domingo, 8 de dezembro de 2013

PESQUISADORES BRASILEIROS CRIAM COMPOSTO PARA TIRAR POLUIÇÃO DO AR

Pesquisadores da Unicamp criaram em laboratório material mais eficiente do que similar dos Estados Unidos para retirar o CO2 do ar, o principal causador do efeito estufa : é a informação do site Ig no Último Segundo, uma nova esperança sustentável para a despoluição do ar

Um grupo de pesquisadores brasileiros da Universidade de Campinas (Unicamp) desenvolveu um método para extrair do ar o CO2, principal gás causador do efeito estufa: a criação brasileira pode ajudar a barrar o avanço destas emissões  no Brasil, que entre 2006 e 2012 aumentaram mais de 40%, segundo o Sistema de Estimativa de Emissão de Gases do Efeito Estufa (SEEG). "O foco principal precisa continuar sendo, dentro duma perspectiva de desenvolvimento sustentável, criar novas formas de produção e de energia que não tenham a estrutura de gás carbônico mas de toda forma, desde já  poder eliminar parte do CO2 e seus efeitos no meio ambiente e na saúde das pessoas, é mesmo um avanço extraordinário", comenta aqui no blog Folha Verde News o repórter e ecologista Padinha.

As emissões de CO2 no Brasil aumentaram 40% entre 2006 e 2012  (Foto AP)
O composto se trata de sólidos de base mineral, mais eficientes do que o similar norte-americano (obrigatório em todas as geradoras de eletricidade e carvão dos Estados Unidos e recomendado pela União Europeia em uma diretriz sobre mudanças climáticas adotada em 2009): “É um pó branco, parecido com talco”, explica a professora Heloise Pastore, coordenadora da equipe desta pesquisa na Unicamp: “A versão desenvolvida nos Estados Unidos é líquida, corrosiva, tem forte odor e, como evapora, perde-se muito CO2 durante a reciclagem, nossa alternativa é um passo adiante como solução do problema socioambiental da poluição do ar na atualidade".

Professora Heloise Pastore (ao centro) com a equipe da Unicamp que desenvolveu o sólido, o pó branco na mesa 
A pesquisadora espera que o produto seja utilizado nas torres de descarga de gases das refinarias da Petrobrás, que bancou o estudo. A ideia é evitar o escape do poluente durante a prospecção e transporte do petróleo. No futuro, explica professora Pastore, a criação poderá ser utilizada em torres no alto de prédios, nos escapamentos de carros e chaminés de fábricas. “Outra possibilidade é misturar o composto na tinta de parede, mas de toda forma, de tempos em tempos será necessário retirar o produto e reciclá-lo".  A segunda fase dos estudos, prevista para começar no segundo semestre do ano que vem, vai se concentrar nas possibilidades de reciclar o CO2 capturado. “É possível produzir ureia para criar fertilizante ou resina, ou produzir carbonatos, usados como solvente e aditivo combustível”, explica a pesquisadora. Outra possibilidade é polimerizar o gás para transformá-lo em plástico ou hidrogenar o CO2 e criar metanol, o que se tornará mais viável se o hidrogênio utilizado para isso for produzido por meio de energia eólica, mais limpa e cada vez mais comum no Brasil. "As melhores alternativas e tecnologias vão se unindo no avanço para uma realidade sustentável que a nova geração de pesquisadores e cientistas estão criando a bem da ecologia e da própria vida futura, vida futura que hoje está ameaçada por tantos problemas ambientais de nem existir", comentou nesse sentido nosso editor Antônio de Pádua Padinha, feliz com esta notícia.
 
Fontes: www.ig.com.br
             http://folhaverdenews.blogspot.com
 

5 comentários:

  1. Mais uma vez os pesquisadores brasileiros, agora da Unicamp, mostra o seu grande valor, muito maior do que o apoio que a investigação científica recebe no país.

    ResponderExcluir
  2. A segunda fase desta pesquisa desta equipe da Unicamp, prevista para começar no meio de 2014, vai se concentrar nas possibilidades de reciclar o CO2 capturado, um avanço a mais.

    ResponderExcluir
  3. Os resultados das pesquisas desta equipe da Unicamp é tão mais importante quando se sabe que as emissões de CO2 no Brasil aumentaram mais de 40%, num espaço de 6 anos.

    ResponderExcluir
  4. Mande vc tb a sua opinião sobre esta pauta aqui do nosso blog neste domingo ou a informação sobre alguma pesquisa socioambiental de que você tenha conhecimento aí na sua região ou na sua universidade, enviando o e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Uma nova estrutura de apoio à pesquisa, ao desenvolvimento científico e sustentável poderá avançar a realidade brasileira em vários setores", é um resumo a mensagem do estudante da UFSCAR, Manoel Santos, que diz ter "curtido demais esta postagem deste blog, quase não se fala no Brasil destes lances".

    ResponderExcluir

Translation

translation