terça-feira, 10 de junho de 2014

JOGO MUNDIAL CONTRA A VIOLÊNCIA TEM HOJE O REFORÇO DA BELEZA

Angelina Jolie lidera reunião na Bósnia para combater a violência sexual nas guerras
       

Ela mostra grandeza como ser humano ao abraçar esta luta da não violência
 
Na véspera da abertura da Copa do Mundo de futebol no Brasil, a luta mundial contra a violência avança, segundo a agência internacional de notícias France Press, notícia também destacada em vários sites de jornalismo, como do jornal Estado de Minas e aqui no blog da ecologia e da cidadania Folha Verde News: a atriz Angelina Jolie e o ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, William Hague, presidem a partir de hoje, 10 de junho, uma reunião internacional sem precedentes para tentar acabar com a violência sexual em tempos de guerra em vários lugares do planeta. A estrela de Hollywood, embaixadora da boa vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), afirmou na sexta-feira que este será um encontro "como não foi nenhum outro".
A reunião, que prosseguirá até sexta-feira, é a primeira sobre o tema. O encontro tem delegações de mais de 100 países, de organizações não governamentais, religiosas, analistas militares e jurídicos e membros da sociedade civil, convocados para este encontro mundial da ONU. "Em nosso caminho para a conferência, conversamos (com Hague) sobre as mulheres que encontramos recentemente em um viagem. Em particular uma que não contou ao filho que foi violentada porque se sentia tão humilhada que não podia sequer admitir", disse Jolie: "Sentia que, sem justiça para este crime particular, em sua situação particular, e vendo o homem que a estuprou caminhando livre pela rua, se sentia abandonada pelo mundo", narrou a atriz americana: "Este dia é dedicado a ela", concluiu Jolie.
"Oremos por todas as vítimas da violência sexual nos conflitos e por aqueles trabalhando para acabar com este crime", escreveu por sua vez o Papa Francisco no Twitter do Vaticano. Quarenta e oito ministros das Relações Exteriores estarão no evento, assim como vítimas, testemunhas e outras figuras que lutam contra a violência, como o ginecologista congolês Denis Mukwege, que atende mulheres estupradas na República Democrática do Congo (RDC). Além das reuniões oficiais, o encontro propõe um programa aberto ao público com oficinas, conferências, exposições e filmes para sensibilizar a todos sobre um problema que geralmente passa despercebido entre os horrores da guerra. Os números são aterrorizantes. Segundo a ONU, 36 mulheres e crianças são estupradas diariamente na RDC, onde mostram que mais de 200.000 mulheres foram vítimas de violência sexual desde 1998. Entre 250.000 e 500.000 mulheres foram violentadas no genocídio de Ruanda em 1994. Mais de 60.000 no conflito de Serra Leoa. E pelo menos 20.000 na guerra da Bósnia nos anos 1990.
Angelina Jolie e William Hague receberão na sexta-feira o secretário de Estado americano John Kerry, que trava contra este problema "um combate pessoal", segundo suas palavras. Kerry e Hague assinaram em fevereiro um artigo no qual afirmaram: "Vimos o horror. A questão agora é saber se podemos unir ações e energia para impedir que continue acontecendo toda essa violência". "Muitos lugares que visitei como secretário de Estado ainda têm as cicatrizes de um tempo o qual o estupro foi usado como tática de opressão e intimidação", insistiu Kerry em um artigo publicado na segunda-feira no jornal britânico Evening Standard. Kerry afirmou que os estupros durante guerras devem ser considerados "um crime internacional maior e não apenas uma consequência inevitável de qualquer conflito". Melhorar os sistemas judiciais, formar os militares e apoiar as vítimas são outros aspectos que serão abordados. Na quinta-feira, quando Brasil X Croácia estiverem abrindo a Copa do Mundo no Brasil, acontecerá uma reunião dedicada exclusivamente ao sequestro de mais de 200 adolescentes nigerianas pelo grupo islamita Boko Haram. William Hague receberá o colega nigeriano e representantes dos países vizinhos - Camarões, Chade, Níger e Benin - para discutir os meios de derrotar a organização que está nos bastidores deste tipo crescente de violência em qualquer país que esteja em situação de guerra. "A guerra faz aumentar todos os tipos de violência, também a sexual, contra as mulheres, pior que a realidade do dia a dia em todo e qualquer país atualmente tem esse clima", comenta aqui no blog Folha Verde News, o repórter e ecologista Antônio de Pádua Padinha,

Angelina Jolie está indo a esta luta por ideais humanitários

Na Bósnia e no Congo a situação se grava

Esta foto poderia ser de algum país em guerra mas é do dia a dia da violência no Brasil

Fontes: AFP (Agence France-Presse)
             www.em.com.br
             www.folhaverdenews.com

 

8 comentários:

  1. "É difícil lutar contra a realidade violenta em qualquer lugar do mundo", relata aqui no blog o nosso editor de conteúdo, que tem feito imagens documentais sobre a violência no Brasil: "Por ser tão difícil mudar esta situação é que tão mais valiosa a luta de Angelina Jolie e de todos os pacifistas, seja na Bósnia ou em qualquer lugar do mundo", comenta Padinha.

    ResponderExcluir
  2. Nosso blog tem sido uma fronteira pela não violência, enfocada aqui como a ecologia humana: e inspirados nesta luta desta grande atriz e ser humano Angelina Jolie, esperamos um avanço desta questão humanitária da atualidade.

    ResponderExcluir
  3. Amanhã começa a Copa do Mundo da Fifa no Brasil, país cheio de problemas e contrastes, esperamos que nem dentro nem fora dos estádios pintem situações de violência: esta é a nossa maior torcida neste mundial de futebol, que ele seja uma festa da bola e um estímulo ao avanço da paz.

    ResponderExcluir
  4. Envie a sua opinião ou o seu comentário sobre esta pauta de hoje do Folha Verde News, mandando sua msm para o e-mail do nosso blog: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Eu já achava a Angelina Jolie linda, depois dessa postagem, vejo essa mulher como extraordimária": é a opinião do advogado Carlos Costa, de Santos (SP). Envie aqui pro nosso blog da não violência sua mensagem ou seu comentário: navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  6. Gonzaga Oliveira, no Facebook ele que é repórter esportivo que atua na mídia Internet comentou:"Parabéns pelo seu trabalho Essa atrocidade contra as mulheres tem que ser divulgada para sensibilizar as pessoas de bem. Abs".

    ResponderExcluir
  7. O ecologista e técnico agrícola Valivino Franco, que atua na Fazenda Jaraguá (no nordeste paulista) nos telefonou, para elogiar o esforço da ONU e desta mulher pela não violência".

    ResponderExcluir
  8. O compositor e cantor Edu Krieger, do Rio de Janeiro, tema de post aqui ontem, sobre a polêmica em torno de sua música "Desculpe, Neymar" (clip e tema crítico sobre a Copa da Fifa) também nos enviou mensagem cumprimentando o trabalho cultural deste blog: "Vamos juntos na luta cult".

    ResponderExcluir

Translation

translation