quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

SITE VEGETARIANO DENUNCIA ÓLEO DE CANOLA COMO FRAUDE

Autoridades governamentais e a própria indústria alimentícia precisam tomar providência 

Até programas de saúde em emissoras de TV recomendam como muito saudável, nutritivo e emagrecedor usar o Óleo de Canola, mas isso se trata de um erro enorme, pois este produto é um dos maiores engodos da indústria alimentícia e transgênica, conforme denuncia o site ecocheervegan, que é um portal que se dedica a dados e informações sobre nutrição vegetariana, atividades físicas, qualidade de vida, ecologia e sustentabilidade, por isso ele tem sido consultado por pesquisadores, em especial, os que querem mais detalhes e debates sobre os perigos dos alimentos transgênicos ou geneticamente modificados (OGM), como é o caso do Óleo de Canola, que tem um preço caro nos supermercados pela fama de ser excelente para a saúde, com a propaganda de que ajudariam as pessoas que querem emagrecer ou manter a forma: este óleo é uma fraude e a Canola é uma planta que Deus não criou, não é da natureza, diz a manchete de uma das postagens mais acessadas deste site, que reproduzimos a seguir e em resumo aqui no blog Folha Verde News. Queremos alertar os internautas e os consumidores. O texto a seguir é de Jacqueline Louize, especializada em nutrição e educação física. Confira e divulgue nas redes sociais e com seus amigos e amigas. (Antônio de Pádua Padinha, repórter e ecologista)


O óleo de Canola apesar das aparências é um veneno para a saúde do consumidor
Blogs ecológicos satirizam este produto vendido livremente no Brasil e Oriente Médio


ÓLEO DE CANOLA É UMA FRAUDE
"Como tenho sempre falado sobre a alimentação-lixo que temos consumido, não posso deixar de reiterar sobre um alimento que é vendido como opção saudável de óleo, e mais uma vez temos sido feitos de idiotas e cobaias, e caímos nas armadilhas da indústria alimentícia.  Esse engodo é o óleo de Canola. Voltando um pouco ao passado, você deve lembrar que, a margarina foi apresentada como alternativa mais saudável para a manteiga, e vista por muitos 100% vegetarianos (ou veganos, como preferir) como a “salvação da lavoura”?...Não demorou muito, após algumas pesquisas, para comprovar que a margarina era tão saudável quanto plástico derretido. E afirmo que, ainda hoje, muitos desconhecem fatos como esse. Imagine sobre o óleo de Canola. O interessante é que, o óleo de Canola, além de ser vendido em frascos como alternativa ao óleo de soja, também está sendo usado largamente em alimentos processados, como congelados prontos, em pratos de restaurantes, inclusive vegetarianos, e até sendo vendido, em lojas de produtos naturais e orgânicos, como um “óleo cheio de propriedades benéficas”. E se não bastasse, alguns médicos, nutricionistas desinformados ou mal intencionados atestam suas benesses, e indicam sem medo. Não, não e não! Canola é um novo nome de Colza, um 'tipo' de mostarda que foi ou é a mesma planta utilizada para a produção do agente mostarda, gás letal usado de forma terrível nas últimas grandes Guerras Mundiais. Em primeiro lugar, é preciso estabelecer a seguinte questão: o que é Canola, que afinal, nem consta nas enciclopédias (Comptons e Encarta de 96)? Veja só: Canola é novo nome de um 'tipo' de Colza. Para começar, canola sequer é um vegetal, mas uma sigla para “CANADIAN OIL”. Esse óleo é produzido, processado e exportado pelo Canadá. Através de lobby, o governo canadense fez com que o FDA (órgão americano que controla medicamentos e alimentos) classificasse a canola como “GRAS”, termo em inglês para “Considerado seguro em geral”. Essa manobra fez com que os testes de qualidade de longo termo não fossem realizados, contribuindo para que a farsa persista até os dias de hoje. E só a partir dos anos 2000, as pesquisas em Universidades fizeram cair por terra à farsa da “planta canola”. Mas se a canola não é um vegetal, de onde ela vem? Vem da colza, um grão, cujo governo canadense subsidia a maior parte dos custos de plantio e colheita. É um vegetal barato, fácil de crescer e resistente a insetos. Dessa forma, o óleo de canola é mais barato e mais fácil de ser usado em alimentos processados, se comparado a óleos mais saudáveis e prensados a frio, como o azeite de oliva. Seu nome original é óleo “Lear”, ou óleo de colza com baixo ácido erúcico, um híbrido da colza natural, desenvolvido para remover a maior parte do ácido erúcico, que é altamente tóxico. Óleo de colza é tão tóxico, que animais e insetos não o ingerem.Detalhe, tal óleo foi utilizado pela primeira vez já no século XX como óleo industrial. Para evitar rejeição e conflitos ao ser utilizado como óleo para consumo humano, o nome do óleo deveria ser modificado, e é daí que vem o termo “Canola”, utilizado desde 1988. Colza é uma planta da família das brássicas - Brassica campestris. Portanto, como já foi escrito acima, a colza é um 'tipo' de mostarda que foi ou é a mesma planta utilizada para a produção do agente mostarda, gás letal usado de forma perversa nas últimas Guerras Mundiais. Repito para que você não esqueça a sua origem! O óleo de colza é muito utilizado como substrato de óleos lubrificantes, sabões e combustíveis, sendo considerado venenoso para coisas vivas: eficiente repelente (bem diluído) de pragas em jardins. Ou seja, é um potente agrotóxico. Este poder tóxico é proporcionado pela alta quantidade de ácido erúcico contido no óleo.
O óleo de colza tem sido usado de forma alimentar no Extremo Oriente, na forma não refinada, e contrabalançada com uma dieta rica em gordura insaturada, o que evitaria seus graves efeitos tóxicos. Mas tem mais. Como é lógico presumir, a Monsanto (multinacional de agricultura e biotecnologia, líder na produção de sementes geneticamente modificadas – os Transgênicos, da soja DNA transgênico “Roundup ready” e do herbicida glifosato, vendido sob a marca “Roundup”) também está envolvida, fez modificações genéticas na colza, para que se tornasse resistente às altas dosagens do agrotóxico Roundup (usado virtualmente em todas as culturas graneleiras, em todo o mundo). Além da questão do Roundup, o óleo ainda é aquecido a mais de 300 ºC, como forma de retirar o terrível odor que possui. É válido lembrar, que óleos processados passam por outros processos como a degumação, acidulação, clarificação, extração química a base de solventes; todas técnicas que viabilizam uma produção industrial, de algo que faz mal a nossa saúde. Por marketing, usa o nome CAN - OLA ( “Canadian low oil”, ou óleo canadense). Isto mesmo: CANOLA é absolutamente transgênica. Sua comparação aos benefícios do óleo de oliva não passa de uma estratégia de venda: o óleo de oliva é bem mais caro, mas o de canola é mais caro do que os outros óleos que estão no mercado, apesar de ser de produção baratíssima! Bom negócio, enfim e nada mais, a dano da saúde dos consumidores". (Jaqueline Louize)

Fontes:  ecocheervegan.com
                www.blogdodrvictor sorrentino.com
                http://folhaverdenews.blogspot.com

6 comentários:

  1. Canola está mais para biocombustível do que alimento e a Monsanto e todo um esquema comercial e lobby fazem crer que é um alimento nutritivo e emagrecedor, sendo vendido ainda livremente no Brasil e Oriente Médio, apesar dos alertas de cientistas e ecologistas.

    ResponderExcluir
  2. Azeite de Oliva vem das azeitonas. Óleo de girassol vem das sementes de girassol. Mas o que é canola? Canola é na realidade, uma palavra inventada para um produto geneticamente modificado, transgênico:
    CAN.O.L.A. = CANadian Oil Low Acid É infelizmente uma invenção canadense subsidiada pelo governo. Os subsídios tornam o produto muito barato, por isso quase todos os alimentos processados ou embalados contém óleo de canola. Comece a ler os rótulos e checar os ingredientes, cuidado.

    ResponderExcluir
  3. Na verdade o óleo de canola é desenvolvido a partir de uma planta chamada colza, que pertence à família da mostarda. Estes óleos tem sido utilizados para fins industriais (velas, batons, sabonetes, tintas, lubrificantes e biocombustível). É um óleo industrial, e não um alimento.
    O óleo de colza é a fonte oculta do gás mostarda, que pode nos causar enfisema, dificuldade respiratória, anemia, constipação, irritabilidade e cegueira. Mas através da beleza da modificação genética, nós agora estávamos consumindo este veneno como uma óleo comestível.

    ResponderExcluir
  4. Mande a sua informação, comentário, opinião ou mensagem para o nosso blog de ecologia e de cidadania: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Não há nenhum problema com o óleo de canola. Entenda: http://alimentandoadiscussao.com/2014/05/07/verdade-sobre-canola/

    ResponderExcluir
  6. Não há nenhuma ligação entre o gás mostarda utilizado nas guerras e a planta chamada mostarda(nem consigo acreditar que preciso explicar isso) o óleo de canola foi alterado apenas para conter menor teor de ácido erúcico comprovadamente tóxico em grandes quantidades, então por favor, parem de disseminar mentiras e desinformar a população, saibam do que estão falando primeiro, depois tentem ensinar, e não saiam repetindo asneiras científicas de outrem como se fossem papagaios.

    ResponderExcluir

Translation

translation