quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

ESTÁ DIFÍCIL MAS AINDA HÁ EM GENEBRA NA SUIÇA ESPERANÇA DE PAZ NA SÍRIA


Hoje é o Dia D para a busca da paz para a Síria na conferência de Genebra e da ONU que busca acabar com os horrores e sofrimentos pela violência: o secretário-geral Ban-Ki moon promove nesta quinta reunião em separado com dirigentes sírios para estimular diálogo e pacificação

Começou com muito debates e poucos entendimentos a Conferência Genebra II, que hoje debaterá mais uma vez como por fim aos três anos de guerra civil na Síria, que já custou a vida de mais de 100 mil pessoas e já gerou 2 milhões de refugiados, um dos maiores símbolos vivos da violência na atualidade da Terra. A BBC informa que o governo sírio está sendo acusado de tortura e morte de 11 mil presos de guerra, no dia a dia da violência por lá. Segundo a AFP, na Suiça, a expectativa é de se conseguir um acordo pacifico, cerca de quarenta chanceleres participam de Genebra II, eles não são Chefes de Estado mas os diplomatas têm pela frente difíceis e importantes negociações. Anne-Thea, que cuida do protocolo do aeroporto da cidade há mais de uma década, sabe que a conferência sobre a Síria pode ser muito significativa: "Nos faz sentir um pouco como se fôssemos parte da história", diz ela. "Muitas decisões históricas são tomadas aqui em Genebra, esperamos que mais uma vez vença a nossa tradição de paz". A cidade suíça de fato tem uma forte tradição quanto o assunto é negociar a paz. Após os horrores da Primeira Guerra Mundial, Genebra foi escolhida como sede da então recém-criada Liga das Nações, órgão cuja missão era impedir a eclosão de um novo conflito. Não conseguiu, a 2ª Guerra Mundial acabou acontecendo mas ali acabou se tornando a casa da ONU e a capital das negociações, o centro da neutralidade do planeta e da busca da paz.


As crianças entre refugiados são as principais vítimas da guerra na Síria



11 mil prisioneiros de guerra foram torturados e mortos segundo denunciam opositores na Síria

Entre os 2 milhões de refugiados as crianças são as que mais sofrem o conflito armado

Os ecologistas e pacifistas de todo o planeta consideram positivo o esforço da Genebra II

Hoje já estão começando as negociações sobre o conflito da Síria. Uma dor de cabeça é este primeiro dia de negociações, que está sendo realizado nesta quarta-feira na localidade próxima de Montreux, que se torna assim um  subúrbio da ONU, para preparar e adiantar a conferência final amanhã. Por sinal, wm Genebra está acontecendo também simultaneamente uma conferência nacional de relojoeiros suíços, ainda um setor vital para a economia deste país. Tudo isso faz com que em Genebra e em Montrex haja nesta semana uma gigantesca operação de segurança que envolve a polícia e o exército da Suiça, o espaço aéreo da cidade será fechado e suas estradas já estão sendo bloqueadas. Amanhã, todo o aparato em Genebra, onde representantes do regime sírio e da oposição serão colocados frente à frente pela primeira vez. Será que o ambiente favorecerá que governo e oposição sírios encontrem um meio-termo? Assim, por quase um século, Genebra tem sido a cidade escolhida pelo mundo para a diplomacia difícil e o lugar onde ainda persiste a esperança de pôr fim a conflitos sangrentos, agora, a guerra na Síria. "Mas a paz não é somente ausência ou fim da guerra, nesta realidade de violência que está por todos os países do planeta", comenta a partir destas informações da BBC e da AFP o editor do nosso blog de ecologia e de cidadania, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha, aqui no Folha Verde News, destacando hoje esta pauta: "De toda forma, todo esforço para a paz e a não-violência é um momento sagrado para o ser humano".

Fontes: BBC
             AFP
             http://folhaverdenews.blogspot.com




7 comentários:

  1. Desde hoje estamos preparando você, através destas informações e comentários, para o dia histórico que poderá vir a ser esta quainta-feira, dia 23 de janeiro de 2014, caso realmente se consiga um acordo para a paz na Guerra da Síria, através da Conferência da ONU Genebra II.

    ResponderExcluir
  2. Já morreram mais de 100 mil pessoas, parece que houve 11 mil torturados e mortos nos bastidores do conflito, cerca de 2 milhões de refugiados, entre eles, toda uma geração de crianças: em nome de toda esta situação de horror, estamos destacando a busca da paz em Genebra na Suiça, mesmo sabendo que a paz verdadeira não é só o fim de uma guerra...

    ResponderExcluir
  3. Aqui, nos comentários, estremos já a partir desta quarta-feira, 22, atualizando as informações, noticiando como andam as negociações em Genebra na Suiça, com a consciência de que elas são um avanço para o ser humano pelo simples fato de se buscar a paz neste instante de extrema violência e não só na Síria, em todo o planeta.

    ResponderExcluir
  4. Mande vc tb a sua informação, opinião ou comentário e mensagem sobre esta pauta, aqui pro blog da ecologia e da cidadania, que está destacando este acontecimento pela importância da paz e da não-violência para todos nós em qualquer lugar do mundo: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. Site da ONU em notícia que chegou por e-mail informa que o Brasil doou 300 mil dólares para atenuar sofrimento de crianças refugiadas e vítimas da violência na Síria.

    ResponderExcluir
  6. Outra notícia que chegou em nosso e-mail via a Unic (o órgão de comunicação da ONU): o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, está desde ontem na Suíça, e hoje, véspera da conferência Genebra II negocia para tentar acabar com a guerra civil na Síria. A crise começou em março de 2011, há quase três anos. Imediatamente após sua chegada, Ban iniciou conversações com participantes de vários países e organizações regionais que estarão presentes na conferência, que está começando hoje, 22 de janeiro, na cidade de Montreux. O secretário-geral, que amanhã abre a parte de alto nível da conferência, encontrou-se em Genebra com a alta representante da União Europeia para relações exteriores e política de segurança, Catherine Ashton. Eles discutiram os vários aspectos da crise, incluindo os esforços para fazer chegar ajuda humanitária a um país onde milhares de pessoas fugiram de suas casas, e centenas de milhares sofrem com a falta de alimentos e medicamentos. Representantes de 40 países já estão presentes.

    ResponderExcluir
  7. "O início da conferência de Genebra-2, na Suíça, foi marcado por trocas de farpas entre o governo Sírio e os Estados Unidos, além de troca de acusações entre o representante do regime de Bashar Al-Assad e o principal grupo de oposição daquele país. A conferência para por fim ao conflito sírio teve início nesta quarta-feira na Suíça, com poucas expectativas de que um acordo de paz seja alcançado, por causa deste posicionamento das autoridades. Mas, discursando na abertura do encontro, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu aos envolvidos que mantivessem um diálogo pelo menos para diminuir a violência e obter um avanço humanitário na Síria": é um resumo das informações de agora na Suiça, que recebemos via a BBC.

    ResponderExcluir

Translation

translation