terça-feira, 31 de dezembro de 2013

FIM DO MUNDO PODE ESTAR CHEGANDO AGORA ENTRE 2013 E 2014

Nibiru é o nome aterrorizando cientistas e místicos nestes próximos sete meses no planeta Terra

No post de ontem aqui no blog Folha Verde News - Verão do Medo - analisamos em especial com um texto bem objetivo e crítico do geólogo Álvaro Santos (EcoDebate) e vários comentários - sendo que entre as mensagens que recebemos, uma foi esta: "Mais do que temer o aumento e a expansão das enchentes e das inundações, um medo muito maior se agiganta neste tempo não só no país, por todo o planeta, algo que abalará toda a estrutura de vida na Terra". Quem nos enviou a mensagem foi Luiz Gonzaga Scortecci, com quem como autor, documentarista, repórter e ecologista convivi na década de 80 em São Paulo dentro do movimento pela arte e cultura alternativa: "Eu estava tentando me dedicar à Não-Violência e virando vegetariano, quando conheci na esquina de casa, perto da Paulista, esse cara, um arquiteto diferente, revolucionário, pesquisador científico, aberto à Ufologia e a busca mística por uma nova realidade da vida e do ser humano", falou Padinha sobre Scortecci numa entrevista: "Inclusive, já nesta época, há uns 25 anos atrás, ele já falava em enchentes, desbarrancamentos, quedas de barreiras e de energia que estavam por acontecer". Scortecci falava e isso por volta de 1985 como um profeta futurista, conclamando poetas, cientistas, ecologistas e toda pessoa de boa vontade a lutar pelo futuro, que ele via como bastante ameaçado". Agora, aqui no blog da ecologia e da cidadania chegou ontem esta mensagem de um assessor de um grupo de trabalho em Brasília (DF), N2012 Brasil, liderado pelo Luiz Gonzaga Scortecci: "O problema não é só socioambiental, político, econômico e nem apenas falta de uma gestão governamental de desenvolvimento sustentável, o verão de medo vai se tornar de terror mesmo, quando a opinião pública for informada sobre o perigo iminente de Nibiru", me disse ele e me passou uns links para que eu consultasse as fontes desta informação. É o que estou fazendo nesta relativa correria de fim de ano. E ainda não concluí a minha pesquisa sobre esta pauta, mas de toda forma de uma coisa já tenho certeza, trata-se de um tema da maior importância na atualidade e me sinto honrado de ter sido escolhido para comunicar estes fatos ou estas hipóteses de perigo de destruição ou pelo menos de grande mudanças apocalípticas em termos geoestruturais em toda a Terra. A questão do Fim do Mundo, que estava prevista para 2012 e foi desmentida pela vanguarda cultural, religiosa, científica e pelos próprios fatos no ano passado, teria sido apenas um balão de ensaio para começar a preparar a população mundial: segundo esta advertência que já levou milhares ou até milhões de pessoas bem informadas, nos Estados Unidos (em especial, na Califórnia), na Noruega, no Vaticano, na França, no Brasil, na Austrália e em vários países a mudarem radicalmente seus hábitos e a se prepararem para uma hecatombe. Não será uma guerra nuclear mas implica transformações climáticas e geofísicas terrestres, motivadas pela aproximação do Planeta X - Nibiru - da Terra, ele que é visto como o 10º planeta do nosso Sistema Solar e praticamente atua numa dimensão diferente dos outros nove: uma ex-dirigente e cientista da Nasa abdicou do seu posto para divulgar com mais liberdade este perigo, alguns pesquisadores e mesmo ufologistas contestam, mas muitos outros já preparam alternativas para sobreviver às grandes mudanças. O assunto ainda não entrou na pauta da mídia mundial, porém, para os estudos mais avançados desta situação já há até a data mais provável para este apocalípse cósmico e planetário, entre 24 de setembro de 2013 e 11 de julho de 2014. Se estiver correta esta informação, levantada com os equipamentos de maior alcance e mais avançada tecnologia terrestre atual, estamos todos os seres vivos da Terra por um fio. Confesso que ainda estou pesquisando as fontes (passo uma delas para você pesquisar também, confira ao final do texto), antes de alarmar os internautas, precisamos aprofundar a pesquisa de informações e não tenho condições de fazer isso sozinho. Mas admito também que esta informação (caso se confirme) será a pauta de maior importância entre os 1807 posts já feitos pelo nosso blog da ecologia e da cidadania, que em cerca de dois anos na web teve 188.817 visualizações, quase todas de gente do nosso movimento cult pela não-violência,  pela criação do futuro e pela paz. Há 11 mil anos, os Mamutes desapareceram da África onde se alimentavam de variados vegetais, recentemente foram encontrados muitos dos seus cadáveres no Polo Norte, na Sibéria, congelados, como testemunhas chaves de uma hecatombe que estão teria ocorrido, revolucionando  há 11 milênios de forma total os continentes e deslocando violentamente a natureza e todos os seres do sul para o norte do planeta, destruindo a maior parte das espécies de vida deste tempo. Então, este fato é citado agora para exemplificar o extraordinário impacto geofísico que Nibiru terá sobre a Terra, agora entre 2013 e 2014. Ainda é uma hipótese ou uma tese, muito super bem fundamentada por cientistas, esotéricos e pesquisadores de fenômenos extraterrestres e cósmicos. Pode ser verdadeira? Ainda não tenho condição de nem como repórter investigativo definir a resposta. Estou pesquisando e começando a divulgar esta informação, que não pode ficar oculta, para que um maior número possível de pessoas e de seres vivos possam de alguma forma escaparem da hecatombe planetária., se ela se concretizar mesmo. Prepare o seu coração que o futuro parece não estar ameaçado só pela destruição da ecologia, Deus tenha pena de nós, se este terror dos cientistas do mundo hoje vir a se transformar na realidade por estes tempos, que poderiam ser os últimos para a maior parte dos seres vivos atuais da Terra. Eu que sempre estou indo à luta pela vida do nosso planeta, mais ainda agora não posso omitir esta informação, mesmo que ainda ela não esteja inteiramente comprovada, nós todos precisamos com a maior urgência pesquisar Nibiru, no caso, para sobrevivermos. E me desculpe estragar a sua festa de fim de ano com esta preocupação monstro. (Antônio de Pádua Padinha)

A rota de Nibiru estaria segundo estes estudos vindo para colidir com a Terra


Fontes: www.arautodofuturo.wordpress.com
             http://folhaverdenews.blogspot.com

5 comentários:

  1. "Sinceramente", diz o nosso editor de conteúdo aqui do blog, "tenho procurado sempre ser bastante objetivo, lúcido, radical mas cuidadoso em todas as pautas, mesmo porque luto por ideais de grande importância aqui na web, confesso que estou surpreso com o fenômeno Nabiru, mas disposto a pesquisar e ir à luta pela verdade dos fatos e pela vida".

    ResponderExcluir
  2. Ao longo dos próximos dias, já 2014, a partir de amanhã, estaremos postando aqui outras informações e comentários sobre esta pauta, apenas começando em nosso blog de ecologia.

    ResponderExcluir
  3. Faça vc tb a sua pesquisa, a partir de um dos links que me passaram e é o primeiro que passo como fonte preliminar para esta informação, o site arauto do futuro, organizado pelo arquiteto e pesquisador Luiz Gonzaga Scortecci, respeitado pelo seu trabalho nacional e internacionalmente.

    ResponderExcluir
  4. Não se ludibrie nem se deixe enganar, pesquise e não se apavore, mande por e-mail pro nosso blog o que tiver de informação ou de comentário sobre esta pauta, sobre esta procura, sobre Nibiru e o terror dos cientistas na atualidade: envie para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Pelo menos desde 1983. astrônomos vem detectando este planeta de outra estrutura no nosso Sistema Solar e é preciso fazer um reparo em um trecho do texto deste post aqui neste blog, o Nibiru não colidirá mas passará ao lado da Terra em sua trajetória nestes próximos meses e nesta proximidade, provocará abalos na rota, no eixo e em toda estrutura geofísica planetária por aqui, não sei se será o fim do mundo, mas haverá grandes mudanças": é a mensagem muito importante que recebemos por e-mail de Valdomiro César, de Curitiba (SC).

    ResponderExcluir

Translation

translation