sábado, 26 de maio de 2012

MAIS UMA CARGA DE LIXO DO 1º MUNDO CHEGA AO BRASIL

Operações clandestinas e criminosas trazem lixo hospitalar e tóxico da Europa para o país

Não é a primeira vez, já houve várias outras ocorrências ao longo desta década, fato que define uma tendência, a vinda de lixo tóxico ou hospitalar em containers em navios oriúndos da Europa e desembarcados em portos brasileiros como se fosse lixo reciclado ou um produto qualquer de exportação: agora, desta vez  é a descoberta de lixo hospitalar no porto de Itajaí, em Santa Catarina, conforme informação que nos envia para o blog Folha Verde News via o site Yahoo o repórter Carlos Kazuo Inoue, também ligado à Agência Estado, "um absurdo, mais um vez os nossos portos e o Brasil tratados como quintal ou lixão dos países do 1º Mundo", comentou nosso editor, o ecoloogista Padinha. A auditora da Receita Federal em Itajaí (SC) Christiane Larcher confirmou nesta sexta-feira que a carga de 19 toneladas de lixo contaminado, contendo lençóis e uniformes de um hospital de Valência e talvez de hotéis na Espanha, será devolvida até o dia 13 de junho. A carga foi descoberta em um contêiner no porto, resultado do trabalho de inteligência desencadeado pela Operação Maré Vermelha, que começou em 19 de março. Foi a maior ação já realizada contra fraudes no comércio exterior. Com o maior rigor na fiscalização, a Receita Federal solicitou a presença dos técnicos do Ibama, nesta semana para verificar a carga suspeita, que deveria ter apenas “tecidos atoalhados de algodão”, que seriam usados para fabricar pequenas toalhas de limpeza. Ao abrirem o material, técnicos encontraram lençóis e uniformes usados e sujos, além de outros materiais contaminados, que teriam sido descartados por redes hoteleiras e hospitais.
O material foi analisado pelo Ibama, que considerou a carga nociva ao meio ambiente e à saúde. Em setembro, a Receita Federal em Itajaí devolveu também uma carga de seis contêineres com garrafas PET e há dois meses apreendeu 40 toneladas de lixo doméstico do Canadá. SOS saúde pública, vigilância e educação ambiental, neste caso, são as autoridades brasileiras exigindo estes critérios de cuidados das autoridades destes países considerados "mais adiantados" mas que na prática, nestes casos pelo menos, mostram a sua face bárbara e criminosa, para não dizer outras palavras piores. Já foram várias toneladas de lixo vindas de variados países e desembarcadas em portos como de Santos, Rio de Janeiro, Vitória e agora, em Santa Catarina: o tema precisa também ser questionado por autoridas sanitárias até mesmo na Rio+20 da ONU...


Desta vez foi no porto de Itajaí em Santa Catarina que chegou da Espanha a carga de lixo...

...como se fosse produto para fabricar material de limpeza, como se o Brasil fosse um lixão

Fontes: http://www.yahoo.com.br/
             Agência Estado
             http://folhaverdenews.blogspot.com/

3 comentários:

  1. Realmente, a mídia europeia mal destaca esta notícia, porém, se fosse o contrário, crime de "exportação" de lixo brasileiro para algum porto da Europa, seria um escândalo mundial.

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, é um escândalo mundial, mesmo que esta operação clandestina e criminosa seja meio que tratada quase sigilosamente: e revla a má educação ambiental e a pouca responsabilidade em termos de saúde e de ética de pessoas em países tidos como de 1º Mundo ou "mais civilizados" ou mais cultos que o Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Nosso país, ao contrário da crise econômica que assola a Europa, não pode ser tratado como quintal do 1º Mundo, nem o Brasil e nenhum país do 3º Mundo que seja, muito menos como lixão dos países mais ricos, esta questão policial também precisa ser tratada com severidade pelas autoridades brasileiras (também na Rio+20 em junho, na conferência da ONU), exigindo providências.

    ResponderExcluir

Translation

translation