terça-feira, 26 de novembro de 2013

MELHOR ABASTECIMENTO DE ÁGUA E MENOR RISCO DE DESABAMENTOS

Recuperação do bioma Mata Atlântica, uma grande meta sustentável do Brasil agora

"Pelo menos 60% das espécies de fauna e flora brasileiras ameaçadas de extinção localizam-se na área de abrangência da Mata Atlântica, hoje formada por apenas 20% da sua cobertura original. Cerca de 70% da população brasileira (140 milhões de pessoas), responsáveis por 80% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, vivem em áreas urbanas e rurais com fragmentos de cobertura do bioma, que vai do Nordeste ao Sul do Brasil", assim começa o texto de matéria distribuída por técnicos ambientais do MMA (Ministério do Meio Ambiente), enviada também por e-mail para nós do blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News. Os dados foram apresentados ontem à tarde em Brasília pelo diretor do Departamento de Conservação da Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Carlos Alberto Scaramuzza, durante o Seminário Aprendizagens e Perspectivas para Políticas Públicas de Biodiversidade e Clima para a Mata Atlântica, que encerrou o Projeto Mata Atlântica II. Scaramuzza afirmou que a recuperação do bioma permitirá o melhor abastecimento de água para as populações que ocupam esses espaços, além de reduzir os casos de enchentes e de tragédias provocadas pelos deslizamentos de terra durante o período chuvoso, algo que se acentua a partir de agora no verão, em que o INPE prevê muitas chuvas neste ano.
 

Estas são as áreas da Mata Atlântica a serem recuperadas na parceria Brasil-Alemanha


Restam apenas 20% das áreas nativas da Mata Atlântica do país


Últimas reservas de água limpa do Brasil


Parceria Alemanha-Brasil para recuperação de um bioma fundamental para a vida por aqui

O secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, Roberto Cavalcanti, ao falar sobre a importância da recuperação da Mata Atlântica, afirmou que restaurar a cobertura vegetal do bioma é essencial e refletirá em todas as áreas de floresta do Brasil. Segundo Cavalcanti, o governo brasileiro conta com a colaboração importante de entidades alemãs na efetivação do projeto de recuperação deste bioma a partir da integração dos resultados da pesquisa científica dos dois países. De acordo com a representante da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (GIZ, sigla em alemão) no Brasil, Ingrid Prem, o governo alemão investe em projetos como o destinado a recuperar no máximo que der a cobertura vegetal da Mata Atlântica. “Brasil e Alemanha têm desafios globais comuns para conservação da biodiversidade e para o enfrentamento das mudanças climáticas”. Os dois países, segundo Ingrid, têm assumido compromissos nos temas biodiversidade e clima e se juntaram, numa parceira estratégica que já dura 40 anos para enfrentar esses desafios."Trata-se de um dos mais importantes projetos de sustentabilidade no país agora", comenta por sua vez o editor de nosso blog, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha. Mas, voltando ao texto do MMA, o secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, Paulo Guilherme Cabral, esclareceu que boa parte dos municípios abrangidos pela macrorregião da Mata Atlântica já está com o Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar) implantado. Segundo ele, em dezembro, a própria Ministra Izabella Teixeira deverá assinar uma instrução normativa dando início ao cadastramento ambiental rural em âmbito nacional, permitindo aos produtores rurais receberem o apoio dos órgãos estaduais de meio ambiente e de agricultura. E dando uma melhor base para o planejamento e ação deste projeto de recuperação deste bioma fundamental para o reequilíbrio da ecologia no país, através desta parceria Brasil-Alemanha. Nós estamos divulgando aqui no blog esta parceria com a consciência do seu extremo valor para o reequilíbrio do meio ambiente brasileiro e as chances de futuro em nossa vida.

Fontes: www.ambientebrasil.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. Acompanhe as informações sobre a parceria Alemanha-Brasil para a recuperação do bioma Mata Atlântica, esta parceria tem um extremo valor para um sonhado reequilíbrio do meio ambiente brasileiro e as chances de futuro em nossa vida.

    ResponderExcluir
  2. Existe um documento, a Carta da Mata Atlântica, que pode ajudar o mapeamento desta parceria de recuperação do bioma: ele é resultado das contribuições feitas durante a Semana da Mata Atlântica 2013, realizada em São Paulo.

    ResponderExcluir

  3. A Mata Atlântica figura como o Bioma mais ameaçado do Brasil, sendo globalmente reconhecida como uma prioridade para ações de conservação da biodiversidade e restauração ecológica. A Lei Federal nº 11.428 de 2006, conhecida como “Lei da Mata Atlântica”, regulamentada pelo Decreto Federal nº 6.660 de 2008, é o principal dispositivo de proteção do bioma. Ainda que a maior parte dos dispositivos desta lei já tenha sido regulamentada, e apesar do grande avanço na legislação ambiental ao longo das últimas décadas, o momento é de preocupação. Existem dezenas de iniciativas que constituem ameaças à proteção legal da Mata Atlântica. Como exemplos podemos citar a Proposta de Emenda Constitucional 215/2000 (PEC 215), que transfere do Poder Executivo para o Congresso Nacional a aprovação de demarcação, titulação e homologação de terras indígenas, territórios quilombolas e a criação de unidades de conservação da natureza, e também os Projetos de Lei 2.441/2007, 2.995/2008 e 2.751/2008, estes últimos visando reduzir a proteção legal da Mata Atlântica.

    ResponderExcluir
  4. Para exemplificar o desafio desta parceria...O Programa Nacional de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica: A implantação da Lei da Mata Atlântica requer planejamento, gestão e capacitação. O Programa Nacional de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica é o documento base para a implantação efetiva de uma política de conservação e recuperação da Mata Atlântica, bem como para definir sua agenda nos diversos estados, e precisa ser incorporado como instrumento para a correta gestão do bioma. Esta agenda deve ultrapassar os limites dos órgãos ambientais e sua execução – de forma transversal, interinstitucional, da escala global à local – exige a criação de espaços que contemplem a participação e envolvimento da sociedade civil organizada e fortaleçam o Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA); Metas - Política Nacional de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica oficializada e Programa Nacional de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica operacional até 27 de maio de 2014; Plano de Ação para o cumprimento e monitoramento das Metas de Aichi para o bioma, envolvendo os estados, oficializado até 27 de maio de 2014; Urge, portanto que os distintos segmentos da sociedade – governos, empresas, proprietários privados, agricultores, cientistas, organizações sociais e de conservação, e muitos outros – sejam envolvidos e assumam o compromisso de atingir estas metas até o próximo Dia Nacional da Mata Atlântica, em 27 de maio de 2014. Para tanto, serão realizados encontros presenciais específicos e atividades por comunicação remota, que permitam o aprofundamento desta agenda, para detalhamento das metas aqui indicadas e para a articulação dos atores envolvidos neste processo. E, por estarem de acordo com o processo e as metas estabelecidas neste documento, os signatários abaixo demonstram e assumem seu compromisso com a conservação, recuperação e o uso sustentável da Mata Atlântica.

    ResponderExcluir
  5. Dentro desta pauta de urgência para a recuperação ambiental e uma gestão de desenvolvimento sustentável no país, mande a sua opinião, informação, mensagem para a redação do nosso blog de ecologia e de cidadania: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation