sexta-feira, 8 de junho de 2012

SOCIEDADE CIVIL MOBILIZA-SE PARA A RIO+20

Além da conferência da ONU no Riocentro há vários eventos paralelos e iniciativas ecológicas

Toda uma mobilização acontece neste momento no Brasil, sede da Conferência Mundial da ONU sobre meio ambiente e desenvolvimento sustentável no Rio de Janeiro, vinte anos pós-ECO92, além da já muito comentada Rio+20, entre 13 e 23 deste mês, já começaram a ocorrer vários eventos paralelos à reunião dos dirigentes de cerca de 180 países no Riocentro: houve entre eles, a Marcha das Águas, organizada por lideranças socioambientais na luta pela revitalização e despoluição do Rio São Francisco no sertão do semiárido, encontros de ecologistas nas principais regiões e capitais do país (desde Manaus a Porto Alegre, Curitiba, BH, São Paulo, Brasília...), no próprio Rio rolou nesta semana o Green Nation, iniciativa para conscientizar as novas gerações sobre o valor da ecologia, que contou com a presença da supertop model Giselle Bundchen, vinda dos Estados Unidois especialmente para esta tarefa. "A gente da soiciedade civil se empenha quando se trata de cuidar da natureza ou dar um exemplo positivo prá juventude sobre as ações que podem influir no futuro da nossa vida", falou Gisele Bundchen, que já faz uma década vem se decidando, nos intervalos de seu trabalho fashion com moda, comerciais de TV e filmagens, a atividades que demonstram ser ela uma líder do movimento ecológico. Pelas suas palavras, dá para se perceber uma crítica implícita às autoridades governamentais dos países que participarão agora da Rio+20, os técnicos ambientais da ONU e os governantes não partem para a ação (no caso, implantação de gestões de senvolvimento sustentável, tema central da conferência mundial), ficam mais no discurso, nas intenções, enquanto que variados setores da população se movimentam cada vez mais positivamente: entre os eventos simultâneos à Rio+20, já estão começando a Cúpula dos Povos (que reúne no Aterro do Flamengo os movimentos sociais e populares, lideranças políticas da cidadania, de sindicatos e entidades de classe que sempre realizam os fóruns globais) e o Global Greens (edição especial do encontro internacional dos Verdes, líderes do PV de cerca de 100 países debaterão e apresentarão propostas à confer~encia da ONU), além de outras atividades paralelas, como shows e manifestações de entidades ecológicas ou de produtores culturais com consciência da importância deste momento no Rio de Janeiro para o movimento universal que pretende mudar e avançar a realidade, tornando assim possível  - via um novo equilíbrio entre a economia e a ecologia -  o desenvolvimento sustentável, ou seja, a criação do futuro da vida. "Se nós nãp criarmos todos juntos o futuro, ele não existirá", diz uma mensagem da equipe do nosso blog Folha Verde News, que estará a partir da semana que vem no Rio de Janeiro por uns 10 dias. A mensagem em português, francês, espanhol e inglês será distribuída no Riocentro e em todos os locais onde aconteçam atos públicos ou eventos paralelos da Rio+20 da ONU e por onde for nosso pessoal que está realizando um documentário de produção independente, que depois poderá se tornar um especial de uma TV nacional no final do ano: "Além deste documentário profissional, questionando e levantando os fatos acontecendo ao vivo no Rio nestes dias, serão feitas outras gravações e filmagens depois, ampliando o alcance e o interesse em torno do especial de TV", explicou Padinha, do blog Folha Verde News e diretor do vídeo que a princípio se chama "Não-Violência X Fim do Mundo". Junto com Padinha, estão neste trabalho o índio Xavante da aldeia de Namunkurá no Mato Grosso, Gaspar Waratzere Tsiwari, o designer e fotógrafo Aguinaldo Lazarini, o camera man Reginaldo Teófilo (da produtora de Ricardo Salomão, a RS produções) e o técnico de apoio Di Pereira dos Anjos. Fora o documentário, os contatos e as mensagens que eles levam da não-vioilência (ecologia humana, cultura da vida), Padinha fará flashes ao vivo diários para a Rádio Imperador AM de Franca, que tem alcance de audiência em toda a macrorregião nordeste paulista e sudoeste mineiro, onde está também a Serra da Canastra e a natureza é uma reserva de água, abrange o Aquífero Guarani. Também para exemplificar a mobilização de vários setores da sociedade civil, a empresa calçadista MacBoot  - que dá apoio cultural a este blog -  distribuirá no Rio de Janeiro neste contexto sacolas recicladas (ecobags) e sementes de uma planta (Crotalária) que alimentam as libélulas que por sua vez são o inimigo natural do mosquito Aedes Aegypt, transmissor da Denge, que assola também neste momento também o Rio de Janeiro. Saúde, não-violência, atitudes pró ecologia, iniciativas de avanço como o Green Nation, a Cúpula dos Povos, o Global Greens e todos esperam, todo o mundo literalmente, que a reunião mundial da ONU faça também a sua parte nesta missão de mudar a realidade de problemas e criar alternativas para existir futuro na Terra.


Gisele Bundchen participou do plantio de árvores e da mobilização do Green Nation


Marina Silva é uma das líderes socioambientais do país na Rio+20

Artistas e produtores cults também participam

Cássio Freires do jornalismo da Impérador AM dará apoio aos flashes....

..que Padinha fará da Rio+20 com toda a equipe do Folha Verde News e do documentário


Várias nações indígenas participarão da Cúpula dos Povos e do Global Greens....

...eventos paralelos da Rio+20 da ONU
Fontes: UOL
             http://folhaverdenews.blogspot.com/

4 comentários:

  1. Está existindo um grande esforço de vários setores da sociedade civil, em especial de ecologistas e de entidades socioambientais, para o sucesso das inciativas que cobram uma ação efetiva da Rio+20 da ONU.

    ResponderExcluir
  2. Dentro deste contexto de inicitivas e de esforços extras está também o mutirão de ações pela ecologia, não-violência e criação do futuro que leva em frente a equipe do nosso blog Folha Verde News, também empenhada sob a direção de Padinha, num documentário que vai se completar depois com outras gravações e filmagens para se tornar um especial de TV numa rede natcional.

    ResponderExcluir
  3. Cientistas e indígenas, ecologistas e lideranças de cidadania, movimentos sociais e sindicalistas, jovens e pessoas de todas as gerações, celebridades e anônimos, a população se mobiliza para avançar a atual realidade cheia de problemas ambientais, de violência e de falta de condição humana de vida.

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez ecologistas e outras lideranças, do Brasil e de cerca de 180 países que estão indo ao Rio de Janeiro agora para a Conferência Mundial da ONU dão o exemplo que tem que ser seguido pelas autoridades governamentais, que se reúnem na Rio+20: elas precisam debater mas sem blá blá blá e ir além do oba oba ou dos discursos, para que o desenvolvimento sustentável comece a ser implantado nas nações e no planeta, sem o que, não há futuro nenhum para a vida em nenhum lugar da Terra. Esta é a dimensão maior de todo este grande acontecimento que marca a entrada de vez do Século 21. E com o Brasil na liderança...

    ResponderExcluir

Translation

translation