quinta-feira, 31 de maio de 2012

NOVO PROTESTO DE GAROTAS SEMINUAS NA EUROPA

Grupo Femen defende que Eurocopa fará aumentar a prostituição na Ucrânia e este movimento de cidadania feminista já programa vindas à Rio+20 agora e depois à Copa do Mundo no Brasil


Há uma semana do início da Eurocopa 2012, mais um protesto desta vez em Kiev e ao seu estilo (garotas seminuas ou fazendo topless) protestaram outra vez contra a competição, que segundo entende este movimento feminista de cidadania, fará aumentar a prostituição e a corrupção nos países sedes: Francisca Paiva reportou os acontecimentos para o site Icicom e nós estamos postando inmformações e fotos, também de agências de notícias como a Reuters, aqui no blog Folha Verde News, para abrir espaço às denúncias do Grupo Femen, que está se transformando numa espécie de Greenpeace mas das lutas do feminismo e do direito das mulheres, com manifestações em várias países da UE. Este grupo ucraniano que luta por estas causas e usa basicamente o corpo das manifestantes como uma arma nos protestos, para mobilizar a mídia, as autoridades políticas e a população, está contra a realização do Euro 2012 na Ucrânia. Segundo o Femen, a competição futebolística vai aumentar a exploração da mulher pela sociedade de consumo machista e sem valores humanos. Em todas as apresentações da taça para o vencedor da Euro 2012, que acontecem em várias cidades dos países organizadores do Euro (Ucrânia e Polónia) o Femen marca presença e intervém. As ativistas temem que o torneio leve a um aumento da prostituição, da exploração da mulher e da consolidação ucraniana como país do turismo sexual. Como tal, fazem protestos contra a realização da Eurocopa no seu país. Seminuas, as ativistas escrevem no corpo mensagens como "Fuck Euro" ou levantam cartazes que dizem "without prostitution" (sem prostituição). "Our God is woman, our mission is protest, our weapons are bare breasts" (o nosso Deus é mulher, a nossa missão é o protesto e a nossa arma é o peito despido) é o lema das manifestantes que em várias cidades acabaram detidas pela polícia e já estão respondendo a processos judiciais, onde buscam explicar que as suas manifestações usam estratégias da Não-Violência (ou  tentam valorizar mais a inteligência do que a força física) tendo um objetivo maior, denunciar que a competição entre seleções européias de futebol irá alimentar a já vigorosa indústria da prostituição no país. "Tem sido uma tendência, o uso do corpo em manifestações, em vários países, também no Brasil, mas essa é a marca em especial deste grupo Femen de cidadania e de feminismo, a nós não cabe julgar se é ou não a melhor forma de protestar, mas de toda forma, vale a luta de cidadania e a metalinguagem, usar o corpo da mulher para denunciar abusos ou exploração das mulheres", comentou o ecologista Padinha, editor do nosso blog Folha Verde News: "Acima de tabus ou preconceitos, de moralismo ou da maior ou menor liberalidade em cada país, estes protestos estão conseguindo destacar a luta contra a a indústria da prostituição na Ucrânia e na Polônia". Novas manifestações e emoções estão reservadas para a semana que vem, quando começarem os jogos da Eurocopa 2012, sediada na Ucrânia e na Polônia. O grupo Femen avançará assim a luta das mulheres? Esta pergunta só poderá ser respondida após a competição oficial da Fifa e esperamos que a atuação da polícia substitua a violência por outra estratégia na repressão aos protestos, de toda forma, legítimos. O Grupo Femen está progamando fazr manifestações também no Brasil, durante a Rio+20 da ONU ou da reunião paralela Cúpula dos Povos dos movimentos socioambientais, como também, depois, em 2014, durante a disputa da Copa do Mundo de futebol por aqui, nosso país, segundo elas, está também na rota do turismo sexual, da prostituição e do desrespeito aos direitos das mulheres.

As garotas usam a nudez e a sua fragilidade física como armas para protestar

Algumas protestam mais vestidas mas divulgando os slogans da luta feminista

Policiais precisam descobrir novas táticas de repressão aos protestos menos violentas

Em processos na Justiça, líderes ucraniana do Femen defendem também a Não-Violência
Fontes: Reuters
             http://jpn.icicom.up.pt/
             http://folhaverdenews.blogspot.com/

4 comentários:

  1. Parece contraditório fazer topless ou ficarem publicamente seminuas para protestarem contra a indústria da poluição das mulheres e a favor das causas feministas da cidadania, porém, este Grupo Femen de toda forma está conseguindo despertar a opinião pública. É válido? É moral?

    ResponderExcluir
  2. Nas ruas de Kiev ontem uma TV daquele país colocou um repórter a fazer estas perguntas para pessoas do povo que testemunhavam mais um protesto das garotas do Femen: grande parte das respostas colocavam que a forma de protestar delas é imoral ou amoral, mas a maioria comentava que o conteúdo das denúncias é válido ou legítimo.

    ResponderExcluir
  3. Nos protestos e exposições públicas do corpo que estão fazendo, nas prisões e processos que estão sofrendo, as garotas do grupo Femen oficializam o uso do topless e da semi nudez para escandalizarem e provocarem mudanças na realidade do turismo sexual, da prostituição e da exloração dos direitos das mulheres.

    ResponderExcluir
  4. Com o mesmo radicalismo ou entrega à luta, mas com outra linguagem, assim como os Monges que se imolam no Tibet, as mulheres seminuas do grupo Femen citam táticas da Não-Violência para lutarem por seus ideais. Ambos podem nem conseguir mudar a realidade que denunciam mas estão mudando a forma de protestar na atualidade.

    ResponderExcluir

Translation

translation