamos atualmente, todos os que queremos mudar e avancar a realidade. Nos sites aqui sugeridos, você poderá ver em detalhes também a questão da busca de uma nova estrutura energética, como a opção por energias como a Solar e a Eólica, vida sem violência ambiental.

A agricultura ecológica de arroz e de todos alimentos é uma das prioridades...

...para se discutir um desenvolvimento sustentável no país e no planeta...

...questão que passa por uma nova estrutura energética também como a Solar e a Eólica
Nossa luta avançou de verdade?"As diferenças entre 1992 e a Rio+20 são radicais e contraditórias. Porque hoje você tem muito mais crítica sobre o modelo de desenvolvimento e o sistema capitalista no mundo, e muito mais informação dos impactos ambientais. No entanto, naquela altura havia mais interesse dos governos em discutir esses problemas e enfrentar as questões. É paradoxal, mas é assim. Hoje as multinacionais e grandes empresas estão atuando a fundo tanto nos espaços nacionais para definir as políticas e programas de seus governos na Rio+20, como participando das delegações oficiais e criando espaços paralelos de debate. Houve uma série de resoluções importantes do ponto de vista do meio ambiente e do desenvolvimento em 92, que hoje em dia não tem nada similar sendo discutido: a Convenção da Biodiversidade e a do Clima, a própria Agenda 21..."
A atualidade da crise mundial é uma dificuldade a mais?
"Estamos num momento muito ruim do ponto de vista do destino da humanidade, porque os governos estão extremamente enfraquecidos. Essa é outra grande diferença de 92, quando havia uma expansão da economia internacional que praticamente só fez acelerar até 2008. Se você descontar a economia da China e da Índia, que ainda se mantêm em expansão acelerada, embora o ritmo tenha diminuído, o resto do mundo está paralisado. Não é um bom momento para você falar em reformar o sistema e aplicar recursos para mudar a base produtiva, porque os governos não vão mudar. Eles querem manter as coisas como estão, e rezar para que o meio ambiente não reclame".
Socioambientalistas conseguirão avançar o movimento de criação do futuro?"Os organizadores acham que não vai ter avanço. O francês Brice Lalonde, que é secretário da Rio+20, disse em público que confiava na sociedade civil para agitar a Conferência. Mas a sociedade civil não está imune aos problemas que o conjunto da economia mundial está passando. Muitas organizações sociais estão na defensiva tentando segurar os direitos conquistados ao longo de 50 anos, porque a contraofensiva patronal hoje na crise financeira é para derrubar os direitos dos trabalhadores. A receita aplicada na Grécia é a ameaça para todo mundo. E ao mesmo tempo as empresas não perdem nada, pelo contrário, com a ameaça de quebra o Estado sai bancando o prejuízo. Os bancos são os primeiros beneficiários, os grandes gerentes do sistema financeiro internacional continuam ganhando uma baba sem restrição nenhuma. Por outro lado, você tem muito mais capital de conhecimento acumulado pela sociedade civil, principalmente científico, nos temas chave de 1992 e hoje. A agroecologia ainda não tinha a segurança que tem para dizer que não é uma aposta, e sim alternativa clara para o desenvolvimento. Experiências apontam saídas e soluções para a nossa crise sócio- econômica-ambiental". (...) "Do ponto de vista da produção, na agricultura o futuro é claramente a agroecologia. É um sistema de balanço energético positivo. Nos Estados Unidos, para cada caloria servida ao freguês você investe 10. Com o sistema agroecológico você vai reduzir a emissão de gases de efeito estufa, segurar as questões de destruição de solo e a economia no uso de água, além da conservação de biodiversidade. A agroecologia pode ser operada em níveis muito variados. É um sistema múltiplo de cultivos e criações intercalados com vegetação nativa manejado de uma forma sistêmica. A estratégia da agroecologia é mimetizar os sistemas naturais, você se aproxima da diversidade natural para usar o seu sistema produtivo"...(Trechos da entrevista do especialista Jean Marc Von Der Weid).

Fontes: http://www.cupuladospovos.org.br/
             http://www.brasildefato.com.br/
             http://folhaverdenews.blogspot.com/

        

3 comentários:

  1. A partir deste resumo da entrevista, você fica assim estimulado a procurar estas informações na íntegra nos sites indicados neste post aqui no nosso blog de ecologia e de cidadania, com a prespectiva também de pensarmos em alternativas de solução para os problemas das sociedades de consumo que violentam por aqui e em toda a Terra a condição humana de vida.

    ResponderExcluir
  2. Nosso editor, o ecologista Padinha, ao nos passar este post comentou que "a não-violência, do que a agroecologia ou os alimentos orgânicos são uma concretização bem viável econômica e ecologicamente, se estende para variados setores da atualidade, como o da busca de novas formas de energia que realizem nosso projeto de sustentabilidade, nossa luta para que exista chance de futuro e de paz em todos os países, na vida planetária".

    ResponderExcluir
  3. Nossa equipe aqui do Folçha Verde News tem consultado diariamente o site da Cúpula dos Povos, que especialmente agora, às vésperas da Rio+20, reunião da ONU no Rio em junho, passa a ser o foco de todos os que lutam para avançar a realidade da vida de hoje.

    ResponderExcluir

Translation

translation