quinta-feira, 4 de abril de 2013

BRASILEIRO CRIA REDE SOCIAL ALTERNATIVA E JÁ TEM 1 MILHÃO DE USUÁRIOS


Em três meses publicitário de Brasília consegue tornar realidade a rede social Mirtesnet
Charles Nisz, em sua coluna no site Yahoo, está informando que Carlos Henrique do Nascimento, um publicitário do Distrito Federal, no começo deste ano resolveu criar uma rede social inspirada no Orkut e no Facebook, a Mirtesnet, que hoje já atingiu cerca de 1 milhão de usuários no Brasil, EUA, Europa, África e Ásia. Nascimento largou a publicidade e montou uma central em Brasília para a nova rede social, que está virando realidade e a denominação Mirtesnet provém da mistura de Internet - posfixo net -  com o nome da mulher do seu criador, Mirtes Nascimento. "Vale pela ousadia e iniciativa deste cidadão brasiliense que levou adiante uma brincadeira com seu filho e acabou por descobrir que montar uma rede social pode até vir a ser um grande negócio e um produto cultural, desde que o empreendedor se informe e procure se cercar de webtécnicos especializados", comentou aqui no blog da ecologia e da cidadania o editor Padinha, repórter e ecologista que criou e coordena o Folha Verde News. Ele dá o crédito desta informação para o colunista do Yahoo, Charles Nisz, que o o primeiro a comunicar a criação desta nova rede social. E a idéia surgiu há três anos, quando Nascimento decidiu fazer algo para tirar o foco do filho de oito anos, então "viciado" no Facebook. "Via alguns conteúdos impróprios nas rede sociais existentes e disse ao meu filho: vamos criar a nossa própria rede", disse Nascimento, a sua primeira entrevista foi dada ao site R7.com.

O brasileiro Nascimento se mostrou criativo e ousado ao criar uma nova rede social

O projeto começa a virar realidade, já tem um milhão de usuários e entra em uns 10 países

Mirtesnet começou com um investimento de somente 13 mil reais
O nome deste webespaço foi escolhido por Nascimento e pelo filho como uma homenagem irônica para Mirtes, a esposa do publicitário. Irônica por que ela era contra o projeto do marido e do filho de criar uma nova rede social. Mesmo sem conhecimentos de informática e programação, Nascimento decidiu levar o projeto adiante. No início, o site tinha apenas 40 usuários cadastrados e a divulgação tinha abrangência local. Nascimento  teve coragem, vendeu alguns bens, pediu demissão do emprego, recebeu mais R$ 9 mil de um colaborador e na sala comercial cedida por esse mesmo amigo no centro de Brasília, Nascimento sediou a Mirtesnet. Depois de receber os R$ 13 mil, Nascimento contratou programadores para remodelar o site. Lançada em janeiro, a nova versão lembra bastante o Facebook e permite postar mensagens, textos, vídeos e fotos. A interface do site tem a cor laranja e tem muitas funcionalidades análogas ao Facebook, como o botão "gostei", similar à opção dos facers, curti. O site especializado em tecnologia Gizmodo.com.br fez uma avaliação bastante crítica da rede social lançada pelo publicitário do Distrito Federal. Segundo o Gizmodo, faltaram as comunidades e um botão "não curti". Mas o projeto foi elogiado pela sua ousadia. Nascimento espera que a Mirtesnet se torne a primeira grande rede social brasileira: "Assim como as pessoas perguntam hoje se fulano tem ‘perfil no face’, em breve vão falar que têm ‘perfil no Mirtes’. Até minha mulher, que antes não gostava, mudou e agora já apóia a idéia. Aos poucos vamos dar uma identidade totalmente personalizada, com aquele jeitinho brasileiro de ser".

Fontes: www.yahoo.com.br
             www.r7.com
             www.gizmodo.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

6 comentários:

  1. Quando o Facebook perder sua força, ele já tem um substituto disse por telefone ao nosso blog Nascimento, criador do Mirtesnet: argumentou que redes sociais costumam ser cíclicas — no início havia o Friendster, depois veio o MySpace e, em meados da década passada, o Facebook apareceu. No que depender do brasiliense Carlos Henrique do Nascimento, o fim do reinado de Zuckerberg está chegando e a próxima parada será a Mirtesnet, a rede social brasileira.

    ResponderExcluir
  2. Por enquanto, a Mirtesnet ainda é um projeto (e quase um sonho) embora já esteja virando realidade na Internet, o que vai impulsoinar um eventual crescimento desta rede social que aqui em nosso blog chamamos de alternativa, é a cara que ela terá, para motivar mais internuatas participarem, qual é a vantagem de ser um mirtesnetter?...

    ResponderExcluir
  3. A velocidade da informação e a relativa democracia da rede mundial de computadores permite mesmo iniciativas de criatividade como esta do Carlos Henrique Nascimento, a gente lembra que faz parte da tecnologia e da própria indústria cultural de hoje a segmentação, é ela que pode estimular novas redes, desde que tenham conteúdo ou um foco de interesse.

    ResponderExcluir
  4. A abrangência, a concretização e op crescimento desta rede social brasileira e alternativa Mirtesnet vai depende da adesão dos internautas do Brasil e do planeta: se aqui do blog podemos sugerir algo, além da divulgação na mídia, é este novo webespaço buscar uma cara própria, para mobilizar mais gente.

    ResponderExcluir
  5. Outra sugestão, do nosso editor do Folha Verde News: a defesa da liberdade de informação. Sem isso, não existe nenhuma rede social e nem mesmo a própria Internet.

    ResponderExcluir
  6. Vei na boa ele pegou a base do facebook e refez de um jeito difernti mais nem tanto

    ResponderExcluir

Translation

translation