quinta-feira, 21 de novembro de 2013

TENOR DE NOSSA REGIÃO VÍTIMA DE RACISMO FAZ SUCESSO AGORA

Jean William, vitima de racismo em Ribeirão Preto, hoje atua como tenor também no exterior

Com pouco mais de 17 anos, franzino, o interesse por música e a voz de Jean Willian chamaram a atenção numa aula de Geografia numa escola estadual de Ribeirão Preto: a professora Júlia o encaminhou para um conservatório, onde passou a estudar piano e canto. Mas ali  Jean foi desaconselhado a tentar a carreira de músico erudito por ser... negro. "Não existem príncipes negros nas óperas", foi assim desaconselhado a seguir o seu sonho. Mas a professora Júlia não o deixou desistir. Hoje, com 27 anos, Jean Willian já é um profissional de música erudita. Fez faculdade na USP (na ECA em São Paulo), ali conheceu gente como a jornalista Mônica Bérgamo e o maestro João Carlos Martins, que estimularam a sequência da sua luta cultural: "Não vou nem dizer o nome de quem no conservatório me tratou com preconceito e quase acabou com a minha carreira, quero sim é falar os nomes das pessoas que ajudaram eu transformar meu sonho em realidade". disse Jean William para Jô Soares, onde foi entrevistado em seu programa de alcance nacional. Além da professora de Geografia, Júlia, da jornalista Mônica Bérgamo e do maestro Martins, ele destacou no Programa do Jô os seus primeiros incentivadores, o seu avô (bóia-fria) e sua avó (faxineira de hospital) com quem vivia em Barrinha, cidade do nordeste paulista: "Meu avô chegava do corte de cana, tomava um banho e toda noite me ensinava musiquinhas simples que ele tocava num piano de brinquedo", contou Jean William. Ele agora está sendo destacado nestes dias (ainda dentro do clima da Consciência Negra) pelo site da BBC, que mostra um clip de Jean ao piano e onde foi entrevistado pelo repórter Maurício Moraes. Com um biotipo que lembra o ex-jogador de futebol Marcelinho Carioca e uma voz de gente grande, que já foi comparada por especialistas como uma "reencarnação" de Caruzo, Jean ganhou uma bolsa de estudos em Milão, dali foi fazer um teste em Vicenza, passou na audição e ganhou o papel numa ópera que era uma adaptação de um conto de Hans Christian Andersen e neste seu primeiro trabalho como cantor profissional começou o sucesso de Jean Willian como tenor, um dos mais promissores na atual música erudita...mundial. Depois de apresentações em Nova Iorque, no momento ele está faz uma temporada na Bélgica e com certeza poderá neste fim de ano ter a chance de uma atuação de destaque (finalmente) na ópera no Brasil: "Se em nosso país não tivesse tantos preconceitos e melhor estrutura na educação, muitos "Jeans Willians" poderiam estar sendo revelados em vários setores culturais", disse ele ainda ao Jô Soares. Ele contou que para sobreviver em Ribeirão Preto cantava em casamentos e até em funerais, mas agora esta cidade e também Barrinha (SP) estão ganhando destaque justamente por causa deste jovem tenor negro Jean William, que venceu os limites do racismo, da pobreza e da falta de estrutura educacional do Brasil para se firmar como um dos principais músicos eruditos da nova geração do país e até do planeta hoje em dia. Ele se lembra que um mestre de canto na Itália lhe disse: "A música não tem cor". E essa idéia o animou a continuar cantando. A arte venceu a realidade da vida. (Antônio de Pádua Padinha)


Fontes: BBC
             http://folhaverdenews.blogspot.com


5 comentários:

  1. Hoje com 27 anos, o tenor Jean William já subiu em palcos emblemáticos para a música lírica, como o do Lincoln Center, de Nova York ou ali mesmo do Museu Metropolitano, está atuando na Bélgica...De Barrinha para o mundo.

    ResponderExcluir
  2. Jean William na Itália, em Vicenza, estreou em uma ópera dinamarquesa, porque o mestre de canto e compositor que o escolheu para protagonizar a peça, como principal tenor, lhe disse sobre o racismo: "A música não tem cor".

    ResponderExcluir
  3. Mande a sua informação, mensagem ou alguma foto que tenha do Jean William, de Barrinha (SP), que passou por Ribeirão Preto (SP) e pela USP (ECA) e agora é sucesso na música erudita do país e do exterior: envie aqui para o e-mail do nosso blog: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  4. "Pena que esta postagem não saiu ontem, dia nacional da Conci~encia Negra, mas hoje ainda está valendo, aliás, Padinha, hoje e sempre, o trabalho deste cara vai se eternizar pelo visto em sua matéria nesse blog que visito sempre", é o e-mail que recebemos, assinado por Moreira, sem citar a cidade de origem. Mande vc tb a sua mensagem ou opinião, citando de onde está enviando o comentário para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Curti muito a trajetória de Jean Willian e também o texto do blog contando a sua história que é um exemplo positivo prá juventude nem-nem, os caras que nem estudam nem trabalham": é a mensagem que chegou em nosso e-mail, vinda de Piracicaba (SP) e enviada pelo agrônomo Cortez.

    ResponderExcluir

Translation

translation