quarta-feira, 30 de julho de 2014

A VIOLÊNCIA É ALÉM DO MAIS UM PROBLEMA SOCIOAMBIENTAL E DE SAÚDE PÚBLICA

A cara atual da violência da realidade:  um estudo da Revista Brasileira de Psiquiatria sobre fatores biológicos, sociais e ambientais da agressividade revelam a atualidade

Extraímos o texto a seguir da introdução de um estudo coletivo, feito pelos médicos Deise Daniela Mendes, Jair de jesus Mari, Marina Singer, Gustavo Machado e Andréa F. Mello que está integralmente postado no site scielo.br  E para você, aqui no blog Folha Verde News, da ecologia e da cidadania, um resumo deste longo e profundo estudo da atualidade de nossa vida. Confira que aí você tem a chance de captar mais intensamente um conteúdo essencial da realidade.
"A violência é considerada um problema de saúde pública pela Organização Mundial da Saúde (OMS) através da resolução 49.25, 1996, e seus índices têm aumentado, sendo as principais vítimas indivíduos jovens, mulheres e crianças. A OMS define violência como "o uso intencional de força física, poder ou ameaça contra si mesmo, terceiros ou uma comunidade que pode resultar em ou ter forte tendência a resultar em ferimento, morte, dano psicológico e prejuízo do desenvolvimento ou de privação" (Violence is "the intentional use of physical force or power, threatened or actual, against oneself, another person, or against a group or community, that either results in or has a high likelihood of resulting in injury, death, psychological harm, maldevelopment or deprivation"). Por sua vez, a agressividade pode ser definida como a produção de um comportamento que visa causar dano físico ou psíquico a outrem. No Brasil, as causas externas são a segunda causa de morte, perdendo apenas para doenças do aparelho cardiocirculatório, sendo que a primeira causa externa de morte é o homicídio, seguida pelos acidentes de trânsito. Homens jovens são as principais vítimas fatais da violência no Brasil. Estudos de carga da doença, que medem os anos de vida perdidos por morte prematura ou incapacidade indicam que as causas externas ocupam 10,2% da carga total da doença. Além dos homicídios, outras formas de violência fazem parte, infelizmente, da rotina da nossa sociedade: violência contra o parceiro, abuso sexual na infância e adolescência, envolvimento precoce com álcool e drogas, sequestros, tráfico de drogas e violência contra idosos, entre outras manifestações. Dentro desse panorama, é de fundamental importância o estudo de fatores de risco e de proteção ao desenvolvimento do comportamento agressivo. As primeiras pesquisas neste campo focaram sobre aspectos socioambientais relacionados à agressividade. Indicavam a desigualdade social, a pobreza e o meio como as causas que poderiam explicar o comportamento agressivo e criminal. Com a elucidação de mecanismos biológicos (genéticos e neurofisiológicos) implicados no comportamento agressivo, por meio dos estudos atuais de neurociências, conclui-se que os fatores sociais e ambientais não são exclusivos para explicar o desenvolvimento do comportamento violento e antissocial. O que de fato ocorre é a interação entre fatores biológicos e socioambientais na modulação do comportamento violento. Neste sentido, a proposta deste artigo é elaborar uma revisão compreensiva da literatura atual sobre os principais fatores de risco relacionados ao comportamento agressivo" (Revista Brasileira de Psiquiatria/Vol.31).

Estas e qualquer outra situação de violência de todos os tipos dispensam legenda...





 
 







Fontes: www.scielo.br
             www.folhaverdenews.com

6 comentários:

  1. Para não ficar apenas político e nem apelativo não inserimos aí no post imagens de violência policial, de tortura, de suicídio, de agressões fatais contra crianças....

    ResponderExcluir
  2. Assim como nas fotos que escolhemos para ilustrar o texto sintético e muito expressivo desta equipe de médicos, não é preciso usar legendas, para falar da violência da realidade atual da vida, não precisamos de muitas palavras ou imagens, está na vida.

    ResponderExcluir
  3. Vale destacar aqui a essência deste texto. Estudos atuais de neurociências concluem que os fatores sociais e ambientais não são exclusivos para explicar o desenvolvimento do comportamento violento e antissocial. O que de fato ocorre é a interação entre fatores biológicos e socioambientais. Neles, ressaltamos os de conteúdo econômico...

    ResponderExcluir
  4. Mande você também o seu comentário ou a sua opinião sobre esta pauta hoje do nosso blog, envie pro e-mail da nossa redação: navepad@nertsite.com.br

    ResponderExcluir
  5. "Nem gosto muito de comentar essas coisas porque fui vítima de violência quando garota, mas de todo jeito, acho muito bom que um blog divulgue estes estudos, como alerta": é o comentário que nos envia a estudante de psicologia na PUC de BH, que assina a msm apenas como Ma.

    ResponderExcluir
  6. "É válido estudar e compreender a violência desde que seja prá diminuir os índices cada vez mais violentos da realidade, aí que entra o problema, um dos mais difíceis de serem superados": esta é uma das observações de Olavo Heitor, que atua como médico em Araraquara (SP) e coleciona a Revista Brasileira de Psiquiatria há anos.

    ResponderExcluir

Translation

translation