quarta-feira, 13 de março de 2013

HABEMUS PAPAM: ELE É ARGENTINO E JESUÍTA

Jorge Mario Bergoglio escolhe o nome de Papa Francisco e isso tem um sentido positivo

O arcebispo de Buenos Aires, de 76 anos, foi  surpreendentemente eleito o novo Papa  da Igreja Católica nesta quarta-feira. Ele optou por usar o nome de Francisco, algo que o editor do nosso blog Folha Verde News considera um sinal positivo: "Bergoglio é da ordem religiosa dos Jesuítas, que foi fundada em 1534 por Inácio de Loyola numa situação muito similar com a história de Francisco de Assis, considerado como seguidor de Jesus e pai da ecologia, este fato é significativo, digo isso por ser um ecologista e por lutar para que o ser humano de toda religião ou cultura supere os desafios da atual realidade, acredito que um Papa com esta atmosfera pode ajudar neste caminho", comentou Antônio de Pádua, o repórter Padinha ao editar aqui as primeiras informações sobre o fim do Conclave em Roma, captadas aqui ao vivo via a TV Globo News e os sites Terra e Veja/Abril: "Confesso que minha torcida pessoal estava sendo nas últimas horas pela escolha de um franciscano e capuchinho, o Arcebispo de Boston (USA) Sean Patrick O'Malley, até já havia imaginado um Papa de sandálias, com a tradicional humildade franciscana, uma coisa que poderia mudar o Vaticano, mas não deixa de ser um sentimento de esperança este religioso argentino ter escolhido o nome de Francisco, não é franciscano mas é Francisco".

O Bispo de Buenos Aires se transforma no Papa Francisco num momento apocalíptico...

...em que a Igreja Católica vive sua maior crise com os fatos que levaram à renúncia de Bento XVI
Quem é o Papa Francisco I, um perfil do religioso argentino e jesuita, novo líder Católico
Especialistas o consideram um articulador com grande capacidade e tem perfil fortemente doutrinário. Bergoglio é um intelectual jesuíta que anda de ônibus e tem se dedicado aos mais pobres com medidas práticas. Quando foi nomeado cardeal, Bergoglio persuadiu centenas de argentinos a não viajarem a Roma para celebrar com ele e, em vez disso, dar o dinheiro que seria gasto na viagem para os pobres.
Foi um opositor duro da decisão argentina de legalizar o casamento gay em 2010, argumentando que as crianças precisam ter o direito de crescerem e serem educadas por um pai e uma mãe. Ele foi nomeado cardeal por João Paulo II em 21 de fevereiro de 2001. Era arcebispo da capital argentina desde 1998.
Sarcedote jesuíta nascido em 17 de dezembro de 1936 em Buenos Aires, Bergoglio é filho de italianos. Ele formou-se em um curso técnico, mas, aos 21 anos, em 1957, decidiu converter-se em sacerdote, informa o jornal La Nación. Mais tarde, estudou teologia na Alemanha. Seu papel de liderança durante a crise econômica argentina poliu sua reputação no país como uma voz da consciência e fez dele um ativista contra o custo que a globalização pode impor aos pobres. Ele mesmo optou por uma vida simples, ao trocar o palácio do arcebispo por um apartamento simples e preparar suas próprias refeições. Membro da Companhia de Jesus, foi considerado na época um dos mais fortes candidatos a suceder João Paulo II, em 2005. Acabou por ser escolhido agora como sucessor de Bento XVI, devendo enfrentar no seu apostalado uma das maiores crises da Igreja Católica, do que todos têm uma idéia, é o assunto do momento em todos os país.


Os Jesuítas é uma ordem religiosa de educadores fundada por Inácio de Loyola no Século XVI

Nosso editor torcia pela escolha do franciscano Sean O'Malley mas vê com esperança o jesuíta Papa Francisco

Fontes: http://veja.abril.com.br
             Globo News
             www.terra.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. A crise apocalíptica da Igreja Católica é o assunto do momento em todos os países e ela dimensiona o desafio que terá o novo Papa Francisco. É similar e simultâneo ao desafio monstro de todo e qualquer ser humano na violência da realidade hoje em dia.

    ResponderExcluir
  2. Sem brincadeira nem trocadilho, com respeito, o novo Papa escolhido hoje pelo Conclave dos cardeais católicos não é um franciscano radical, como gostaria nosso editor, o ecologista Padinha, mas pelo menos adotou o nome de Francisco, realmente um detalhe significativo.

    ResponderExcluir
  3. Francisco de Assis, seguidor de Jesus e mestre da ecologia humana, também vista como não-violência, pode vir a inspirar um apostolado contemporâneo, civilizado, que mude os rumos do Vaticano e ajude a transformar a Terra.

    ResponderExcluir
  4. Se o fato de se autodenominar Francisco levar a todos a fazerem uma associação de idéia com um dos fundadores no Ocidente da ecologia, será algo positivo, se levar o novo Papa a buscar uma revolução sustentável na Igreja Católica, será um avanço, também para todos os que lutam para, independente da religião, criar nosso futuro.

    ResponderExcluir
  5. Pelo fato de ser argentino, isso vai gerar muitas piadas mas, explica ainda Padinha, eu me recuso a entrar nesta bobeira, o ser humano de qualquer país é o mesmo diante dos desafios que todos encaramos no momento presente da vida. É o mesmo e algo muito sério, não podemos fazer chacota à base de preconceito ou patriotada.

    ResponderExcluir

Translation

translation