sexta-feira, 3 de agosto de 2012

QUATRO MULHERES DO GRUPO FEMEN SÃO PRESAS NUAS EM PROTESTO


Ativistas protestam contra Comitê Olímpico de Londres que estaria ajudando a violência islâmica


 (AFP PHOTO/ WILL OLIVER )
Segundo as ativistas do grupo Femen  autoridades olímpicas estão indiretamente apoiando agressões contra mulheres


Sob o argumento de que os Comitê Olímpico Internacional estaria dando de forma velada suporte a regimes sangrentos nos países islâmicos, como mostra o site do jornal  Estado de Minas hoje  - o único no Brasil a abrir espaço a esta manifestação política, além do nosso blog de cidadania Folha Verde News -  ativistas  do grupo de cidadania Femen protestou com frases no corpo e tirando a roupa em frente à Prefeitura de Londres, perto da famosa Ponte da Torre: a polícia londrina reprimiu a ação, prendendo quatro das manifestantes. O protesto foi organizado por feministas do movimento Femen, fundado em 2008 em Kiev, na Ucrânia, que busca usar a nudez do corpo em defesa da não-violência e de causas da cidadania ou da liberdade.  Em um comunicado divulgado no Facebook, o grupo exigiu que os estados que aplicam as leis da sharia sejam excluídos dos Jogos Olímpicos. "Com o apoio do Comitê Olímpico Internacional,os governos islâmicos usam a participação das mulheres nos jogos para esconder milhares de vítimas e mortos", diz o documento.Como é de praxe em manifestações do Femen, as ativistas pintaram palavras de ordem nos próprios corpos e tiraram quase toda a roupa. Uma das manifestantes exibia as palavras "não à sharia", em referência à temida lei islâmica que serviria de fio condutor para vários casos de violência contra a mulher. As quatro mulheres de topless foram presas por infração à Lei da Ordem Pública. Elas permanecem sob a custódia da polícia de Londres. "Não nos importamos que muitos não nos entendam e que outros critiquem nossa forma de protestar, o que interessa é que estamos lutando aqui hoje contra a violência que as mulheres vem sofrendo nos países do Islã", disse uma das ativistas a um correpordente da agência de notícias Reuters, ao ser colocada num camburão: "A mídia precisa alertar o povo disso".


Segundo elas, os governos que aplicam a lei da sharia que leva à agressão de mulheres...

....deveriam ser excluídos dos Jogos Olímpicos e não apoiados nas competições

Fontes: Reuters
             www.em.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. Pode até aparecer oportunismo ou meio de aparecer mas o grupo Femen já ganhou credibilidade por estar sempre indo à luta para destacar na mídia problemas de violência e de cidadania.

    ResponderExcluir
  2. Claro que todo mundo está mais é ligado nos resultados e nas performances dos atletas e das atletas dos mais de duzentos países participantes da Olimpíada de 2012 em Londres agora, mas é válida a posição e o alerta das ativistas do grupo Femen.

    ResponderExcluir
  3. Recentemente, durante a Eurocopa, elas sairam às ruas seminuas em Kiev, contra a prostituição naqueles jogos, colocando que a exploração da mulher é uma das formas de violência que precisam acabar para os homens serem mais humanos.

    ResponderExcluir
  4. Na atualidade em que a moda, os costumes e os meios de comunicação tornaram comuns ou rotina a nudez, o top less, as ativistas do Femen buscam usar o corpo como uma arma para divulgar as lutas pela não-violência, a justiça social, a liberdade e a cidadania, em especial, junto aos grandes eventos que reúnem a mídia internacional.

    ResponderExcluir
  5. Por não receberem apoio para a viagem e a entrada no Brasil, as ativistas do Grupo Femen não participaram, embora tivessem esta proposta, de promoverem atos públicos na Rio+20, a conferência mundial da ONU pelo desenvolvimento sustentável.

    ResponderExcluir

Translation

translation