terça-feira, 12 de março de 2013

ENTIDADES NACIONAIS DE CIENTISTAS TENTAM ESTIMULAR DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

SBPC e ABC mandam carta ao Congresso em apoio aos vetos de Dilma ao novo Código Florestal
Helena Nadder, presidente da Sociedade Brasileira do Progresso da Ciência, e Jacob Palis, que preside a Academia Brasileira de Ciências, as duas principais entidades brasileiras de cientistas, SBPC e ABC,  assinam documento em que as duas instituições científicas pedem a deputados e senadores que mantenham os vetos presidenciais ao novo Código Florestal: ambos manifestam assim a preocupação sobre a intenção de um grupo de parlamentares de derrubar os vetos da presidente Dilma Rousseff ao novo Código Florestal., realizados no ano passado e que garatiram uma sustentabilidade mínima à nova legislação, segundo avalia o editor do nosso blog da ecologia e da cidadania atento a esta ameaça "que pode vir a representar mais um retrocesso para o país", comenta Padinha, aqui do Folha Verde News, publicando este documento de grande valor para um avanço da nossa realidade.
"A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e Academia Brasileira de Ciência (ABC) veem com preocupação as notícias sobre a intenção de um grupo de parlamentares de derrubar os vetos da presidenta Dilma Rousseff ao novo Código Florestal (Lei 12.651/2012 e Lei 12.727/2012), aprovado pelos parlamentares no ano passado. Os vetos da presidenta atenderam, em parte, as reivindicações e contribuições da comunidade científica, entre as quais a garantia de inclusão social no campo, a correção da definição de pousio, o reconhecimento de que as várzeas, salgados e apicuns são áreas de preservação permanente, o impedimento do uso isolado de árvores frutíferas na recomposição de áreas de preservação permanente e o estabelecimento de regras diferenciadas para a recomposição das margens de rios, de acordo com o tamanho da propriedade. A SBPC e a ABC entendem que, na questão ambiental, o Brasil deve partir de premissas básicas que o próprio país aprovou em convenções internacionais, como por exemplo, a Convenção de Ramsar, a Convenção da Biodiversidade Biológica, a Rio +20 e a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Lembramos que nesta última, sob coordenação do Brasil, os países aprovaram o documento “O Futuro que Queremos”. O texto ressalta o compromisso com um futuro sustentável para o planeta de modo que haja a integração equilibrada das dimensões social, econômica e ambiental. Além disto, enfatiza os benefícios sociais, econômicos e ambientais que as florestas, seus produtos e serviços, podem proporcionar para as pessoas e para as economias. Para que isto ocorra, os países concordaram em realizar esforços para o manejo sustentável das florestas, a recomposição, a restauração e o florestamento, para aumentar as reservas florestais de carbono. Por isso, a SBPC e a ABC pedem que os senhores senadores e deputados mantenham os vetos presidenciais ao novo Código Florestal e o mantenham como está, pois foi o melhor que se conseguiu diante das circunstâncias históricas em que se deu sua discussão e elaboração".

Um maior equilíbrio sustentável entre a exploração econômica e a proteção da ecologia é fundamental para o Brasil
Fontes: Jornal da Ciência (SBPC)
             www.ecodebate.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. O documento das entidades científicas qure evitar que acordos políticos ou conchavos entre os parlamentares venham a descumprir os vetos da Presidente Dilma a erros e limites do novo Código Florestal, que assim, deixaria o país com menos chances de um equilíbrio sustentável.

    ResponderExcluir
  2. Os vetos presidenciais tinham base também em um consenso mediante o que todos os países ligados à ONU concordaram em realizar esforços para o manejo sustentável das florestas, a recomposição, a restauração e o florestamento, para aumentar as reservas florestais de carbono e as chances de futuro para a própria vida no planeta.

    ResponderExcluir
  3. Estes ideais maiores e internacionais, planetários, esbarram no interesse imidiato de grupos políticos e econômicos que se fazem prevalecer no Brasil: ao não respeitarem os vetos presidenciais estão submetendo a gestão pública do país aos seus objetivos, que com certeza não incluem ecologia ou desenvolvimento sustentável.

    ResponderExcluir
  4. A sociedade civil, lideranças da cidadania e do movimento ecológico, com base neste documento de alerta da SBPC e da ABC precisam se mobilizar para evitar o pior em termos de interesses nacionais de desemvolvimento sustentável.

    ResponderExcluir
  5. Nosso blog de ecologia e de cidadania considera também que a própria Presidente do Brasil precisa fazer valer a sua autoridade, mantendo os vetos e garantindo um mínimo de sustentabilidade à gestão pública brasileira.

    ResponderExcluir

Translation

translation