terça-feira, 21 de maio de 2013

BRINCAR É O QUE HÁ DE MAIS IMPORTANTE PARA AS CRIANÇAS


Semana Mundial de Brincar terá atividades lúdicas, debates e palestras em 20 regiões do Brasil
Já começou a semana da brincadeira e aqui no blog da ecologia Folha Verde News mostramos a notícia que está no iG e no site da Aliança Pela Infância (entidade que promove o evento e o conceito):  a Semana Mundial do Brincar (SMB), iniciativa promovida pela Aliança, pretende reunir crianças de diversas idades e culturas para incentivar a prática de brincar de forma coletiva. De ontem 19 e até 26 de maio, atividades lúdicas, debates e palestras serão realizados em mais de 20 estados, entre eles São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Bahia e Mato Grosso do Sul. Cerca de 90 mil pessoas, entre crianças e adultos, devem participar desta Semana Mundial agora neste ano: “Percebemos que, atualmente, a prática de brincar é pouco respeitada pelos adultos. Desde cedo, as crianças têm muitos compromissos, atividades livres perderam espaço na vida delas”, afirma Giovana Barbosa Souza, gestora institucional da Aliança Pela Infância. Giovana ressalta que os responsáveis precisam oferecer brincadeiras livres, com a finalidade apenas do prazer da criança. Isso acontece por meio de materiais não estruturados, como madeira, palitos, tecido, enfim, objetos que permitam o uso da imaginação e da criatividade. “Nos grandes centros urbanos, as pessoas têm uma ansiedade muito grande de preparar seus filhos para o século XXI e atividades não dirigidas ficam em segundo plano. Nessa campanha, queremos sensibilizar os pais para que eles entendam que as crianças precisam brincar de forma mais livre, sem a presença tão frequente de brinquedos eletrônicos”, diz Giovana Barbosa Souza, da Aliança. Segundo os organizadores, no ano passado, 60 cidades de todos os lados do país realizaram atividades simultâneas durante a SMB. Mais de 70 mil participantes, contando crianças e adultos. A expectativa para este ano é contar com a participação de 90 mil pessoas em mais de 70 municípios brasileiros. "Aqui no blog a gente lembra ao resumir as informações do iG sobre a SMB que brincar é pura ecologia humana e também ajuda a formar a cidadania das crianças, que se ligam nas outras crianças através do convívio, das brincadeiras, que tambme relaxam e equilibram", comenta o editor de conteúdo do Folha Verde News, Antônio de Pádua Padinha.

Brincar com liberdade e em contato com outras crianças é fundamental para o desenvolvimento humano

Em regiões como a África há crianças que nem podem brincar

Em vez de trabalho infantil, brincar também no meio rural é essencial para a criança



Conceitos sobre as brincadeiras das criançasTradicional x eletrônico: um tipo de brinquedo é melhor do que o outro?
Pais precisam entender o universo dos filhos para orientá-los nos momentos de diversão, independentemente do formato do brinquedo.
O brinquedo certo para cada idade: cada fase do desenvolvimento infantil tem desafios diferentes e pede brinquedos específicos, descubra quais são.
A importância do brincar: pais não devem subestimar o valor das brincadeiras, essenciais para o desenvolvimento da criança.
Sete conceitos sobre brincadeiras infantis: “É importante permitir que a criança aprenda a brincar sozinha”, afirma Kathleen Alfano, especialista com mais de 40 anos dedicados ao desenvolvimento da criança.
Qual a quantidade ideal de brinquedos para o meu filho? Para as crianças, o ato de brincar é mais importante do que ter brinquedos. Pais podem criar hábito de doar as peças que não são mais usadas.
Quarto de brincar – e de organizar: criar um espaço específico para a brincadeira reforça senso de independência e de organização das crianças.
Brinquedo de menina, brinquedo de menino: estimular os filhos a brincar de boneca e as filhas a pilotar carrinhos incentiva a igualdade entre os gêneros no futuro.


Fontes: http://aliançapelainfancia.org.br
             www.ig.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

6 comentários:

  1. No dia a dia da violência na atualidade já há gente e situações em que parece que não existem mais crianças e infância: além de excesso de comprimissos, estudos, responsabilidades, nos meios rural e urbano também no Brasil crianças se submetem a trabalhos ou pelo menos mil obrigações...

    ResponderExcluir
  2. Há situações de desastres ambientais, como nestes dias o Tornado nos Estados Unidos, ou de violência direto no dia a dia, como em algumas regiões da África e do Oriente, mas também nas melhores cidades do mundo cada vez mais a garotada tem tantas atividades se preparando para a vida adulta, que não aproveitam a infância.

    ResponderExcluir
  3. É neste comtexto que fica de maior importância a iniciativa desta SMB, você pode conferir todos os detalhes e informações no site http://aliancapelainfancia.org.br onde há também sugestões de mais de 100 brinquedos e brincadeiras livres que você pode propiciar à sua garotada.

    ResponderExcluir
  4. Superimportantes a campanha e a proposta da Aliança Pela Infância, inclusive como ecologistas postamos as informações e os conceitos aqui no nosso blog, mesmo porque a criança está se afastando da liberdade e dos brinquedos informais e coletivos, isso faz parte também da cultura da violência da atualidade.

    ResponderExcluir
  5. Como se sugere nesta postagem, brincar é essencial para existir a infância e a infância, fundamental para desenvolver a cidadania, os brinquedos e as brincadeiras são pura ecologia humana, uma alternativa para a violência bem como aos erros ou limites da cultura da atualidade nas sociedades de consumo, onde se privilegiam os compromissos e o normal ou a rotina é a violência da realidade.

    ResponderExcluir
  6. "Milhões de crianças no Brasil e em todos os países não estão brincando prá valer e não por falta de opções de consumo de eletrônicos e sim pela desvalorização deste conceito da brincadeira livre e do descompromisso, que educam mais do que quaisquer cursos ou jogos digitais", diz Pedro Sara Reis, que faz teatro infantil e nos manda esta mensagem desde Brasília (DF) onde mora.

    ResponderExcluir

Translation

translation