segunda-feira, 17 de junho de 2013

DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA E MATO GROSSO NA REALIDADE AUMENTOU

Monitoramento independente do desmatamento mostra que ele aumentou 50% desde março


Com informações de Daniele Bragança e Rafael Ferreira, o blog do Fórum de Direitos Humanos e da Terra (Mato Grosso, Brasil) diz que após uma queda em fevereiro, o desmatamento voltou a subir em março, um aumento de 50% em relação ao mesmo período do ano passado (a área desmatada no mês de março de 2013 foi de 80 quilômetros quadrados (km²) contra 53 km² em março de 2012). Desde agosto, quando o desmatamento começou a ser medido, se passaram mais de 9 meses e destes, em 6 meses a área que foi desmatada aumentou: os dados são do Boletim de Desmatamento (SAD) do Imazon, que fez neste período de quase um ano o monitoramento independente do desmatamento na Amazônia Legal. Na edição de hoje, 17 de junho de 2013, o site do jornal O Estado de São Paulo dá também dados sobre este problema. A busca de como anda o desmatamento no norte do Brasil mobiliza também ecologistas, desde que por exemplo operações da Polícia Federal apreenderam madeiras nativas retiradas ilegalmente, como foi o caso na Reserva Biológica do Gurupi, no Maranhão, crime que você pode conferir nesta foto de Nelson Feitosa/Ascom Ibama/PA, aqui no blog da ecologia e da cidadania, Folha Verde News, que está sempre acompanhando este assunto com prioridade: "A gente defende um Desmatamento Zero porque sabemos que há 30% de terras que não estão sendo usadas pelos 200 milhões de hectares destinados à pecuária brasileira, isso significa que não precisa ser desmatado mais nada nem para criação de gado nem para plantio de soja", comenta o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha, editor de conteúdo de nosso webespaço, argumentando ainda que "neste contexto agroeconômico deveria haver mais proteção à última ecologia brasileira, precisamos de uma gestão de desenvolvimento sustentável urgentemente na área rural e também urbana de todo o nosso país".

Continuam sendo registrados desmatamentos ilegais e criminosos em toda Amazônia Legal
Após uma queda em fevereiro, o desmatamento voltou a subir em março, com um aumento de 50% em relação aoque ocorria neste período do ano passado. O período de chuvas na Amazônia continua, e com ele, as núvens, que atrapalham a visualização de toda a floresta pelo satélite espacial. Em março, 60% do território não pôde ser monitorado. No mesmo mês em 2012, a cobertura de nuvens atingiu 74% da Amazônia Legal. Os estados mais prejudicados pela cobertura de nuvens foram Amapá (92%), Rondônia (82%) e Pará (81%), áreas onde há uma grande pressão de desmatamento: “Os dados do mês de março ainda podem estar subestimados, áreas onde o desmatamento vem avançando tiveram uma alta cobertura de núvens, como por exemplo, o oeste do Pará, no eixo da BR-163. Onde houve melhor visibilidade, como o Mato Grosso, tivemos uma alta detecção de focos de desmate. É preocupante pois já passamos da metade do calendário de monitoramento e as altas perduram”, explicou Heron Martins, pesquisador do Imazon. Mais da metade do desmatamento que foi detectado em março ocorreu no Mato Grosso (56%), seguido por Rondônia (28%), Pará (9%), Roraima (3%), Acre (2%) e Amazonas (2%). Para Martins, o aumento em março segue a tendência dos últimos meses. No acumulado do ano do desmatamento (que começa em agosto e vai até julho do ano seguinte), foram desmatados 1.430 quilômetros quadrados de floresta, um aumento de 88% em relação ao período anterior (agosto/2011 a março2012), quando quando foram desmatados 760 quilômetros quadrados. Em 8 meses, a Amazônia Legal perdeu uma área um pouco maior que o equivalente a duas cidades de Salvador na Bahia, por volta de 693,276 km².

Fontes: http://direitoshumanosmt.blogspot.com.br
            Boletim do Desmatamento do SAD/Imazon
            www.estadao.com.br
            http://folhaverdenews.blogspot.com

7 comentários:

  1. O aumento do desmatamento e a falta de uma gestão de desenvolvimento sustentável no país podem ser colocados dentro do contexto desta onda de violência que assola o Brasil agora.

    ResponderExcluir
  2. Os dados do Imazon que detecta o problema via satélite mostram que se em 2012 houve um desmatamento de 760 quilômetros quadrados, agora em 2013, ainda começando, o desmatamento já chegou a 1 milhão e 430 mil quilômetros quadrados. E isso, sem que possa ter sido feito a medida em todas as áreas por causa das núvens e das chuvas desta época.

    ResponderExcluir
  3. Em dois anos de funcionamento do nosso blog de ecologia e de cidadania fizemos aqui 1.584 postagens, pelo menos 10% delas foram sobre este problema, que consideramos vital para um reequilíbrio ecológico e socioambiental do país.

    ResponderExcluir
  4. Neste período em que mantivemos na web a nossa luta via as informações do Folha Verde News, mais de 158 mil internautas visitaram nossa página: não é nada fora do comum mas é uma quantidade expressiva de gente, espalhada por todas as regiões do Brasil e até (em torno de 5% dos acessos) do exterior. Isso reforça campanhas de advertência e de conscientização como o Desmatamento Zero, do Greenpeace, que já atingiu todo o planeta.

    ResponderExcluir
  5. Mande sua opinião vc tb, comentário ou informações sobre o problema do desmatamento ou sobre a luta na Internet ou via a sua entidade por uma nova realidade sustentável no país e no planeta também, para o e-mail da redação do nosso blog: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Atenção que erramos nas contas num dos comentários anteriores aqui neste webespaço: no ano passado foram 760km2 de desmatamentos, neste anbo até agora, 1 mil e 430 quilômetros quadrados e não, 1 milhão, como digitamos erroneamente. Quando erramos, reconhecemos e tentamos corrigir nossa falha, o que nem sempre ocorre com o Ibama e outros órgão oficiais deste setor. Agradecemos a correção ao internauta Victor de Almeida (Santos, SP) que detectou nossa falha.

    ResponderExcluir
  7. Postamos esta matéria do Folha Verde News no Facebook com o comentário: Há muito mais do que chuvas e núvens que atrapalham o satélite a monitorar o desmatamento na Amazônia...

    ResponderExcluir

Translation

translation