segunda-feira, 20 de maio de 2013

UMA PEQUENA GRANDE NOTÍCIA EM BUSCA DA POESIA DA VIDA

Uma segunda de primeira em Campinas sem a violência de grandes eventos rola a Parada Poética

Nestes dias em que a violência comeu solta tanto no megaevento Virada Paulista, como também nos bastidores da festa do futebol, esta segunda-feira nasce com uma boa notícia na seção do interior do site iG: a Casa São Jorge, em Barão Geraldo, vai abrigar hoje a 3ª Parada Poética, um encontro em Campinas que ocorre sempre às segundas-feiras em bares tendo como objetivo “maltratar a gramática e colocar a culpa na licença poética”. Os outras edições foram realizadas em Nova Odessa e Americana, as quais atraíram cerca de 300 pessoas cada. De forma pouco convencional, logo na entrada, o público ganha de brinde uma cápsula de “pó-esia”. A poesia vem embalada em “pinos poéticos” com o intuito de transpor a noção de que o livro é feito para ser consumido e não enfeitar estante. "Não importa que não se atinja multidão, este pequeno evento cult tem a importância de valorizar na realidade de violência de hoje em dia a busca da inteligência e da sensibilidade, coisas que andam faltando muito no dia a dia de todos nós", comentou aqui no blog da ecologia e da cidadania o repórter e ecologista Padinha, ao editar hoje o Folha Verde News. Ele abre este webespaço para esta notícia, explicando "que precisamos mesmo de buscar a poesia da vida, a aventura cult precisa ser vista também um fator de equilíbrio sustentável, uma forma de avançar a nossa realidade aqui, agora".
A proposta da Parada Poética surgiu, explica a matéria do iG quando o poeta Renan Inquérito e o fotógrafo Márcio Salata ouviram o verso “Vendo pó, vendo pó, vendo pó-esia” durante a Festa Literária Internacional de Paraty (RJ), a Flip. A partir desse momento, decidiram criar um sarau de poesias na região metropolitana de Campinas. “Concentramos gente interessada em falar e em ouvir. O público é formado por gente de todas as idades que querem mostrar suas criações”, disse Salata, frisando que a ideia é promover a acessibilidade à literatura e tirá-la de ambientes comuns, como bibliotecas e casas culturais e levá-la para lugares diferenciados, como os bares. Poesia na rua, no dia a dia da realidade. O sarau vai contar com o coletivo Poetas Ambulantes, que recita poesias em ônibus e metrôs de São Paulo. e o show musical de Francisco El Hombre. A entrada é franca. Não condir com a cidade Franca, onde o que está acontecendo é só mais uma Expoagro.
3ª Parada Poética/Segunda-feira (20), às 19h/Casa São Jorge (Avenida Santa Isabel, 655, Barão Geraldo, Campinas, fone: 3249-1588). Hoje, cá entre nós, é ali o endereço da poesia.


Em meio a uma realidade monstruosa de repente a busca da inteligência e da sensibilidade

Fontes: www.ig.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

4 comentários:

  1. Dentro da nossa luta de todos os dias pela não-violência, selecionamos esta notícia do iG como uma forma de dizer que a em meio a uma realidade monstruosa de repente a busca da inteligência e da sensibilidade faz parte da ecologia da vida.

    ResponderExcluir
  2. Participando ou não desta Parada Poética nesta noite, esteja onde estiver, mande para o e-mail do nosso blog a sua notícia sobre a busca da poesia na realidade de hoje: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Uma maneira ou tática de lutar contra a violência é valorizar a busca da inteligência e da sensibilidade: este é o enfoque de hoje aqui no blog Folha Verde News, OK?

    ResponderExcluir
  4. "Não vivemos só de grandes acontecimentos ou de atos heróicos mas também de pequenas atitudes no dia a dia, sejam anônimas ou não, elas têm o poder de mover a realidade". (Gandhi).

    ResponderExcluir

Translation

translation