quinta-feira, 30 de maio de 2013

JAPONESES PREPARAM USINA DE HIDROGÊNIO NO BRASIL

Projeto bilionário da Toyo-Setal será construído em Itaboraí no Rio de Janeiro até 2016


A Petrobrás concedeu a Toyo-Setal, filial da empresa Toyo Engineering, a construção de uma usina de hidrogênio que por volta de no máximo três anos funcionará na cidade de Itaboraí, no Rio de Janeiro, anunciou a companhia japonesa nesta quinta-feira via a agência EFE: a notícia está com destaque também em outrros sites como Yahoo, Planeta Sustentável, está atraindo a atenção de ecologistas, na UFSCAR  e na USP pesquisadores brasileiros já programam acompanhar este empreendimento, "que será uma avanço em termos de energia limpa e contemporânea, nosso país realmente precisa assumir a vanguarda em todo o planeta do desenvolvimento sustentável, esta parceria com empresa do Japão é superoportuna agora", aqui no nosso blog Folha Verde News comentou assim o repórter e ecologista Padinha ao editar esta boa  informação. O projeto, avaliado em cerca de R$ 1,2 bilhão, deverá ser  totalmente finalizado somente em meados de 2016 e fará parte do complexo petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ), atualmente ainda em construção. Sob o acordo, a Toyo-Setal anunciou que se encarregará do desenho do projeto, do equipamento, dos materiais e da instalação da usina de hidrogênio. O complexo COMPERJ é um dos projetos mais importantes da Petrobras e está também destinado a cobrir a crescente demanda de produtos petroquímicos e óleos ligeiros, detalhou o comunicado. O complexo petroquímico também terá duas refinarias com capacidade para gerar até 165 mil barris diários, enquanto a usina de hidrogênio japonesa terá capacidade de 250 mil metros cúbicos por hora. Durante os últimos 15 anos, a Toyo já  participou de 30 projetos no Brasil, tanto em alto-mar como em continente, relacionados com a construção de variadas alternativas de usinas energéticas ou de tratamento de água. Uma notícia que dá esperança e antecipa do futuro sustentável do país e do planeta.



Uma das primeiras Usinas de Hidrogênio do mundo está na Alemanha e é integrada com energia Eólica

USP estuda processo de implantação de uma usina de hidrogênio Segundo a jornalista Débora Spitzcovsky, o pesquisador Marcelo Zaiat, do Departamento de Hidráulica e Saneamento da EESC – Escola de Engenharia da USP-São Carlos, está já há mais de 2 anos estudando um novo método de geração de energia limpa para o Brasil, que utiliza apenas o hidrogênio como matéria-prima para a produção de eletricidade. A ideia de Zaiat é coletar a água residuária – ou seja, aquela que sobra do processo de produção – das indústrias de cerveja e refrigerante e, também, das sucroalcooleiras para transformá-la em hidrogênio, a partir de um processo químico anaeróbio. Se o projeto der certo, a intenção de Zaiat e sua equipe é aperfeiçoar a técnica e estudar meios de utilizar, também, a água residuária de estações de tratamento de esgoto para realizar o processo. O projeto da usina de hidrogênio conta ainda com a participação de especialistas da Udelar – Universidad de La Republica, de Montevidéu, no Uruguai, e por conta disso foi o ganhador do 5º Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia, que concorreu na categoria Integração. "Pena que a grande mídia brasileira não destaque este avanços", finaliza aqui no blog da ecologia e da cidadania o nosso editor de conteúdo, Antônio de Pádua Padinha.



Fontes: EFE
             www.yahoo.com.br
             USP São Carlos
             http://planetasustentavel.abril.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

6 comentários:

  1. Esperamos que um avanço deste porte não seja travado por um problema ou erro de gestão em nosso país, como recente aconteceu com alguns parques Eólicos no nordeste, não funcionando por falta de linhas de transmissão da energia.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom que o Brasil via a Petrobrás esteja fazendo esta parceria com a Toyo-Setal do Japão, atualizando a nossa estrutura energética, mas é fundamental que se convidem pesquisadores brasileirtos para acompanhar de perto este e outros projetos, gente como elo Marcelo Zaiat, da UFSCAR ou José Eustáquio Diniz, da Universidade de Pernambuco.

    ResponderExcluir
  3. Pesquisadores brasileiros já desenvolveram a tecnologia para implantar várias alternativas de energia limpa por aqui mas pena que o Ministério deste setor esteja sendo loteado por políticos do tipo de Edson Lobão.

    ResponderExcluir
  4. Se vc está pesquisando em alguma universidade ou entidade brasileira ou não alguma alternativa energética sustentável, favor entrar em contato com a redação do nosso blog: navepad@netsite.com.br
    Aqui, damos o nosso webesdpaço para divulgar as novas opções e novos caminhos para a criação do futuro.

    ResponderExcluir
  5. Nossa homenagem à empresa japonesa Toyo-Setal está com simplicidade manifestada aqui na TV do nosso blog Folha Verde News com a inserção de Tsubasa Inamura, cantando música brasileira (dos Engenheiros do Hawaii), também em alguns trechois em japonês: uma união cultural que pode dar jogo.

    ResponderExcluir
  6. José Alves e Alfredo, dois estudantes de Engenharia, que estão na Federal de São Carlos hoje captaram nossa notícia e nos mandam via Smartphone a informação de que a foto que estampamos no blog é da primeira usina de hidrogênio da Alemanha, "onde usaram também como sistema complementar energia eólica, as opções são variadas e muito postitivas para nosso país, desde que façam uma gestão inteligente, como este blog propõe".

    ResponderExcluir

Translation

translation