terça-feira, 13 de maio de 2014

ESTÁ COMEÇANDO A TEMPORADA DE QUEIMADAS COM O INVERNO QUE VEM AÍ

Um problema a mais para o meio ambiente e para a saúde da população

Não é só a Copa do Mundo de futebol que está na agenda de junho por aqui no Brasil, vem aí o inverno e então, começa novamente a temporada de queimadas, que se agravam com a falta de chuvas (o maior estio dos últimos 50 anos em várias regiões do país), o aumento do frio e dos ventos, com poeira em suspensão:"Tanto as queimadas urbanas como as rurais aumentam nesta época do ano e se realmente houvesse um sistema de prevenção de catástrofes ou uma estrutura de defesa civil combinada com vigilância médica, os problemas seriam menores, mas desde já a nova temporada de poluição ar, doenças respiratórias, destruição ecológica, desmatamento e outros dramas socioambientais podem ser agendados desde já no calendário da tragédia brasileira", questiona por aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News, o nosso editor de conteúdo, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha. Ele usa um tom dramático por causa das previsões meteorológicas e do alerta de entidades como a Organização Mundial da Saúde (OMS), bem como de informações que chegam por variados sites e blogs, alguns relatando advertências de médicos, cientistas, ecologista e líderes de cidadania. Na edição de hoje do nosso blog, um post, antecipando a...tragédia anunciada também pelas fotos abaixo,  

Algumas imagens da realidade das queimadas que vêm aí...

 






  




Aqui, texto aperitivo sobre as queimadas que deverão agravar os problemas neste ano seco

A prática de realizar queimada promove uma série de problemas de ordem ambiental, tal fato tem ocorrido em diferentes pontos do planeta, os países subdesenvolvidos são os que mais utilizam esse tipo de recurso nas áreas agrícolas,  estas técnicas são mais freqüentes em áreas rurais com costumes rudimentares de preparo da terra (quando existe uma área na qual se pretende cultivar, o pequeno produtor queima a vegetação para limpar o local e preparar o solo, esse recurso  é usado também porque não requer investimentos financeiros)...As coivaras, até as queimas indígenas, do ponto de vista agrícola, o ato de queimar áreas para o desenvolvimento da agricultura é uma ação totalmente negativa, uma vez que o solo perde nutrientes, além de exterminar todos os microrganismos presentes no mesmo que garante a fertilidade, o humus, a fina camada da superfície fica empobrecida e ao decorrer de consecutivos plantios a situação se agrava gradativamente resultando na infertilidade.  Há também as queimadas nos canaviais, apenas parcialmente controladas no Sudeste e quase só no Sudeste, além delas, as urbanas, em terrenos baldios, queima de lixo até contendo metais pesados (como restos de couro com cromo nas regiões coureiras e calçadistas como Franca em São Paulo ou Novo Hamburgo no Rio Grande do Sul). Chaminés de indústrias sem filtros agravam a situação nas cidades, onde na seca do inverno aumenta o problema da poluição do ar gerada também pelo escapamento dos carros e outros veículos, isso, além do fogo colocado em pneus nos protestos dos movimentos sociais e populares, que deveriam escolher outra prática menos danosa à saúde das crianças e dos idosos, das pessoas mais sensíveis, como os que têm doenças alérgicas ou respiratórias, que viram um surto nesta época. Outra questão que deriva das queimadas é o aquecimento global, pois a prática é a segunda causa do processo, ficando atrás somente da emissão de gases provenientes de veículos automotores movidos a combustíveis fósseis. Isso acontece porque as queimadas produzem dióxido de carbono que atinge a atmosfera agravando o efeito estufa e assim, automaticamente, o aquecimento global. As queimadas praticadas para retirar a cobertura vegetal original para o plantio agrícola, o capim e a pecuária provocam uma grande perda de seres vivos da fauna e da flora, promovendo um profundo desequilíbrio ambiental, às vezes em níveis sem precedentes em prejuízo da biodiversidade. No caso específico do Brasil, as queimadas tem sido responsáveis pela diminuição de importantes domínios brasileiros, principalmente a floresta Amazônica e o Cerrado, duas áreas intensamente exploradas pela agropecuária, o segundo é o mais agredido, pois segundo estimativas restam menos de 20% da vegetação original, pois o restante já foi ocupado por lavouras e pastagens e o primeiro nos últimos anos tem atraído muitos produtores, isso certamente causará grandes impactos em uma das áreas mais importantes do mundo e que deveria ser conservada para as próximas gerações e/ou vir a ser um objeto de uma gestão de desenvolvimento sustentável, equilibrando interesse econômico com proteção da última ecologia.

 
As máscaras são o assessório da hora...
 
Fontes: www.onu.org.br
             www.vivoverde.com.br
             www.g1.globo.com
             www.folhaverdenews.com

5 comentários:

  1. Por aqui no hemisfério sul do planeta, do ponto de vista astronômico, a estação do inverno começa a 21 de junho mas desde o 1º dia deste mês já é considerado inverno, sob o enfoque meteorológico: março é outono, junho, inverno, setembro primavera e dezembro, verão...

    ResponderExcluir
  2. Enfim, meteorologicamente, estamos a um mês, se tanto, da época do inverno quando as queimadas rurais e urbanas, os problemas respiratórios, as doenças pulmonares, a poluição do ar, aumentam com o frio, a seca que neste ano está batendo recordes históricos e os ventos que difundem a poeira em suspensão...

    ResponderExcluir
  3. E diante deste quadro que já se antevê, a questão é: o que a defesa civil ou a vigilância sanitária ja prepararam para controlar os efeitos negativos desta época que soma inverno, falta de chuva, queimadas, maior poluição, ventos frios, problemas respiratorios, pulmonares, socioambientais...

    ResponderExcluir
  4. Mande vc tb a sua informação, a sua opinião ou o seu comentário, envie a msm para o e-mail do nosso blog e participe ativamente desta pauta: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Se toda esta problemática já pode ser prevista porque as autoridades públicas não tomam medidas desde já?...Pergunta o médico sanitarista de plantão no Hospital São Paulo na capital paulista, Dr, Eurípedes: mande vc tb a sua informação ou questionamento para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir

Translation

translation