quinta-feira, 12 de julho de 2012

DESTA VEZ SAI A DESPOLUIÇÃO DA LAGOA DA PAMPULHA?

A recuperação da Lagoa da Pampulha resgata a ecologia e a cidadania de BH e do país

A menos de dois anos da Copa do Mundo de 2014, a prefeitura de Belo Horizonte (uma das cidades-sedes já a partir da Copa das Confederações em 2013) deu novo início à corrida para conseguir revitalizar aquele que poderia ser o principal cartão-postal da cidade durante o campeonato mundial de futebol, símbolo da natureza de BH, que arrastará mídia de todo o planeta, como comentou o editor do blog Folha Verde News, ecologista Padinha, ao ler esta matéria-destaque do jornal Estado de Minas.  Confira a reportagem, que está também no site http://www.em.com.br/  - Foi publicada no Diário Oficial do Município lei que autoriza o Executivo a contrair empréstimo de US$ 75 milhões, equivalente a R$ 150 milhões, para recuperar a Lagoa da Pampulha. Segundo o prefeito Marcio Lacerda (PSB), o esforço agora será de tentar incluir o recurso na programação de empréstimos do ano que vem do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A ressalva é de que, até ter o dinheiro em mãos, a Prefeitura ainda depende de aprovação do Senado. Aqui, neste ponto, abrimos um paralelo, comentando que lemos um documento muito interessante sobre a Recuperação da Lagoa da Pampulha, escrito pelo engenheiro Wilson Teixeira Moreira, que mostra que criada para ser uma reserva de água potável, a lagoa virou esgoto a céu aberto em seus 40 anos de vida: desde 1995 Oscar Niemeyer, vem criticando a situação, pedindo alternativas de solução que não sejam os 25 anos de obras inócuas, eleitoreiras, de engenharia só política e sem a necessária tecnologia ambiental. Mas a gente volta agora à importante matéria do Estado de Minas.

- Em pouco mais de um ano, o poder público terá o desafio de pôr fim à degradação que se arrasta por mais de três décadas e está estampada na mancha verde que repousa sobre o espelho d’água infestado por cianobactérias – microorganismos comuns em ambientes poluídos por esgoto. Afluente do Ribeirão do Onça, a Lagoa da Pampulha, que recebe esgoto de BH e Contagem, é um dos principais gargalos para a revitalização da Bacia do Rio das Velhas. No espelho d’água, são lançados dejetos de aproximadamente 90 mil pessoas, o equivalente à população de Itaúna. Lacerda explica que os recursos serão aplicados na retirada de 750 mil metros cúbicos de sedimentos (que representa 8% da capacidade do reservatório), no tratamento bioquímico das águas e em ações de embelezamento e manutenção durante dois anos. “Nossa carta-consulta já foi aprovada pelo Ministério da Fazenda, os editais para as licitações estão prontos, de forma que, assim que obtivermos os recursos, possamos começar as ações”, afirma o prefeito. A verba não inclui investimentos que já estariam sendo feitos pela Copasa, que estaria aplicando R$ 102 milhões em obras para retirar o esgoto da lagoa. Segundo a Copasa, a previsão é de que até dezembro de 2013 sejam implantados mais de 40 mil metros de redes coletoras, 15 mil metros de interceptores em BH e Contagem. “A implantação desses empreendimentos permitirá o tratamento de 100% dos esgotos coletados em Belo Horizonte e Contagem”, informa a Copasa em nota. Enquanto os trabalhos não são concluídos, uma mancha verde de cianobactérias suja a superfície da barragem, denunciando que muito ainda está por fazer. “É triste ver esta situação, pois é um dos lugares que mais chamam a atenção na cidade”, diz a estudante Júlia Almeida, de 17 anos, que gosta de “pensar na vida” em frente à lagoa. “Mas só quando o cheiro não está muito forte”, ressalta.  O atleta Luciano dos Santos, de 41, foi levar a tia Maria José de Jesus, de 81, para conhecer a lagoa e se deparou com um cenário que o desagradou. “É muita poluição que chega. Será que eles conseguem recuperar até 2014?”, questiona. O especialista em recursos hídricos Rafael Resck, cuja dissertação de mestrado teve como objeto a Lagoa da Pampulha, afirma que a limpeza da represa só ocorrerá quando a retirada dos esgotos for realidade. “O foco do problema é o esgoto e finalmente essa questão começou a ser tratada”, afirma Resck, que explica o porquê da mancha verde sobre o espelho d’água. “Com a seca, começa o início da proliferação das cianobactérias, conjunto de algas com espécies tóxicas, e a tendência é piorar. Elas exalam um cheiro ruim e contaminam outros organismos, como os peixes”, alerta.
A Bacia da Pampulha tem área de 100 quilômetros quadrados e abrange os municípios de Belo Horizonte e Contagem. Nesse perímetro, há 42 córregos, sendo que oito deles deságuam no reservatório. A lagoa tem 10 bilhões de litros de água, capacidade que já chegou a 18 bilhões de litros. De acordo com O último relatório do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) sobre a represa, 70% das águas tem qualidade considerada ruim ou muito ruim. Estão presentes em larga escala na lagoa coliformes fecais, fósforo, manganês, entre outras substâncias tóxicas. E o editor do nosso blog de ecologia e de cidadania, Folha Verde News, finaliza com mais um comentário a esta reportagem de muito valor: "Ao invés de uma lagoa tóxica e poluída por esgotos, a Pampulha recuperada em seu equilíbrio ambiental poderá ainda vir a ser a invasão da natureza na capital de Minas Gerais (uma das mais estratégicas do interior do Brasil) tornando BH uma cidade com potencial de vir a ser sustentável e exemplo para o futuro que precisamos criar no país e não, esta calamidade pública, como a chamou ainda em 1995 Oscar Niemeyer, que tentou levar adiante o projeto de JK", conclui o ecologista Padinha: "Esta mudança radical de estrutura é o desafio atual de BH e do próprio Brasil".
A recuperação Lagoa de Pampulha caso aconteça será um marco de desenvolvimento sustentável

Além do mais, uma invasão de natureza na cidade de BH a bem da oxigenação e da saúde da população
Fontes: http://www.em.com.br/
             folhaverdenews.blogspot.com

4 comentários:

  1. A recuperação ambiental da Lagoa de Pampulha realmente poderá vir a ser um marco de desenvolvimento sustentável, desde que desta vez se torne realidade, contrariando a já tradição de mais de 25 anos de obras inócuas, eleitoreiras, só de engenharia política e sem a tecnologia apropriada, como está expresso no estudo do engenheiro Wilson Moreira.

    ResponderExcluir
  2. A nossa equipe do blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News republica e acrescenta mais dados e informações esta importante matéria do site do jornal Estado de Minas, com a perspectiva de levar também ao movimento ecológico, científico de todo o país - usuário deste webespaço - esta necessidade de recuperação ou de fim a um crime ambiental de muitos anos.

    ResponderExcluir
  3. Pelo lado positivo, os investimentos e a recuperação real da Pampulha impulsionarão BH a se tornar em breve uma das cidades mais ecológicas do Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Entre a denúncia da calamidade pública e ambiental e a esperança da criação do futuro sustentável, nosso webespaço convoca você também para esta luta, fundamental para BH e também para o interior do país.

    ResponderExcluir

Translation

translation