segunda-feira, 26 de agosto de 2013

ADVENTISTAS QUEBRAM SILÊNCIO E SE MANIFESTAM PELA NÃO-VIOLÊNCIA

Em Franca assim como em várias cidades do Brasil protesto diante de várias formas de violência

Nesta cidade do interior de São Paulo (nordeste paulista), cerca de mil cidadãos e cidadãs, em especial, jovens, adolescentes e crianças ligados à comunidade Adventista se manifestaram publicamente neste sábado contra o uso de cigarro, drogas, álcool, pedofilia, bullying e as várias formas da violência na atualidade do país e da vida: "É tempo de unir forças contra a realidade violenta", escreveu Wiliane Steiner Marrone, coordenadora do projeto Quebrando o Silêncio no Brasil e em toda a América do Sul, em nome do Adventismo, um movimento cultural ligado a esta religião evangélica. (Steiner editou uma revista sobre este projeto, publicada pela editora Sinal dos Tempos).  E assim como foi por aqui, irá acontecendo em outras cidades esta manifestação que, em Franca, teve o apoio de ativistas da não-violência, como é o caso do editor do blog Folha Verde News, o ecologista e repórter Antônio de Pádua Padinha: "Todos os que repudiamos a atual situação geral de violência do país e da vida, temos que apoiar também, de uma ou outra forma, esta feliz iniciativa dos Adventistas, no nosso caso, procuramos divulgar esta proposta na cidade, na região e junto a lideranças do movimento ecológico e de cidadania de todo o país, especialmente via o nosso blog e também em posts no Facebook".  No movimento dos jovens que desde junho têm ido à rua, em várias regiões do país com variadas propostas para mudar e avançar o Brasil, Quebrando o Silêncio é uma nova alternativa de luta, de grande importância por colocar para a população a necessidade de transformar a realidade violenta, sendo que a juventude adventista se mostrou assim consciente do valor da cidadania agora, trata-se de uma religião diferente da maioria, com um movimento cultural de muita força e tradição, que busca em síntese seguir Jesus e anunciar a sua volta. Para preparar o caminho do futuro, a violência é um problema que precisa ser solucionado. Neste ponto, adventistas e ativistas do movimento ecológico, da não-violência e da cidadania estão todos identificados, cada um dentro de sua linguagem, na mesma luta.  (Fotos de David Radesca)

Cerca de mil manifestantes da comunidade Adventista...

...fizeram manifestação nesse sábado também em Franca

Houve algumas performances no tema dos protestos

Ecologistas e população apoiaram a manifestação....

...pacífica, como muitos jovens vem fazendo para mudar a realidade


Fontes: www.cpb.com.br
             http://quebrandoosilencio.org
             http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. Nestes dias, a mesma campanha Quebrando o Silêncio está lançando uma revistinha de quadrinhos Perigos em rede (Clubinho em Perigo) com o objetivo de conscientizar também a garotada sobre a violência da atualidade.

    ResponderExcluir
  2. Ecologistas, ativistas da não-violência, deram um apoio para divulgar esta iniciativa de muito valor dos jovens Adventistas: nas ruas, em vários lugares a população apoiou a manifestação pacífica que teve um clima muito positivo, devendo acontecer em várias cidades do Brasil e da América do Sul.

    ResponderExcluir
  3. Este projeto Quebrando O Silêncio é de grande valor cultural, socioambiental também, ajudando a cidadania, a ecologia, a não-violência, enfim, a criação do futuro, colocando na rua os jovens do movimento e da religião Adventista no sentido de mudar e avançar o ser humano agora.

    ResponderExcluir
  4. Você pode mandar a sua mensagem, comentário ou informação sobre esta postagem ou este tema, enviando e-mail para a redação do nosso blog: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Todos estes movimentos se entrecruzam e é importante que possa começar mesmo uma ação ética e até política, envolvendo a todos eles, o quer ajudará o país avançar": o comentário nos foi enviado ao blog pela internauta Lorena Salles, de Divinópolis (MG), ela que é filiada ao PV e pretende fazer algo como este movimento na sua cidade e região.

    ResponderExcluir

Translation

translation