sábado, 11 de maio de 2013

UMA AULA DE TEATRO E DE REBELDIA NA VIDA POR ANTÔNIO ABUJAMRA

Mestre Abu agita corações e mentes da juventude do interior via o circuito cultural do Sesi

Um dos mais brilhantes e ousados diretores de teatro no Brasil, considerado cult e até maldito, acabou ficando famoso por sua atuação como ator em novelas de TV, ironia do destino?...Não, necessidade de pagar o supermercado. A resposta foi dada no palco durante a sua peça pela pessoa de Antônio Abujamra, personagem central do monólogo A Voz do Provocador, que nestes dias, entre abril e junho, está sendo apresentado por ele mesmo dentro do importante Circuito do Sesi em cidades como Araraquara, Itapetiniga, Rio Claro, São Bernardo do Campo, Sorocaba e Franca, onde de surpresa o seu espetáculo foi documentado pela equipe do blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News  (fotos de David Radesca), devendo as imagens serem editadas dentro do documentário Não-Violência X Fim do Mundo que o nosso editor de conteúdo, Antônio de Pádua Padinha está realizando e que deve estar finalizado só em uns três meses. Padinha, daqui do nosso blog, explica que "a luta cult faz parte da busca de uma realidade com menos violência, se o ser humano basear os seus atos na inteligência, na sensibilidade como é a proposta de Abujamra, neste monólogo e ao longo de toda a sua vida como diretor, ator, produtor de vangarda, isso será um avanço". Padinha que atuou em São Paulo com Antônio Abujamra anos atrás acrescentou ainda que "foi feliz termos recruzado nosso caminho em Franca, poderia ter sido na França, levando em conta o peso cultural da mensagem do Mestre Abu". Com certeza, Antônio Abujamra merece levar esta sua aula de teatro e de rebeldia para os maiores teatros do Brasil e do mundo, mas ele não se importa de apresentar A Voz do Provocador por enquanto em cidades do interior, mesmo porque, ele se lembra dos seus tempos de garoto em Ourinhos (SP), onde nasceu. Além de atuar em novelas muito populares, na Globo e em outras emissoras, ele mantém há anos na TV Cultura um programa que é superinteressante (Provocações) com muita importância no universo da produção cultural brasileira. No teatro, encenou autores como Bertold Brecht, Tenesse Willians, Ionesco, Shakespeare, trazendo novas idéias de encenação com Roger Planchon ou George Buchner, entre outros, além de autores brasileiros, em especial os de vanguarda ou mais rebeldes. Neste processo de trabalho, ele virou o Mestre Abu de todos os que buscam mudar e avançar a vida cultural e a realidade do país ou da vida. E é ele que está inteiro no palco neste monólogo provocador, que começa com poesias de Fernando Pessoa e termina com as aventuras de Ravenkar, que levam ao delírio a garotada que foi a maioria da sessão da tarde superlotada no Teatro do Sesi em Franca, onde nos reencontramos, um mestre de sempre e um ex-discípulo. Entre as peripécias de Ravenkar em Hollywood ou as mensagens cerebrais do Mestre Abu, este monólogo informa, critica, diverte até com palavrões bem colocados, mais ainda, agita os corações e a cabeça da juventude. Abujamra não deixou nem mesmo de se autocriticar, com humor judaico embora seja árabe, quando disse que quem poderia estar ali no palco em vez dele deveria ser toda uma geração silenciada ou destruída pela Ditadura, que durou uns 25 anos no Brasil, acabou mas deixou esta sequela de destruição de talentos rebeldes. Por sinal, sou um dos sobreviventes dos anos ditatoriais, retomando no blog e no documentário a luta cult agora, que hoje vivencio como cidadania e ativismo ecológico. Um sobrevivente se reencontra com um dinossauro. Esta deveria ser a manchete meio assim que apocalíptica desta matéria aqui neste webespaço, acessado por cerca de 120 mil internautas ao longo dos últimos 2 anos: a mensagem de Abujamra merece uma mídia de milhões de pessoas e não somente este texto do Folha Verde News que em média é lido por cerca de mil pessoas em cada edição do blog. Mas é o caso de se dizer, não importa a quantidade e sim a qualidade do rombo causado pela comunicação do Mestre Abu, um bruxo do bem, travestido de Ravenkar. Ou como resumiu Padinha, "vejo Antônio Abujamra como Charles Baudelaire, um profeta da inteligência disfarçado em anjo do mal". Com total economia de meios, sintetizada em alguns gestos e expressões, uma mensagem essencial, teatro com uns toques de imagem, bem amparada pelo artesão Pedro Paulo Zupo, pelo técnico Márcio Zunhiga Dias, o monólogo A Voz do Provocador fala muito, fala mais do que muitas peças por aí com trama intrincada, dezenas de atores e efeitos especiais, porém, sem o charme ou a perícia desse mestre que se chama Antônio Abujamra. No seu estilo, em vez de mestre, ele também poderia ser definido como um monstro da comunicação.


O provocador cult Antônio Abumajra no seu monólogo que é um evento de comunicação

Aqui, ao lado do editor do nosso blog Padinha que se reencontrou com Abu com alegria


Fontes: Teatro do Sesi
             http://folhaverdenews.blogspot.com

8 comentários:

  1. O jovem ator Jesus Rios, que também estava na platéia do Teatro do Sesi Santa Cruz em Franca na sessão da tarde do monólogo de Abujamra, comentou que "depois de tantas aulas de teatro, tantos ensaios e laboratórios, aprendi muito mais com este espetáculo feito por um cara sentado no palco mas com uma grande força de comunicação, ele parece uma fera,dá saltos em cena"

    ResponderExcluir
  2. Por sua vez, o produtor cultural Luciano Cáceres, também assistindo ao monólogo, falou ter se inspirado para fazer uma tatuagem ao mesmo tempo de anjo e de monstro.

    ResponderExcluir
  3. As fotos de David Radesca e este post coordenado pelo nosso editor de conteúdo, o repórter e ecologista Padinha, resumem também o que será um dos blocos que estarão na edição do documentário que mostra a realidade violenta de hoje em dia, sob o ponto de vista da busca da paz e da inteligência. Um tema meio que similar ao do monólogo de Antônio Abujamra.

    ResponderExcluir
  4. Recebemos do jornalista especializado em ecologia, Daniel Carvalho, de Araraquara, o seguinte e-mail: "Dia 13 de junho vou poder conferir ao vivo este trabalho que vai passar pela minha cidade e agora, com muito mais interesse ainda depois destas informações deste blog".

    ResponderExcluir
  5. Mande vc tb a sua mensagem, opinião, comentário ou informação para o e-mail da redação do nosso blog navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Além de várias peças, como Longe Daqui, Aqui Mesmo sobre os hippies (de Antônio Bivar), vi muitos trabalhos de valor do diretor Antônio Abujamra, na Cultura, curti o seu Ravenkar na Globo e outras novelas onde ele atuou como ator, mas o que me vem mais à memória é o programa de TV Divino Maravilhoso, que ele dirigia com Fernando Faro e apresentando o pessoal do Tropicalismo, como Caetano, Gil, Rita Lee, Tom Zé. Abu está sendo na vanguarda e por isso, mesmo já um senhor, continua sendo um garotinho.

    ResponderExcluir
  7. "Quem está sempre na vanguarda é cult e não envelhece", é o comentário do internauta Arthur Moreira Campos, de Belo Horizonte. Mande vc tb o seu e-mail para o nosso blog:
    navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  8. Padinha a matéria sobre o Antônio Abumjara ficou top no seu site , parabéns!
    (Mensagem que nos enviou o repórter Cássio Freires)
    Mande vc tb seu comentário sobre Abu: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation