terça-feira, 27 de maio de 2014

DESDE ONTEM E ATÉ AMANHÃ OS ÍNDIOS BRASILEIROS SE MOVIMENTAM PELOS SEUS DIREITOS EM BRASÍLIA

Em defesa de suas terras, da natureza do país e do futuro da ecologia os povos indígenas têm três dias de mobilização e atraem a mídia mais independente: ontem 600 pessoas de 100 aldeias e etnias participaram da invasão à Brasília

 
600 índios de várias regiões e tribos brasileiras fizeram um alerta na capital federal 
 
Estas fotos de Antônio Cruz (Agência Brasil) rodam o mundo e estão sendo postadas
em vários sites de jornalismo e blogs de ecologia para divulgar que os povos e organizações indígenas de todas as regiões do Brasil estão realizando manifestações e eventos em defesa de suas terras e seus direitos, em Brasília (DF), desde opntem e até quinta-feira, 29. Estes atos fazem parte da Mobilização Nacional Indígena, objetivando impedir a aprovação de uma série de projetos contra os direitos territoriais dos índios, que estão em tramitação no Congresso Nacional. Um dos projetos que são anticonstitucionais é a PEC 215, que pretende transferir aos congressistas a atribuição de aprovar a demarcação das Terras Indígenas (TIs). Outro Projeto de Lei contrário a demarcação de terras dos povos tradicionais é o PL 227, que visa abrir as áreas indígenas à  mineração e outras formas de exploração econômica, sem respeitar a ecologia dos recursos naturais brasileiros e nem a tradição dos índios, donos das terras. "Aqui nestes conflitos está mais uma vez a falta de uma gestão de desenvolvimento sustentável no Brasil, que poderia equilibrar os interesses econômico e ecológico, indígenas e ruralistas num projeto de futuro vital para toda a Nação", comenta o editor de Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha, divulgando neste blog e no Facebook este movimento que ele considera como sendo" algo da mais legítima e puta cidadania". A série de manifestações dos índios estão atraindo a atenção de jornalistas mais independentes, da mídia internáutica e de correspondentes de agências internacionais de notícias.
Mobilização para impedir a aprovação de projetos contra os direitos indígenas
Para a coordenadora executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), Sônia Guajajara, há um pacto entre Estado e representantes do capital contra os direitos indígenas: "Está em curso uma virulenta campanha de criminalização, deslegitimação, discriminação, racismo e extermínio dos povos indígenas”, alerta a líder Guajajara. Por outro lado, as organizações explicam que a tramitação de projetos que consolidam os direitos indígenas e que são bandeiras do movimento, como o Estatuto dos Povos Indígenas e o Conselho Nacional de Política Indigenista (CNPI), está paralisada há anos nos corredores do Congresso, sem qualquer avanço.  A Mobilização Nacional Indígena é promovida pela Apib, com apoio do Centro de Trabalho Indigenista (CTI), Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Instituto Socioambiental (ISA), Greenpeace, Instituto de Educação do Brasil (IIEB), entre outras organizações indígenas ou indigenistas e entidades ecológicas.


O gênio da bola Garrincha era indígena, sua família veio da Aldeia Fulni-ô da Serra da Barriga (AL)...

...e agora, no clima da Copa do Mundo, este fato foi conversado nos bastidores com os repórteres

Fontes: www.brasildefato.com.br
               www.folhaverdenews.com
 

5 comentários:

  1. Aparentemente, parece não ter sentido, o tema Garrincha em meio a assuntos de grande atualidade, como essas lutas do movimento indígena nesta mobilização destes dias em Brasília: na verdade, por causa da Copa, falando de futebol, lideres indígena citaram o fato de um dos maiores jogadores da história do país ser de origem indígena para valorizar estes povos nativos.

    ResponderExcluir
  2. Esta origem indígena de Garrincha pode ser pesquisada, por exemplo, no livro "Estrela Solitária" (a história da vida deste ídolo do futebol), escrito pelo jornalista Ruy Castro, em 1995: no livro, realmente está esta afirmação, Manuel dos Santos, o Garrincha, nascido no interior do Rio de Janeiro (em Pau Grande) seria neto e bisneto, da parte materna e paterna de índios que vieram da Aldeia Fulni-ô, que fica na Serra da Barriga em Alagoas. A sua habilidade corporal e o seu temperamento eram indígenas também....

    ResponderExcluir
  3. Mas o que importa neste momento de luta é ressaltar o valor agora da defesa das terras indígenas, não somente a demarcação, mas também formas de brecar que haja mineração e outras formas de apropriação de seus recursos, sem respeitar a ecologia da natureza.

    ResponderExcluir
  4. Este diálogo pelo telefone interno da redação do nosso blog de ecologia e de cidadania testemunha este momento de luta pelos direitos, pelas terras e pela ecologia dos índios, sem os povos indígenas a natureza também não sobreviverá, costuma dizer o ecologista Padinha por aqui.

    ResponderExcluir

Translation

translation