sexta-feira, 31 de maio de 2013

MARCOS PONTES VAI À LUTA NA ONU PELO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO BRASIL

1º astronauta brasileiro quer fazer de Roraima na Amazônia o primeiro Ecoestado do mundo


Roraima pode se tornar um Ecoestado em breve se depender de uma proposta elaborada pelo primeiro astronauta brasileiro, o engenheiro Marcos Pontes, embaixador da Boa Vontade da Organização para Desenvolvimento Industrial (Unido) da Organização das Nações Unidas (ONU). Ele apresentou o plano a funcionários da agência em Viena, na Áustria, explicando o porquê de escolher Roraima para o programa de desenvolvimento sustentável que faz parte dos seus ideais de vida: “Eu propus o estado de Roraima por causa da sua localização dentro da Amazônia, o que já chama a atenção, naturalmente, para a questão da sustentabilidade. E também pelo atual estágio de desenvolvimento de Roraima, região que também é muito propícia para um direcionamento sustentável. Em termos de número de cidades e de recursos florestais também, enfim, é um local indicado para um projeto deste alcance", disse o astronauta brasileiro que é locado na Nasa e que deverá voltar ao espaço em 2015 ou 2016 juntamente com os russos na ISS: "A viagem de cada astronauta custa cerca de 58 milhões de dólares, porisso as missões são tão raras e espaçadas", explicou ainda Marcos Pontes que, lado a lado com a sua profissão e com a função na Unido da ONU, é também um professor, dando aulas de Engenharia Astronáutica na USP de São Carlos, por aqui na macrorregião, nordeste paulista. Num intervalo, por telefone, ele falou ao blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News, argumentando que seu plano tem tudo para dar certo: "É um plano que vamos poder colocar em prática e conseguir esta primazia para o Brasil, concretizar o primeiro Ecostado do planeta em nosso país e na Amazônia, o que é ainda melhor". Por sua vez, o nosso editor de conteúdo, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha, ao postar estas informações comentou que "Marcos Pontes tem visão ao programar este primeiro Ecoestado na região amazônica, a idéia dele é integrar no projeto tecnologias e metodologias já testadas e aprovadas em programas da ONU em variados lugares do mundo, colocar tudo concentrado num local só, para estimular uma nova cultura, o novo formato de desenvolvimento através da sustentabilidade, que numa palavra é o futuro da Terra".


Vendo a Terra de fora, Marcos Pontes despertou para a luta de ajudar o seu futuro sustentável

Segundo o astronauta brasileiro embaixador da Unido, a agência deve decidir o destino da proposta ainda neste segundo semestre de 2013. Marcos Pontes estava na Áustria nesta quinta-feira, onde participava do Fórum de Energia de Viena, a convite da ONU: “Essa visão do astronauta, de olhar o planeta de fora, eu acho que é bastante útil no sentido de se mobilizar mais atenção da mídia e das pessoas em geral ao problema. A gente tem ainda muitas áreas escuras, de pessoas vivendo em condições terríveis por causa da falta de energia. Mas, hoje em dia, com essa questão de recursos, com essa questão de mudanças climáticas, essa conexão de energia tem de ser através do desenvolvimento sustentável, equilibrando assim a defesa da ecologia com o crescimento econômico”, conforme Pontes explicava em suas entrevistas a agências internacionais de notícia.

Antes de voltar ao espaço e à ISS o astronauta quer ajudar a sustentabilidade da Amazônia

Fontes: Rádio ONU
             www.onu.org.br
             www.ambiente brasil.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. Com certeza, o projeto do Ecoestado de Marcos Pontes tem muito a ver com o futuro da vida e a realidade da Amazônia, muito, muito, muito mais do que as megausinas hidrelétricas e outras loucuras da política energética brasileira.

    ResponderExcluir
  2. Como colaborador internacional da Unido, da ONU, o nosso 1º astronauta brasileiro tem toda credibilidade para levar adiante este projeto, além de astronauta, é pesquisador, cioentista, professor de engenharia astronáutica na USP de São Carlos.

    ResponderExcluir
  3. Vivemos na era da decisão a favor de uma nova forma de se viver na Terra, vai daí que Marcos Pontes junto à Unido e dentro também da sua atuação científica, está propondo este estágio de avanço rumo ao desenvolvimento sustentável, bem aqui no nosso país, que pode liderar este movimento de criação do futuro do planeta, mas não está fazendo isso, perdendo uma chance de liderança mundial.

    ResponderExcluir
  4. É possível uma interação entre a defesa ecológica e o avanço da economia, conforme é a proposta de Marcos Pontes no projeto Ecoestado. E é clara também a sintonia entre este astronauta e os ecologistas, ambos enxergam na luta pela sustentabilidade o caminho do futuro. A diferença no caso é que este profissional da Nasa tem o aval da ONU.

    ResponderExcluir
  5. Mande suas informações, comentário ou opinião sobre desenvolvimento sustentável e o projeto do Ecoestado para o e-mail da redação do nosso blog de ecologia e cidadania: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation