quarta-feira, 4 de julho de 2012

REMADORES AJUDARAM A FUNDAR O CORINTHIANS HÁ 102 ANOS

Um pouco da história do clube que faz história hoje no futebol do Brasil e das Américas

Em 1910, operários do bairro de Bom Retiro praticavam o futebol em clubes da várzea local. Uma destas equipes, o Botafogo, acabou sendo extinto por determinação policial, motivada pelas constantes brigas em que se envolvia. Entre os ex-jogadores do Botafogo, encontravam-se os jovens que não curtiam brigas e amavam o futebol, eles se tornariam fundadores do Corinthians. Joaquim Ambrósio, Antônio Pereira, Rafael Perrone, Anselmo Correia e Carlos Silva, que no dia 01/09/1910 esperavam o bonde para voltar para casa, na antiga rua dos Imigrantes (atual rua José Paulino, no centro de São Paulo), quando, sob a luz de um poste de iluminação a gás, tomaram a decisão de fundar o novo clube. Após reuniões realizadas no salão do barbeiro Miguel Bataglia [futuro primeiro presidente do Corinthians], de que participaram também praticantes do remo, Joaquim Ambrósio sugeriu o nome de Corinthians, inspirado na excursão semanas antes do Corinthian Casuals da Inglaterra, com ótima performance em campos paulistanos. Outras sugestões de nome, como Santos Dumont e Carlos Gomes, participaram da votação que definiu Corinthians como o nome oficial. Os destaques que marcam a fundação do Corinthians são um clube do povo, numa época em que o futebol era um esporte de elite, fechada para os operários e imigrantes. Outra característica comum que reuniu os fundadores e atraiu os primeiros simpatizantes, era serem operários da região do Bom Retiro, notadamente da “São Paulo Railway”. A origem étnica não era o referencial, mas sim a classe social [trabalhadores] e a região de origem [Bom Retiro], havendo espanhóis, portugueses, italianos e até mesmo ingleses entre os fundadores e pioneiros. Também faz parte da fundação do Cortinthians, os remadores, quando ainda o Rio Tietê não era poluído e o remo, um esporte com muita força na Europa e nos Estados Unidos. Aliás, o remo está no distintivo e na história não somente do Corinthians mas de vários dos grandes clubes brasileiros, como o Clube Regatas Flamengo, Vasco, Remo de Belém do Pará, Botafogo do Rio. Hoje ainda pode-se ver na Urca remadores, mas são cada vez mais raros, em São Paulo, com os rios poluídos, foram construídas raias para a prática deste esporte, como a que existe na USP e a que se planeja para o Parque Ecológico do Tietê, no novo CT do Sport Club Corinthians Paulista. Até 1933, o escudo corintiano era apenas circular, com a bandeira paulista ao centro. Foi naquele ano, com o surgimento do Departamento de Remo, que os dois remos e a âncora foram incorporados ao símbolo. É apenas um dos exemplos da importância que o esporte já teve um dia no clube. Hoje relegado a segundo plano, diretores e ex-dirigentes do setor aguardam com impaciência duas mudanças que podem tirar do ostracismo os remadores, tanto no Corinthians quanto em toda cidade de São Paulo.

O clube do povo hoje no ápice de sua história no futebol

Depois de vencer várias vezes o Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil, sendo também o time com mais títulos no Campeonato Paulista, o Corinthians pode alcançar nesta noite de 4 de julho de 2012 no Estádio Municipal do Pacaembu a sua consagração internacional. Sim, já venceu o 1º Mundial da Fifa, em 2000, mas nunca havia conquistado nenhum título de campeão da Copa Libertadores das Américas, de importância continental e que leva o vencedor ao Mundial Interclubes no fim do ano. É mais um tabu que o Timão busca superar nesta noite, isso, além de derrotar o Boca Juniors da Argentina (campeão 6 vezes da Libertadores e carrasco de clubes brasileiros, como São Paulo, Palmeiras, Santos, Fluminense). Com a mística de ser o time do povo, o atual grupo de jogadores desenvolveu uma estruturta bem coletiva de jogar, liderada pelo treinador gaúcho Adenor Leonardo Bacci, o Tite: esta é a sua grande força atualmente, o coletivo, embora na história o clube do Parque São Jorge tenha tido grandes nomes, como Neco, Cláudio, Luizinho, Baltazar, Rivelino, Sócrates, Neto...e hoje, destaques como Cássio Ramos, Chicão, Fábio Santos, Ralf, Paulinho, Alexa, Danilo, Jorge Henrique...A união do grupo, a disciplina tática e talentos que se encaixam bem formam a estrutura corinthiana que hoje busca quebrar mais um tabu e dar alegria a cerca de 50 millhões de torcedores corinthianos que existem no Brasil, o país do futebol. A maior parte deles gostaria de ver em campo o garoto Romarinho, que em dois jogos, marcou 3 gols e já começa a virar um ícone. Vencer a Copa Libertadores, tentar também o Mundial contra o Chelsea e ampliar a sua história ou o seu alcance internacaional são as metas do Corinthians, vivendo hoje uma de suas maiores emoções no país do futebol. (Padinha)


A primeira formação do Corinthians em 1910 inspirado no futebol inglês

Na década de 50 o clube se consagrou como o campeão dos campeões paulistas

Na atualidade, a liderança de Tite e uma estrutura coletiva são a força do Timão

Ilustração da noite em que começou a ser fundado o Corinthians há 102 anos

Talismã do Corinthians 2012, Romarinho poderá entrar no jogo histórico desta noite

Fontes: Ata de fundação do clube

                                                                    Matérias de Milton Piazzi, Marcel Rizzo
                                                                    Jornal da Tarde e O Estado de São Paulo
                                                                    http://www.estadao.com.br/
                                                                     http://folhaverdenews.blogspot.com

8 comentários:

  1. Independente de interesses comerciais, do clima de rivalidade e até de violência entre torcidas rivais em grandes jogos como o desta noite, o Corinthians realmente é um fenômeno cultural, popular, tem uma mística no esporte e na vida dos brasileiros, estes fatos inspiraram nosso blog de ecologia e de cidadania a destacar um poucoi do que significa o Corinthians.

    ResponderExcluir
  2. De alguma forma, em alguns aspectos, Coritnhians e Boca Juniors, de Buenos Aires, Argentina, que fazem a finalíssima desta noite da Copa Liberdades das Américas de 2012, têm similaridades nas suas histórias e nas suas torcidas: o Boca, que derrubou vários times grandes do Brasil em outras edições da Libertadores, é o grande desafio final do Timão, para se fazer respeitar no futebol do continente e do exterior, como é aqui dentro do país.

    ResponderExcluir
  3. Procuramos destacar também na formação deste que é o clube mais popular da atualidade brasileira, a participação dos remadores (o remo foi um dos mais importantes esportes em décadas anteriores e luta para reverter a situação): um problema ecológico, a poluição dos rios (ainda mais em São Paulo) é um dos entraves a este resgate da história do remo, ainda hoje modalidade olímpica. Diante da poluição em Sampa, a raia da USP e a futura raia do Parque Ecológico do Tietê (CT do Corinthians) são a alternativa para a sobrevivência deste tradicional esporte, que está até no apelido popular do clube, Timão.

    ResponderExcluir
  4. Nesta quarta-feira, enquanto mais de 30 milhões de torcedores estarão no Brasil ajudando a empurrar o Corinthians em busca de seu primeiro título de Copa Libertadores diante do Boca Juniors, um pequeno pedaço de Londres ajudará modestamente no apoio pelo time de Tite. Na região de Tolworth, mais exatamente no acanhado Estádio de King George's Field, está situado o centenário Corinthian-Casuals Football Club, justamente o time que "batizou" a equipe paulista (o Timão se chama Corinthians em homenagem a este time inglês que na época era um dos melhors do mundo e fez uma excursão vitoriosa no Brasil em 1910). è a roda do tempo, mostrada hoje no site Terra.

    ResponderExcluir
  5. Dois jogadores de Franca e região, além do Weldinho que está no elenco do Timão hoje, participaram de momentos diferentes da história do Coritnhians: Bernardo Fernandes Silva, volante que passou pelo São Paulo, pela Seleção, e Rafael, meiaesquerda do tempo de Cláudio, Luizinho e Baltazar.

    ResponderExcluir
  6. Rafael Chiarello morreu precocemente, ainda jovem, sua família mantinha aqui e na região uma Cerâmica com o nome da família: foi um meia criativo, que jogou pouco tempo. Bernardo, que brilhou na Seleção, no São Paulo de Telê Santana e teve bons momentos no Coritnhians (na equipe que tinha Marcelinho Carioca e Viola) hoje é executivo no futebol nacional e do exterior.

    ResponderExcluir
  7. Bernardo Fernandes Silva atua junto a seis equipes profissionais do Brasil e algumas do exterior, como consultor e como agente da Fifa na compra e venda de jogadores, sendo umn dos emnpresários de maior sucesso na atualidade do futebol do Brasil. Em brave, faremos aqui no blog uma reportagem com Bernardo.

    ResponderExcluir
  8. E para completar, na noite de quarta-feira o Corinthians conquistou seu primeiro título da Copa Libertadores da América, vencendo por 2 X 0, dois gols de Emerson Seik (que se chama Márcio Tadeu Abulquerque) e acabando com mais um tabu do futebol, mais um derrubado pelo time do povo, que chega ao seu 102º ano de vida com uma das maiores coleções de títulos de campeão em todo o mundo da bola e no país do futebol. Campeão dos campeões...

    ResponderExcluir

Translation

translation