quarta-feira, 28 de maio de 2014

TODO MUNDO ESPERA QUE A COPA NO BRASIL SEJA DIGNA DO SEU SÍMBOLO ECOLÓGICO

Desculpe, Tatu Bola: a Copa será responsável por emitir 1,4 milhões de toneladas de CO2

Em todos os países torcedores que têm visão ecológica estão curtindo o mascote da Copa no Brasil

A Copa do Mundo será responsável pela emissão de 1,4 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2), uma das principais causas do efeito estufa, segundo cálculos oficiais de cientistas ligados à ONU e à ciência ambiental: sites como Terra e Ambiente Brasil destacam que estas emissões serão  produzidas pelo número elevado de aviões e automóveis em circulação pelo país durante o evento da Fifa, pelo aumento dos gastos energéticos e outros fatores diversos, explicou em entrevista coletiva a ministra brasileira do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Ela detalhou, no entanto, que todas essas emissões já foram compensadas no mercado de créditos de carbono, um mecanismo previsto no Protocolo de Kioto para minimizar as causas do efeito estufa e do aquecimento global. É com esse mecanismo que países industrializados e empresas financiam projetos para reduzir as emissões de poluentes nos países mais pobres, em troca de créditos que são utilizados para cumprir suas próprias metas ambientais. Dessa forma, Izabella Teixeira garantiu que a Copa "está 100% mitigada das emissões diretas”, e acrescentou que esta é a primeira vez essa meta é alcançada em competições mundiais da federação internacional de futebol: "Todo mundo que tem ação, consciência ou prática ambiental está querendo mesmo que no Brasil a Copa venha a ser a mais ecológica possível, que ela se inspire no seu mascote, o Tatu Bola. que precisa ser mais divulgado  e conhecido, tal como é na realidade da natureza, um bicho nativo ameaçado de extinção, e aí o mundial de futebol poderá vir a ter um conteúdo de educação ambiental, de muito valor para todo esportista e todas as pessoas na vida de hoje em dia", comentou aqui no blog Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha. Ele recebeu aqui também a informação, via a Unic, que as ações favoráveis à preservação do meio ambiente durante o mundial serão complementadas com o “Passaporte Verde”, uma iniciativa apresentada pelo governo no ano passado no Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). Trata-se de um programa que tem como objetivo mostrar aos turistas que eles também podem contribuir durante suas viagens para a conservação da natureza ou para o equilíbrio do meio ambiente e para melhorar a qualidade de vida das pessoas nos lugares visitados.
Nesse sentido, os turistas que vêm para a Copa no Brasil receberão informações sobre formas de consumo sustentável e regras de respeito à natureza, às tradições brasileiras, cultura do povo e sobre os valores socioambientais. "Esse conteúdo e as manifestações de cidadania, que esperamos, pacíficas, vão ser um estímulo positivo durante os jogos entre as seleções dos vários países, aí também, todos torceremos com mais ânimo ainda para mais uma conquista mundial do futebol do Brasil" finalizou nosso editor Padinha aqui no blog. Mais uma notícia positiva que chega: os turistas que forem aos jogos também serão orientados pelos voluntários do evento a cuidar da separação de resíduos, um projeto que contará com a participação de diversas cooperativas de reciclagem.




...e todos esperam que nenhuma violência não estrague a festa...

Fontes: www.terra.com.br
              www.ambientebrasil.com.br
              www.folhaverdenews.com

            

6 comentários:

  1. Esperamos que os protestos por gastos ou corrupção na organização da Copa do Mundo da Fifa e da CBF, bem como a manifestação dos que são contrários ao evento, sejam respeitadas como formas de expressão de cidadania e não, reprimidas com violência.

    ResponderExcluir
  2. A Copa do Mundo não é somente um evento futebolístico mas contém também sentidos culturais, sociais, no caso até ecológicos, isso além da força da mídia de todos os países presentes no Brasil, de olho em todos os acontecimentos.

    ResponderExcluir
  3. Acreditamos que (quase) todos estão atentos a todo esse contexto da Copa do Mundo: desde já alertamos também para um policiamento mais inteligente e sem uso abusivo de força, para não gerar um fluxo incontrolável de violência e de prejuízos à Nação e ao novo povo.

    ResponderExcluir
  4. Mande vc tb a sua opinião sobre esta pauta, a sua msm ou o seu comentário, enviando o e-mail para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Creio que as autoridades do Governo deveriam dar mais explicações e informar mais a população sobre o controle do excesso de CO2 na Copa no Brasil, quase ninguém sabe ou entende que todas essas emissões podem ser ou já foram compensadas no mercado de créditos de carbono, atenuando as causas do efeito estufa e do aquecimento global, está meio confuso ou mal explicado": é a reclamação do ecologista de Joaquim Pereira, de Salvador (Bahia). Mande vc tb a sua opinião ou msm para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. O internauta Luís, de Cachoeira Paulista (SP) nos envia notícia de Rivelino criticando a Copa, que ele viu no site Terra, foge um pouco da pauta de hoje mas tem a ver com a nossa preocupação de que o país valorize tanto o futebol como as manifestações de cidadania na Copa: "Ídolo da torcida do Corinthians e tricampeão mundial com a Seleção Brasileira na Copa de 1970, o ex-jogador Rivlelino, 68 anos, fez críticas nesta quinta-feira à Fifa e elogiou manifestantes que foram às ruas no Brasil contra a entidade e contra a realização do torneio no país. “Acho que o povo brasileiro tem o direito de se manifestar, até demorou”, afirmou o craque. “A Fifa não pode tomar conta do Brasil. Até onde vai querer elitizar o nosso futebol? O torcedor brasileiro que vai ao estádio é e sempre foi o povão”, acrescentou, criticando o preço dos ingressos do Mundial.

    ResponderExcluir

Translation

translation